Ouvido sangrando (otorragia): 6 causas comuns e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
abril 2022

O ouvido sangrando pode ser causado pela ruptura do tímpano, infecção no ouvido, barotrauma, lesão na cabeça ou presença de algum objeto que ficou preso no ouvido, por exemplo.

O sangramento pode acontecer na parte externa, média ou interna do ouvido, dependendo da causa, e pode estar associado a outros sintomas como tonturas, perda da audição ou febre, por exemplo.

Por isso, em caso de ouvido sangrando, o ideal é consultar o clínico geral ou otorrinolaringologista para que seja feita uma avaliação, seja identificada a causa e, assim, iniciado o tratamento mais adequado, evitando possíveis complicações.

As principais causas do ouvido sangrando são:

1. Perfuração do tímpano

A perfuração no tímpano pode causar sintomas como sangramento no ouvido, dor e desconforto no local, perda de audição, zumbido e vertigem que pode ser acompanhada por náuseas ou vômitos. Saiba o que pode causar a perfuração do tímpano.

O que fazer: geralmente, as perfurações do tímpano regeneram ao fim de algumas semanas, no entanto, durante este período, deve-se proteger o ouvido com um algodão ou um tampão adequado, quando se estiver em contacto com a água. O médico pode ainda indicar o uso de antibióticos e anti-inflamatórios.

2. Otite média

Uma otite média é uma inflamação do ouvido, que geralmente resulta de uma infecção e que pode causar sintomas como pressão ou dor no local, febre, problemas de equilíbrio e secreção de líquido. Veja como identificar uma otite média.

O que fazer: o tratamento depende do agente causador da otite, mas geralmente é feito com analgésicos e anti-inflamatórios e, quando necessário, o médico pode ainda prescrever um antibiótico.

3. Barotrauma

O barotrauma do ouvido caracteriza-se por uma grande diferença de pressão entre a região exterior do canal auditivo e a região interior, o que pode acontecer quando ocorrem mudanças repentinas de altitude, podendo causar lesões no tímpano.

O que fazer: geralmente, o tratamento consiste na administração de analgésicos e, em casos mais graves, pode ser necessário recorrer à correção cirúrgica.

4. Objeto preso no ouvido

O sangramento resultante de objetos que ficam presos no ouvido, ocorrem geralmente em crianças, podendo ser perigoso se não for detectado a tempo.

O que fazer: deve-se sempre evitar deixar objetos de pequena dimensão ao alcance das crianças. Caso algum objeto fique preso no ouvido, o ideal é ir imediatamente ao médico otorrinolaringologista, para que este objeto seja retirado com dispositivos médicos adequados.

5. Lesão na cabeça

Em alguns casos, uma lesão na cabeça causada por uma queda, acidente ou pancada, pode levar ao aparecimento de sangue no ouvido, o que pode ser um sinal de sangramento em torno do cérebro.

O que fazer: nestes casos, deve-se ir imediatamente à urgência médica e sejam realizados exames diagnósticos, de forma a evitar que ocorram danos graves no cérebro.

6. Câncer no ouvido

Apesar de ser uma situação rara, o câncer no ouvido pode ser uma das causas do sangramento no ouvido, principalmente quando se trata de um carcinoma de células escamosas do canal auditivo externo ou de um carcinoma de células basais, que podem ter como sintomas dor no ouvido, saída de pus e/ou sangue e inflamação dos gânglios linfáticos, nos casos mais avançados.

Esses tipos de câncer podem se desenvolver devido à exposição solar prolongada e infecções crônicas do ouvido, o que pode ser consequência de diagnóstico, tratamento inadequado ou resistência aos antibióticos.

O que fazer: caso seja notada a saída de pus ou sangue e dor intensa no ouvido, é fundamental consultar o otorrinolaringologista para que seja feita uma avaliação profunda do canal auditivo e sejam solicitados os exames necessários para descartar ou confirmar o diagnóstico de câncer no ouvido e iniciar o tratamento mais adequado, caso seja necessário.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em abril de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em novembro de 2019.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.