Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Pus na gengiva: o que pode ser e o que fazer

janeiro 2023

O pus na gengiva geralmente surge como resultado de uma infecção na gengiva ou no dente, devido a condições odontológicas, como periodontite, cárie profunda ou abscessos, por exemplo.

Dependendo da sua causa, a presença de pus na gengiva pode estar acompanhada de outros sintomas, como dor ou desconforto na gengiva, sangramento, inchaço, vermelhidão, presença de um caroço ou bolha na gengiva, febre ou dificuldade para abrir a boca, por exemplo.

É importante consultar o dentista sempre que surgir pus na gengiva para que seja identificada sua causa e iniciado o tratamento mais adequado, que pode ser feito com a limpeza bucal, tratamento do canal, além do uso de antibióticos, em alguns casos.

Imagem ilustrativa número 1

Principais causas de pus na gengiva

As principais causas de pus na gengiva são:

1. Fístula dental

A fístula dental é uma bolha com pus, que pode surgir perto da gengiva ou no interior da boca, como resultado da reação do sistema imunológico do organismo para combater uma infecção.

Apesar de não causar sintomas, a causa da fístula precisa ser identificada pelo dentista, de forma a fazer o tratamento e evitar complicações. Saiba como identificar um fístula dental.

O que fazer: o tratamento deve ser feito pelo dentista que pode realizar a limpeza bucal para eliminar a possível causa da fístula, fazer a drenagem do pus e, em alguns casos, tratar algum dente que esteja infectado. Além disso, pode ainda ser necessário e uso de antibióticos.

É ainda importante melhorando os hábitos de higiene bucal, para evitar a ocorrência de infecções e formação de fístulas, como escovar os dentes após as refeições, usar fio dental e enxaguantes bucais, além de ir periodicamente ao dentista. Veja como escovar os dentes corretamente.

2. Abscesso dentário

O abscesso dentário é uma espécie de bolsa cheia de pus causada por uma infecção bacteriana, que pode ocorrer em diferentes regiões do dente ou mesmo na gengiva, perto da raiz do dente, podendo causar sintomas, como dor muito intensa, sensibilidade ao frio e ao quente e inchaço.

Geralmente, o abscesso acontece devido a uma cárie que não é tratada, a um siso que não tem espaço para nascer, a um ferimento ou a um trabalho dentário mal executado. Veja como identificar um abscesso dentário.

O que fazer: o tratamento pode ser feito pelo dentista através da drenagem do líquido do abscesso, de desvitalização, administração de antibióticos ou, em casos mais graves, pode ser necessário a extração do dente afetado.

3. Alveolite purulenta

A alveolite é uma infecção do alvéolo, que corresponde à parte interior do osso onde se encaixa o dente, que pode ocorrer devido a uma má cicatrização, depois de se extrair um dente.

Os sintomas que podem surgir na alveolite purulenta, são a produção de pus e sangramento que provocam mau cheiro e dor intensa.

O que fazer: geralmente, o tratamento consiste na limpeza da região, realização de um curativo periodontal com eugenol, por exemplo, além da administração de antibióticos e anti-inflamatórios. Veja como é feito o tratamento da alveolite.

4. Periodontite

A periodontite é uma infecção na gengiva, que geralmente surge devido a gengivite não tratada, resultando na destruição dos tecidos que sustentam o dente, como o ligamento periodontal ou o osso alveolar, por exemplo, perda óssea e formação de abscesso cheio de pus na gengiva, podendo levar à perda do dente. Entenda o que é a gengivite.

Um dos sinais iniciais mais comum da periodontite, é o sangramento nas gengivas, que pode ocorrer com gestos simples, como a escovação ou a mastigação de alimentos. Em alguns casos, a pessoa pode perceber que tem um problema de saúde na boca, quando os dentes começam a ficar moles e a cair, sem nenhuma causa aparente.

O que fazer: o tratamento da periodontite consiste na raspagem da raiz do dente, no dentista, de forma a remover a placa bacteriana e as bactérias que destroem a estrutura óssea do dente. Em alguns casos, também pode ser necessário a administração de antibióticos. Veja todas as opções de tratamento para a periodontite

5. Cárie profunda

A cárie profunda pode afetar a polpa do dente e formar um abscesso apical, que é uma bolha cheia de pus na polpa do dente, podendo formar uma fístula que aparece na parte do fundo da gengiva.

Além disso, a cárie não tradada também pode levar ao surgimento de fístula e pus na gengiva.

O que fazer: o tratamento da cárie deve ser feito pelo dentista através da remoção da cárie e dos tecidos afetados, sob anestesia, ou através do canal, quando a cárie é mais profunda. Em alguns casos, pode ser necessária a remoção do dente afetado. Veja como é feito o tratamento do canal.

Assista ainda o vídeo seguinte e veja como cuidar dos dentes, de forma a reduzir as visitas ao dentista:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em janeiro de 2023.

Bibliografia

  • COPE, A. L.; et al. Systemic antibiotics for symptomatic apical periodontitis and acute apical abscess in adults. Cochrane Database Syst Rev. 9. 9; CD010136, 2018
  • BAYETTO, K.; et al. Dental abscess: A potential cause of death and morbidity. Aust J Gen Pract. 49. 9; 563-567, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • MARQUES, M. M.; MARTINS, V. A. O.; ZAMBON, C. E. Diagnóstico e tratamento das alveolites. 2019. Disponível em: <http://dspace.unisa.br/bitstream/handle/123456789/442/MARQUES%2C%20M.%20M.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em 05 jan 2023
  • RAKHSHAN, V. Common risk factors of dry socket (alveolitis osteitis) following dental extraction: A brief narrative review. J Stomatol Oral Maxillofac Surg. 119. 5; 407-411, 2018
  • CANDOTTO, V.; et al. Complication in third molar extractions. J Biol Regul Homeost Agents. 33. 3 Suppl. 1; 169-172, 2019
  • MEHROTRA, N.; SINGH, S. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Periodontitis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK541126/>. Acesso em 05 jan 2023
  • NATIONAL INSTITUTE OF DENTAL AND CRANIOFACIAL RESEARCH. Periodontal (Gum) Disease. 2017. Disponível em: <https://www.nidcr.nih.gov/sites/default/files/2017-09/periodontal-disease_0.pdf>. Acesso em 27 mar 2020
  • BRITO, Géssica Oliveira Gomes. ALVEOLITE E SEUS ASPECTOS ATUAIS. Trabalho de conclusão de curso de Odontologia para obtenção do grau de Bacharel, 2017. Universidade Tiradentes.
  • RAFFAELLI, Marcelo P. Etiologia da Doença Periodontal: Revisão de Literatura. Tese de Mestrado, 2016. Universidade Fernando Pessoa - Faculdade de Ciências da Saúde.
  • ARAUJO, Ana Márcia M. S. Doença Periodontal: um fator de risco para gestantes. Trabalho de Conclusão de Curso de Especialização, 2011. Universidade Federal de Minas Gerais.
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • Como tratar gengivite e mau hálito

    07:48 | 150453 visualizações
  • Como economizar no dentista

    06:23 | 26019 visualizações
  • Como Aliviar a dor de dente

    06:45 | 290602 visualizações
  • ALIMENTOS QUE PREVINEM CÁRIES

    04:03 | 63538 visualizações
  • 3 DICAS PARA AUMENTAR A SAÚDE DOS DENTES

    02:00 | 28506 visualizações