5 remédios diuréticos para desinchar e como usar

Os diuréticos são medicamentos que aumentam o volume de urina produzida, por aumentarem a excreção de água pelos rins em resposta a um aumento da eliminação de sal ou diminuição da sua reabsorção nos túbulos renais. Assim, com a redução da quantidade de líquido circulante na corrente sanguínea, a pressão nas artérias e o inchaço causado pela retenção de líquidos, são reduzidos.

A Furosemida, Hidroclorotiazida ou Espironolactona são exemplos de remédios diuréticos, que servem para o tratamento de problemas como pressão alta, insuficiência cardíaca e inchaços nos tornozelos, pés e pernas, causados por alterações no funcionamento do coração ou doenças no fígado ou rins, por exemplo.

Existem diferentes tipos de diuréticos que podem ser usados para tratar o inchaço, que incluem os diuréticos poupadores de potássio, os tiazídicos, de alça, inibidores da anidrase carbônica ou osmóticos, embora estes dois últimos sejam usados com menos frequência. Os diuréticos só devem ser usados com orientação de um médico, uma vez que o tipo de diurético deve ser adaptado ao objetivo específico do tratamento.

5 remédios diuréticos para desinchar e como usar

Alguns dos principais remédios diuréticos usados são:

1. Furosemida

A furosemida (Lasix, Neosemid) é um diurético de alça, sendo indicado para o tratamento da hipertensão e do inchaço causado por doenças no coração, fígado ou rins ou inchaços cerebrais ou causados por queimaduras.

Além disso, é indicado para o tratamento da gestose, uma doença hipertensiva que surge no último trimestre da gestação, e para facilitar a eliminação da urina em caso de envenenamento. As doses recomendadas devem ser indicadas pelo médico, pois dependem do problema a tratar.

2. Hidroclorotiazida

A hidroclorotiazida é um diurético tiazídico (Clorana), indicado para o controle da pressão arterial e no tratamento de inchaços causados por problemas no funcionamento do coração, cirrose, diabetes insipidus e para prevenção da formação de pedras de oxalato de cálcio nos rins. Podem ser recomendadas doses que variam entre os 25 e os 200 mg por dia, dependendo do problema a tratar e gravidade.

3. Espironolactona

A espironolactona (Aldactone, Diacqua) é um diurético poupador de potássio e é indicado no tratamento da pressão alta e inchaços causados por problemas no funcionamento do coração, doença no fígado ou rins. No entanto, devido à sua ação fraca, é normalmente combinado com outros diuréticos com as tiazidas para aumentar a sua ação. Geralmente, são recomendadas doses que variam entre os 50 e os 200 mg por dia, conforme as indicações dadas pelo médico. Veja como usar a espironolactona.

5 remédios diuréticos para desinchar e como usar

4. Amilorida

A amilorida também é um diurético poupador de potássio e está geralmente associado à hidroclorotiazida para o tratamento da pressão alta, redução do inchaço nos tornozelos, pés e pernas causados pela retenção de água e para o tratamento da ascite, que é o acumulo de água no abdômen causado por cirrose. Geralmente, é indicado tomar 1 comprimido de 50 mg/5 mg por dia, no entanto a dose pode variar de acordo com a doença a ser tratada.

5. Hidroclorotiazida e Espironolactona

Trata-se de uma combinação de 2 tipos distintos de diuréticos (Aldazida), indicados para o tratamento da pressão alta e inchaços causados por doenças ou problemas no coração, fígado ou rins. Além disso, está indicado como diurético em casos de retenção de líquidos. Geralmente, são indicadas doses que variam entre meio comprimido a 2 comprimidos de 50 mg + 50 mg por dia, dependendo do problema a tratar. Saiba mais sobre os efeitos colaterais deste remédio.

Como tomar diuréticos

Qualquer remédio com ação diurética apenas deve ser tomado sob indicação médica, pois quando usados incorretamente podem provocar desequilíbrio eletrolítico, que são alterações na quantidade de minerais importantes no sangue, causando sintomas como cansaço excessivo, náuseas, fraqueza e convulsões. Além disso, podem também surgir outros problemas como desidratação ou arritmias cardíacas, por exemplo.

Existem também diuréticos naturais, como o chá verde, ou alimentos diuréticos, como salsão, pepino ou limão, pois possuem efeito semelhante ao remédios, mas com menos riscos para a saúde. Veja uma lista mais completa de alguns diuréticos naturais.

No entanto, os diuréticos naturais não substituem os medicamentos indicados pelo médico e o seu uso em combinação com os medicamentos pode colocar a vida em risco e, por isso, antes de iniciar o uso de um diurético natural, é importante que o médico seja consultado.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: