Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Diuréticos: o que são, quais os tipos e como funcionam

Os diuréticos são remédios que podem ser usados isolados ou associados com outras substâncias ativas, para o tratamento da hipertensão arterial, inchaço causado por doenças do coração, do rim ou do fígado, entre outros.

Existem vários tipos de diuréticos disponíveis, como os tiazídicos, de alça, poupadores de potássio, osmóticos ou inibidores da anidrase carbônica, com diferentes mecanismos de ação e que atuam em diferentes regiões do rim, que devem ser prescritos consoante o problema a tratar.

Diuréticos: o que são, quais os tipos e como funcionam

1. Diuréticos tiazídicos

Estes diuréticos têm como mecanismo de ação a inibição da reabsorção de sódio na porção inicial do túbulo contornado distal do rim, aumentando a sua excreção, assim como a excreção de cloretos e, em menor escala, de potássio e magnésio, que levam consequentemente à eliminação de água. Estes remédios exercem uma potência moderada.

Nomes genéricos/comerciais: Alguns exemplos de diuréticos tiazídicos são a indapamida (Natrilix, Indapen, Flux), hidroclorotiazida (Diurix, Hidromed) e a clorotalidona (Higroton).

Indicações terapêuticas: Geralmente, os diuréticos desta classe são indicados para reduzir a pressão arterial e para o tratamento crônico de edemas associados a insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática e doença renal.

Efeitos colaterais mais comuns: Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com estes medicamento são vertigem, dor de cabeça, fraqueza, náuseas, vômitos, cólicas, diarreia, prisão de ventre, colecistite, pancreatite e alterações sanguíneas e dermatológicas.

2. Diuréticos de alça

Os diuréticos de alça atuam através da inibição da reabsorção de sódio no ramo ascendente da alça de Henle, levando a uma redução da reabsorção tubular de água. Além disso, estes remédios exercem também efeitos diretos sobre o fluxo sanguíneo, causando vasodilatação e redução da resistência vascular renal. Estes remédios têm um efeito diurético potente, com início de ação rápido e de curta duração

Nomes genéricos/comerciais: A furosemida (Lasix, Neosemid) é um exemplo de um diurético de alça muito usado. Saiba como usar e quais as contra-indicações da furosemida.

Indicações terapêuticas: Os diuréticos da alça estão indicados para o controle do edema pulmonar agudo e de outros tipos de edema mais ligeiros, insuficiência renal aguda e hipertensão arterial. Além disso, também podem ser usados para tratar a hipercalcemia aguda, já que promovem a excreção urinária de cálcio.

Efeitos colaterais mais comuns: Alguns dos efeitos colaterais que podem ocorrer durante o tratamento são distúrbios eletrolíticos, desidratação, hipovolemia, aumento nos níveis de creatinina e de triglicerídeos no sangue, crises de gota e aumento no volume urinário. 

Diuréticos: o que são, quais os tipos e como funcionam

3. Diuréticos poupadores de potássio

Estes remédios inibem a excreção de potássio a nível terminal do túbulo contornado distal e no tubo coletor, podendo exercer ou não uma ação antagonista da aldosterona.

A espironolactona é um antagonista específico da aldosterona, atuando principalmente no local de troca de íons sódio e potássio dependente de aldosterona, localizado no túbulo contornado distal do rim e levando ao aumento das quantidades de sódio e água a serem excretados, enquanto o potássio é retido.

Nomes genéricos/comerciais: Alguns exemplos de diuréticos poupadores de potássio são a amilorida, que só se encontra associada a outras substâncias ativas, e a espironolactona (Aldactone, Diacqua). Veja outras indicações terapêuticas da espironolactona.

Indicações terapêuticas: Os diuréticos poupadores de potássio exercem uma ação diurética fraca e, por isso, raramente se utilizam isoladamente no tratamento do edema ou hipertensão, sendo geralmente associados a outros diuréticos. A sua coadministração aumenta o efeito diurético e a resposta anti-hipertensiva a diuréticos tiazídicos e de alça. 

Efeitos colaterais mais comuns: Alguns dos efeitos adversos que podem ocorrer são expansão do volume extracelular, desidratação e hipernatremia.

4. Diuréticos osmóticos

Estes medicamentos elevam a osmolaridade do filtrado glomerular, que induz o movimento de água intracelular para um espaço extracelular e vascular, induzindo uma diurese acentuada, diminuindo consequentemente a pressão e o edema intracraniana e a pressão intraocular elevada.

Nomes genéricos/comerciais: Manitol a 20%. Saiba como é que o manitol é utilizado.

Indicações terapêuticas: O manitol a 20 % está indicado para o tratamento do edema cerebral, glaucoma agudo, insuficiência renal aguda e na preparação para cirurgia oftalmológica.

Efeitos colaterais mais comuns: Alguns dos efeitos adversos mais comuns que podem ocorrer são náusea, vômitos, sede, dor de cabeça, tontura, tremores, febres, aumento dos batimentos cardíacos, dor no peito, hipernatremia, desidratação, visão borrada, urticária ou hipertensão.

5. Diuréticos inibidores da anidrase carbônica

Estes remédios inibem a anidrase carbônica, que é uma enzima que catalisa uma reação química que envolve a hidratação do dióxido de carbono e a desidratação do ácido carbônico. Como resultado, ocorre a diminuição de ácido carbônico, o que leva à alcalinização da urina, promovendo a diurese. 

Nomes genéricos/comerciais: acetazolamida (Diamox). Saiba como usar e quais as contra-indicações do Diamox.

Indicações terapêuticas: Os inibidores da anidrase carbônica estão indicados para o tratamento do glaucoma, da alcalinização urinária, alcalose metabólica e doença aguda da montanha.

Efeitos colaterais mais comuns: Alguns dos efeitos adversos que podem ocorrer são acidose metabólica, expansão do volume de líquido extracelular, hiponatremia, dor de cabeça, sonolência, náuseas, vômitos e desidratação


Bibliografia

  • MOREIRA, Gisela Cipullo. Existem diferenças entre os diversos diuréticos?. Rev Bras Hipertens. 20. 2; 55-62, 2013
  • SILVA, Joel Abreu. Avaliação da importância dos diuréticos no controlo da Hipertensão Arterial. Tese de Mestrado, 2013. Universidade Fernando Pessoa Faculdade de Ciências da Saúde.
  • GEOLAB INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S/A. INDAPAMIDA. 2018. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 27 Mai 2019
  • NEO QUÍMICA. FUROSEMIDA. 2018. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 27 Mai 2019
  • FRESENIUS KABI BRASIL LTDA.. SOLUÇÃO DE MANITOL 20%. 2019. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 27 Mai 2019
  • UNIÃO QUÍMICA FARMACÊUTICA NACIONAL S.A. Diamox. 2014. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 27 Mai 2019
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem