Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sangramento na gravidez: Causas e o que fazer em cada trimestre

O sangramento vaginal na gravidez é um problema bastante comum e nem sempre indica problemas graves, mas é importante que seja avaliado pelo médico assim que a mulher note a sua presença, já que também é possível que indique uma situação grave.

Perdas ligeiras de sangue de cor rosa escuro, vermelho ou meio acastanhado podem ser normais e resultar das alterações que ocorrem no corpo da mulher. Entretanto, também podem indicar situações preocupantes, como um aborto espontâneo ou uma gravidez ectópica, que é a gravidez fora do útero, por exemplo, principalmente se tornarem-se abudantes e de cor vermelho-vivo.

Assim, algumas situações que podem levar ao sangramento durante a gravidez são:

  • Sangramento de escape ou spotting;
  • Gravidez ectópica;
  • Descolamento ovular;
  • Descolamento da placenta;
  • Placenta prévia;
  • Aborto espontâneo;
  • Infecção uterina.

Como existem diversas causas, tornando difícil diferenciar entre as causas de sangramento, é muito importante procurar o atendimento do obstetra o mais rápido possível, para que sejam feitas as avaliações e os tratamentos necessários o mais rápido possível.

Além disso, as possíveis causas de sangramento podem variar de acordo com o período da gravidez, podendo ser:

Sangramento na gravidez: Causas e o que fazer em cada trimestre

1. No primeiro trimestre

O sangramento no primeiro trimestre da gravidez é comum nos primeiros 15 dias após a concepção e, neste caso, o sangramento é rosado, dura cerca de 2 dias e provoca cólicas iguais as da menstruação.

Este pode ser o primeiro sintoma que indica gravidez em algumas mulheres, sendo importante confirmar realizando-se o teste de gravidez

  • O que pode ser: apesar de poder ser normal este sangramento neste período, caso ele seja intenso, de cor vermelho-vivo ou acompanhado de náuseas e cólicas, podem indicar um aborto espontâneo ou uma gravidez ectópica, que é a gravidez fora do útero.
  • O que fazer: é importante entrar em contato imediato com o obstetra ou ir ao pronto-socorro, para avaliação das possíveis causas.

Durante os primeiros 3 meses de gravidez a mulher também pode apresentar um corrimento de cor escura, tipo borra de café, mas que, como não está relacionada com o ciclo menstrual, pode aparecer em qualquer dia. Neste caso, por poder se tratar de um descolamento ovular que pode levar a aborto. Veja mais detalhes em: Descolamento ovular.

2. No segundo trimestre

O segundo trimestre de gravidez inclui o período de tempo entre o 4º e o 6º mês de gestação, que começa na 13ª semana e termina na 24ª semana de gravidez. 

  • O que pode ser: A partir dos 3 meses, o sangramento na gravidez é incomum e pode indicar descolamento da placenta, aborto espontâneo, placenta de inserção baixa, infecção do colo do útero ou um ferimento no útero causado pelo contato íntimo.
  • O que fazer: É recomendado que a grávida vá o mais rápido possível ao atendimento com obstetra ou pronto-socorro.

Sangramentos preocupantes, geralmente, são acompanhados de outros sinais de alerta, como dor abdominal, febre ou diminuição dos movimentos fetais, por exemplo. Saiba mais sobre como identificar em 10 sinais de alerta na gravidez.

3. No terceiro trimestre

Quando o sangramento acontece após as 24 semanas de gestação, já pode indicar sinais de trabalho de parto, apesar de também poder indicar alguns problemas.

  • O que pode ser: algumas situações podem ser placenta prévia ou descolamento da placenta. Além disso, algumas mulheres também podem apresentar um pequeno sangramento no final da gravidez devido ao trabalho de parto, saída do tampão mucoso e rompimento das membranas, que, normalmente, é acompanhado por contrações irregulares que indicam que o bebê irá nascer em breve. Saiba mais sobre este sangramento normal em: Como identificar o tampão mucoso.
  • O que fazer: a grávida deve ir imediatamente ao pronto-socorro e avisar ao obstetra que a acompanha.

Nestes últimos 3 meses, é ainda frequente que a mulher apresente sangramento após o contato íntimo, uma vez que o canal de parto se torna mais sensível, sangrando com facilidade. Neste caso a mulher só deve ir ao hospital se o sangramento continuar por mais de 1 hora.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...