Descolamento ovular: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
abril 2022

O descolamento ovular, cientificamente chamado de hematoma subcoriônico ou retrocoriônico, é uma situação que pode acontecer durante o primeiro trimestre de gravidez e é caracterizado pelo acúmulo de sangue entre a placenta e o útero devido ao descolamento do óvulo fecundado da parede do útero.

Na maioria dos casos, o descolamento ovular não causa sintomas, já que desaparece ao longo da gestação, mas algumas mulheres podem apresentar cólicas abdominais e sangramento, sendo importante que o médico seja consultado.

Caso exista suspeita de descolamento ovular, o ginecologista pode recomendar a realização de exames de imagem, para confirmar o diagnóstico e, assim seja iniciado o tratamento mais adequado para prevenir complicações, como nascimento prematuro e aborto.

Sintomas do descolamento ovular

O descolamento ovular normalmente não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas e o hematoma formado é normalmente absorvido pelo organismo ao longo da gestação, sendo apenas identificado e monitorado durante a realização do ultrassom. No entanto, em alguns casos o descolamento ovular pode levar ao aparecimento de alguns sintomas, sendo os principais:

  • Cólica abdominal;
  • Sangramento excessivo;
  • Dor abdominal.

Nos casos leves de descolamento ovular, o hematoma desaparece naturalmente até ao 2º trimestre de gestação, pois é absorvido pelo organismo da grávida, porém, quanto maior for o hematoma, maior o risco de aborto espontâneo, parto prematuro e descolamento da placenta e, por isso, é importante que o médico seja consultado na suspeita de descolamento ovular.

Possíveis causas

O descolamento ovular ainda não possui causas muito bem definidas, no entanto acredita-se que pode acontecer devido à realização excessiva de atividade física ou às alterações hormonais comuns durante a gravidez.

Assim, é importante que a mulher tenha alguns cuidados durante o primeiro trimestre de gestação para evitar o descolamento ovular e suas complicações.

Como deve ser o tratamento

O tratamento para descolamento ovular deve ser iniciado o mais rápido possível para evitar complicações graves como aborto ou descolamento da placenta, por exemplo. Geralmente, o descolamento ovular diminui e acaba desaparecendo com repouso, ingestão de cerca de 2 litros de água por dia, restrição de contacto íntimo e a ingestão de um remédio hormonal com progesterona, chamado de Utrogestan.

Porém, durante o tratamento o médico também poderá orientar sobre outros cuidados que a grávida deve ter para o hematoma não aumentar e que incluem:

  • Evitar ter contato íntimo;
  • Não ficar muito tempo de pé, preferindo ficar sentada ou deitada com as pernas elevadas;
  • Evitar fazer esforços, como limpar a casa e cuidar dos filhos.

Nos casos mais graves, o médico poderá ainda indicar o repouso absoluto, pode ser necessário a grávida fique internada para garantir a sua saúde e a do bebê.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em abril de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • RIOS, Lívia Teresa M.; OLIVEIRA, Ricardo V. B.; MARTINS, Marília da Glória et al. Anormalidades do primeiro trimestre da gravidez: ensaio iconográfico. Radiol Bras. Vol 43. 2 ed; 125-132, 2013
  • TELESSAÚDE RS. Qual a conduta frente ao achado de hematoma subcoriônico no primeiro trimestre da gestação?. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/telessauders/perguntas/qual-conduta-frente-ao-achado-de-hematoma-subcorionico-no-primeiro-trimestre-da-gestacao/>. Acesso em 27 abr 2022
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.