Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Prolapso da válvula mitral: o que é, como identificar e tratar

O prolapso da válvula mitral é uma alteração presente na válvula mitral, que é uma válvula cardíaca formada por dois folhetos, que ao fecharem, separa o átrio esquerdo do ventrículo esquerdo do coração.

O prolapso da válvula mitral é caracterizado por uma falha no fechamento dos folhetos da mitral, onde um ou os dois folhetos, podem apresentar um deslocamento anormal durante a contração do ventrículo esquerdo. Esse fechamento anormal, pode facilitar a passagem indevida de sangue, do ventrículo esquerdo para o átrio esquerdo, conhecida como regurgitação mitral.

É uma alteração comum e na maioria dos casos é assintomática e não traz prejuízos para a saúde, podendo acontecer tanto em homens quanto em mulheres.

Prolapso da válvula mitral: o que é, como identificar e tratar

Principais sintomas

O prolapso de válvula mitral, na maioria dos casos, é assintomático e é descoberto durante a realização de um Ecocardiograma de rotina. Quando o achado ecográfico de prolapso está associado a presença de sintomas e a ausculta de um sopro cardíaco, passa a ser conhecido como síndrome do prolapso mitral.

Os principais sintomas que podem ser indicativos de prolapso da válvula mitral são dor no peito, palpitações, fraqueza e falta de ar após o esforço, dormência nos membros e dificuldade para respirar na posição deitada. Conheça outros sintomas do prolapso da válvula mitral.

O prolapso da válvula mitral é grave?

O prolapso da válvula mitral na maior parte dos casos, não é grave e não apresenta sintomas, não devendo portanto, afetar o estilo de vida de forma negativa. Quando surgem sintomas, podem ser tratados e controlados com medicamento e cirurgia. Apenas cerca de 1% dos pacientes com prolapso de válvula mitral vão apresentar piora do problema, podendo no futuro, necessitar de cirurgia para a troca da válvula.

Quando o prolapso mitral é muito grande, há um maior o risco de retorno de sangue para o átrio esquerdo, podendo agravar um pouco mais o quadro. Nesse caso, se não for tratado da forma correta, pode trazer complicações como infecção das válvulas do coração, vazamento grave da válvula mitral e batimento cardíaco irregular, com arritmias graves.

Causas do prolapso da válvula mitral

O prolapso da válvula mitral pode acontecer devido a alterações genéticas, sendo transmitida de pais para filhos, sendo considerada causa hereditária, ou devido a causas desconhecidas, aparecendo sem motivo (causa primária).

Além disso, o prolapso da válvula mitral pode acontecer devido à associação com outras doenças, como síndrome de Marítima, infarto, Síndrome de Ehlers-Danlos, doenças de graves, doença renal policística e febre reumática. Além disso, pode ser acontecer após cirurgia na válvula mitral.

Como diagnosticar

O diagnóstico do prolapso da válvula mitral é feito pelo cardiologista com base no histórico clínico e sintomas apresentados pelo paciente, além de exames como o ecocardiograma e a ausculta do coração, em que são avaliados os movimentos de contração e relaxamento do coração.

Durante a ausculta cardíaca, ouve-se um som de estalo conhecido click mesossistólico logo após o início da contração do ventrículo. Caso haja retorno de sangue para o átrio esquerdo devido ao fechamento inadequado da válvula, pode-se ouvir um sopro cardíaco logo após o click.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o prolapso da válvula mitral normalmente não é necessário quando não há sintomas. No entanto, quando há o aparecimento de sintomas, pode ser recomendado pelo cardiologista o uso de alguns medicamentos para controle dos sintomas, como os Antiarrítimicos, por exemplo, que ajudam a controlar os batimentos cardíacos irregulares e previnem a taquicardia ventricular que pode acontecer em alguns casos raros de prolapso de válvula mitral.

Além disso pode ser recomendado o uso de medicamentos diuréticos para ajudar a retirar o excesso de líquido que retorna para os pulmões, betabloqueadores, caso haja palpitações ou dores no peito, e anticoagulantes, que ajudam a prevenir a formação de coágulos.

Nos casos mais graves, onde há um grande vazamento de sangue para o átrio esquerdo, é necessária cirurgia para reparar ou substituir a válvula mitral.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar