Síndrome de Borderline: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
março 2022

A Síndrome de Borderline, também chamada de transtorno de personalidade limítrofe, é caracterizada pelas mudanças súbitas de humor, medo de ser abandonado pelos amigos e comportamentos impulsivos, como gastar dinheiro descontroladamente ou comer compulsivamente, por exemplo.

Geralmente, as pessoas com Síndrome de Borderline têm momentos em que estão estáveis, que alternam com episódios de ira, depressão e ansiedade, manifestando comportamentos descontrolados. Esses sintomas começam a se manifestar na adolescência e se tornam mais frequentes no início da vida adulta.

Por vezes, esta síndrome é confundida com doenças como esquizofrenia ou doença bipolar, mas a duração e intensidade das emoções é diferente, sendo fundamental ser avaliado por um psiquiatra ou psicólogo para saber o diagnóstico correto e iniciar o tratamento adequado.

Características da síndrome de Borderline

As características mais comuns das pessoas que têm a Síndrome de Borderline são:

  • Alterações do humor que podem durar horas ou dias, variando entre momentos de ira, depressão e ansiedade;
  • Irritabilidade e ansiedade que pode provocar agressividade;
  • Medo de ser abandonado por amigos e familiares;
  • Instabilidade nas relações, podendo causar distanciamento;
  • Impulsividade e dependência por jogos, gasto de dinheiro descontrolado, consumo exagerado de comida, uso de substâncias e, em alguns casos, não cumprindo regras ou leis;
  • Pensamentos e ameaças suicidas;
  • Insegurança em si próprio e nos outros;
  • Dificuldade em aceitar críticas;
  • Sensação de solidão e de vazio interior.

Os portadores deste transtorno têm medo que as as emoções fujam do seu controle, demonstrando tendência para se tornarem irracionais em situações de maior estresse e criando uma grande dependência dos outros para conseguirem estar estáveis.

Em alguns casos mais graves, pode ocorrer automutilação e até suicídio, devido à enorme sensação de mal-estar interior. Conheça mais detalhes sobre os sintomas em: Saiba se é síndrome de borderline.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico deste transtorno é feito através da descrição do comportamento relatado pelo paciente e observadas por um psicólogo ou psiquiatra.

Além disso, é importante fazer exames fisiológicos, como hemograma e sorologia, para a exclusão de outras doenças que também podem explicar os sintomas apresentados.

Teste online de Borderline

Experimente fazer o teste para saber se pode ter esta síndrome:

Saiba o seu risco de desenvolver borderline

Começar o teste
Imagem ilustrativa do questionário
Eu quase sempre me sinto "vazio".
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Faço frequentemente uma das seguintes atividades: dirijo perigosamente, faço sexo inseguro, abuso do álcool ou uso drogas.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Às vezes, quando estou estressada(o) – especialmente quando alguém me abandona - fico muito paranóica(o).
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Muitas vezes espero demais das pessoas.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Às vezes fico irada(o), extremamente sarcástica(o) e amarga(o), e sinto que tenho muita dificuldade em controlar essa raiva.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Tenho comportamentos de auto-mutilação, auto-agressão, ou pensamentos suicida que ameaçam a minha vida.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Meus objetivos podem mudar a qualquer momento, e também a forma como me vejo e vejo os outros.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Tenho medo que os outros me abandonem ou me deixem, então faço esforços frenéticos para evitar esse abandono.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Meu humor muda completamente de uma hora para outra.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
O meu ponto de vista sobre os outros, especialmente aqueles que são importantes para mim, pode mudar a qualquer momento.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Eu diria que a maioria dos meus relacionamentos amorosos têm sido muito intensos, mas não muito estáveis.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente
Atualmente tenho problemas na vida que me impedem de ir à escola, trabalhar ou estar com meus amigos.
  • Concordo Totalmente
  • Concordo
  • Nem concordo nem discordo
  • Discordo
  • Discordo Totalmente

Causas e consequências da síndrome

As causas do transtorno de personalidade limítrofe de personalidade ainda não são claras, no entanto algumas investigações sugerem que​ pode ocorrer devido a predisposição genética, alterações no cérebro, principalmente nas áreas do cérebro responsáveis pelo controle dos impulsos e das emoções, ou quando, pelo menos, um parente próximo apresenta este distúrbio.

A Síndrome de Borderline pode levar à perda de laços familiares e de amizade, o que gera solidão, além de dificuldades financeiras e de manter o emprego. Todos esses fatores associados às variações de humor podem levar à tentativa de suicídio.

Como é feito o tratamento

O tratamento do Síndrome de Borderline deve ser iniciado com sessões de psicoterapia, que podem ser feitas individualmente ou em grupo. Os tipos de psicoterapia utilizados geralmente são a terapia comportamental dialética, que é mais usada com pessoas que tentaram o suicídio, ou a terapia cognitivo-comportamental, que pode reduzir bastante as alterações de humor entre ânimo e ansiedade.

Além disso, pode ainda ser aconselhado o tratamento com remédios, que embora não sejam a primeira forma de tratamento, devido aos seus efeitos colaterais, ajudam a tratar alguns sintomas. Os remédios que geralmente são recomendados incluem os antidepressivos, os estabilizadores de humor e os calmantes, que devem sempre ser prescritos pelo psiquiatra.

Este tratamento é fundamental para o paciente se manter controlado, mas requer paciência e força de vontade do indivíduo.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em março de 2022. Revisão médica por Dr. Gonzalo Ramirez - Clínico Geral e Psicólogo, em março de 2022.
Revisão médica:
Dr. Gonzalo Ramirez
Clínico Geral e Psicólogo
Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.