Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Insuficiência mitral: o que é, tipos, sintomas e tratamento

A insuficiência mitral, também chamada de Regurgitação mitral, acontece quando a válvula mitral, que é uma estrutura do coração que separa o átrio esquerdo do ventrículo esquerdo do coração quando está fechada, está com defeito, o que resulta em alteração da circulação sanguínea, levando ao aparecimento de alguns sintomas, como falta de ar e inchaço nos pés e nos tornozelos, por exemplo.

Na insuficiência mitral, a válvula mitral, que permite a passagem do sangue do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo não fecha totalmente, fazendo com que um pequeno volume de sangue retorne para os pulmões ao invés de sair do coração para irrigar o corpo, como deveria.

A circulação fica mais prejudicada quanto mais danificada estiver a válvula mitral, que normalmente perde a força com a idade, ou após um infarto do miocárdio, por exemplo. Porém, a insuficiência mitral também pode ser um problema de nascença. De qualquer forma, a insuficiência mitral pode ser tratada com remédios ou cirurgia.

Insuficiência mitral: o que é, tipos, sintomas e tratamento

Sintomas da Insuficiência Mitral

Os sintomas de Insuficiência Mitral podem demorar anos para aparecer, uma vez que essa alteração acontece de forma progressiva, sendo, portanto, mais frequente em pessoas com a idade um pouco mais avançada. Os principais sintomas indicativos de Insuficiência Mitral são:

  • Falta de ar, especialmente ao fazer algum esforço ou quando for dormir;
  • Cansaço;
  • Tosse, principalmente à noite;
  • Palpitações no coração e coração acelerado;
  • Inchaço nos pés e tornozelos.

Na presença destes sintomas, a pessoa deve consultar o cardiologista para que possa ser realizada a ausculta do coração bem como outros exames, como eletrocardiograma, raio-X de tórax ou ecocardiografia para que seja avaliada a gravidade da válvula mitral.

Causas da insuficiência mitral

A insuficiência mitral pode acontecer devido à doença coronariana, doenças reumáticas, endocardite infecciosa, doenças relacionadas com o colágeno, como a Síndrome de Marítima, por exemplo, e como efeito colateral de medicamentos, como a Fenfluramina ou Ergotamina, por exemplo.

Além disso, a insuficiência pode acontecer como resultado da própria válvula mitral devido ao envelhecimento, ser um problema de nascença ou acontecer após um infarto, pois a válvula mitral pode ficar afetada, sendo que também há um maior risco de se desenvolver insuficiência mitral se houver histórico da doença na família.

Como é o tratamento

O tratamento para a Insuficiência Mitral varia de acordo com a gravidade da doença, no entanto o cardiologista normalmente indica o uso de medicamentos diuréticos, betabloqueadores ou inibidores da enzima conversora de angiotensina. Em casos mais graves, é recomendada a realização de cirurgia cardíaca para correção ou substituição da válvula mitral, que é conhecida por Valvuloplastia. Entenda como é feita a valvuloplastia.

Tipos de Insuficiência Mitral

A insuficiência mitral pode ser classificada em vários tipos de acordo com a gravidade dos sintomas e causa em:

  1. Insuficiência mitral leve, mínima ou discreta, que não produz sintomas, não é grave e nem necessita de tratamento, sendo identificada apenas durante exame de rotina quando o médico escuta um som diferente ao realizar a ausculta do coração;
  2. Insuficiência mitral moderada, que causa sintomas inespecíficos e que não são graves, como o cansaço, por exemplo, não sendo necessário tratamento imediato. Nesses casos, o médico apenas ouve o coração do paciente e prescreve exames, como a ecocardiografia ou raio X de tórax para observar a válvula mitral e verificar se a insuficiência mitral piorou;
  3. Insuficiência mitral severa, em que há falta de ar, tosse e inchaço dos pés e tornozelos, sendo normalmente recomendado pelo médico o uso de remédios ou realização de cirurgia para correção ou substituição da válvula dependendo da idade do paciente;
  4. Insuficiência mitral aguda, que normalmente acontece devido à ruptura do músculo cardíaco devido a um infarto agudo do miocárdio ou de endocardite infecciosa, por exemplo. Nesse caso pode ser recomendada realização de cirurgia para reparar ou substituir a válvula;
  5. Insuficiência mitral crônica, que geralmente acontece com consequência de doenças reumáticas, prolapso de válvula mitral, calcificação da própria válvula mitral ou deficiência congênita da válvula. Esse tipo de insuficiência é progressiva e deve ser tratada com remédios ou cirurgia.

De acordo com o tipo de insuficiência o cardiologista consegue definir o melhor tipo de tratamento e, assim, evitar complicações e melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem