Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Que tipo de Pólipo Intestinal pode virar câncer?

Os pólipos intestinais adenomatosos vilosos ou túbulo-vilosos podem virar câncer, no entanto, nem todos sofrerão esta transformação. Há maior risco de desenvolver o câncer colorretal nos pólipos sésseis, que são planos, e que possuem mais de 1 cm de diâmetro, e quanto maior o tamanho, maior o risco.

No entanto, a maioria dos pólipos intestinais são os hiperplásicos, que são benignos e raramente viram câncer. Tanto um como outro, podem ser identificados e retirados numa colonoscopia, diminuindo o risco de desenvolvimento do câncer. Veja como é feita a retirada dos pólipos intestinais.

Que tipo de Pólipo Intestinal pode virar câncer?

Quem tem mais risco de desenvolver câncer de intestino?

Alguns fatores que podem contribuir para o desenvolvimento do câncer colorretal são:

  • Presença de vários pólipos no intestino, sendo que quanto maior for o pólipo, maior a probabilidade de se tornar maligno;
  • Alimentação com poucas calorias e rica em gorduras de fonte animal;
  • Cigarro e consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Idade acima de 50 anos;
  • Em caso de doenças hereditárias como Polipose adenomatosa familiar, Síndrome de Gardner, Síndrome de Turcot e Síndrome de Lynch.

A presença de doenças inflamatórias intestinais como Colite ulcerativa e Doença de Crohn também aumentam o risco de desenvolvimento de câncer.

Como diminuir o risco dos pólipos virar câncer

Para diminuir o risco dos pólipos intestinais virarem câncer é recomendado retirar todos os pólipos com mais de 0,5 cm através da colonoscopia, mas além disso é importante praticar exercícios regularmente, ter uma alimentação rica em fibras, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, já que estes fatores facilitam o surgimento do câncer.

Que tipo de Pólipo Intestinal pode virar câncer?

Sintomas de pólipos intestinais

A maioria dos pólipos intestinais não gera sintomas, especialmente no início da sua formação e por isso é aconselhado fazer colonoscopia em caso de doenças inflamatórias no intestino ou a partir dos 50 anos de idade, já que é mais frequente a formação de pólipos a partir dessa idade.

Quando o pólipo já se encontra mais desenvolvido pode haver o surgimento de alguns sintomas, como por exemplo:

  • Mudança de hábito intestinal, que pode ser diarreia ou prisão de ventre;
  • Presença de sangue nas fezes, que pode ser visto a olho nu ou detectado num exame de sangue oculto nas fezes;
  • Dor ou desconforto abdominal como gases e cólicas intestinais.

O mais comum é que os pólipos intestinais causem sangramento após evacuar, sendo os restantes dos sintomas menos frequentes.

Como é feito o diagnóstico

Em caso de suspeita de pólipos intestinais o médico pode solicitar exames como radiografia e colonoscopia, que é o exame que serve para visualizar as paredes internas do intestino. Após identificar um pólipo com menos de 0,5 cm o médico pode decidir não retira-lo e repetir o exame após 3 anos. Não há necessidade de realizar o exame anualmente porque os pólipos demoram cerca de 5 anos para crescer e se modificar. Veja como se preparar para a colonoscopia.

Os pólipos com mais de 1 cm geralmente são retirados durante a colonoscopia e são enviados para análise do patologista para saber se existem células cancerígenas ou não. Se houver células cancerígenas o médico deverá encaminhar o paciente para oncologista para que ele indique o tratamento necessário.

Após o resultado da primeira colonoscopia, o médico irá orientar o paciente quando o exame deverá ser realizado novamente. Em geral, deve-se repetir a colonoscopia:

Situação do pacienteFazer novamente a colonoscopia após:
Ausência de pólipos intestinais10 anos
Pólipos hiperplásicos com menos de 1 cm10 anos
1 ou 2 adenomas tubulares com menos de 1 cm5 anos
3 a 10 adenomas tubulares3 anos
10 ou mais adenomas1 ou 2 anos
1 ou mais adenomas tubulares com mais de 1 cm3 anos
1 ou mais adenomas vilosos ou túbulo-vilosos3 anos
1 adenoma com sinais de displasia de alto grau3 anos

Os médicos gastroenterologista e proctologista são os mais indicados para tratar os pólipos intestinais e durante uma consulta todas as dúvidas poderão ser esclarecidas pessoalmente, sendo uma boa forma de acalmar o paciente.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade

LIVE | Saúde da Prostata

A Tatiana e o Manuel vão estar te esperando num encontro informal para falar tudo sobre problemas na próstata.

A sua presença vai fazer o evento ser mais especial.

Se inscreva e receba uma notificação quando começar, para não perder nenhum minuto.

Inscreva-se
* Não perca a oportunidade de fazer perguntas e participar deste momento em homenagem ao Novembro Azul.

Estamos ao vivo agora! Vem falar com a gente!

A Tati e o Manuel falam sobre problemas na próstata, o preconceito dos homens a respeito do exame de toque retal, e até sobre impotência sexual, que pode ser um complicação da detecção tardia desse tipo câncer.

Participe agora
* Vamos responder todas as perguntas que chegarem, sem tabus. Estamos te esperando!
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem