Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Prolactina baixa: principais causas e o que fazer

Fevereiro 2021

A prolactina baixa, conhecida cientificamente por hipoprolactinemia, não é comum nem grave e pode acontecer devido a lesões na hipófise, uso de remédios ou estar associada à Síndrome de Sheehan.

Os níveis baixos de prolactina não apresentam sintomas nem consequências para o organismo, exceto se a mulher estiver amamentando, o que pode provocar uma diminuição na quantidade de leite materno produzido.

A prolactina é considerada baixa quando os seus valores são menores que 2,8 ng/mL em mulheres não grávidas e  que não amamentam ou com valores menores que 9,7 ng/mL em mulheres grávidas. Confira para que serve o exame de prolactina e como entender o resultado.

Prolactina baixa: principais causas e o que fazer

A prolactina baixa pode acontecer devido a algumas situações, sendo as principais:

1. Uso de remédios

Os níveis de prolactina podem ficar baixos devido ao uso prolongado de remédios, conhecidos cientificamente por antagonistas da dopamina, como o dostinex, que podem ser indicados  para parar a produção de prolactina. Além disso, estes remédios também são utilizados para parar a produção de leite materno ou para diminuir os níveis de prolactina quando estão elevados.

O que fazer: nesses casos, é importante consultar o endocrinologista para que seja avaliada a necessidade de troca ou suspensão do medicamento de acordo com os níveis de prolactina. 

2. Hipopituitarismo

O hipopituitarismo acontece quando a hipófise, que é uma glândula localizada na parte inferior do cérebro responsável pela produção de hormônios como a prolactina, deixa de funcionar corretamente, provocando uma diminuição na produção desse hormônio.

O mau funcionamento da hipófise pode estar associado a lesões na hipófise causada por traumatismos ou devido à presença de tumores, o que pode levar ao desenvolvimento de alguns sintomas como  como dor de cabeça constante, inchaço no rosto ou cansaço fácil, além de diminuição nos níveis de prolactina e outros hormônios. Saiba reconhecer os sintomas de hipopituitarismo.

O que fazer: é importante consultar o endocrinologista para que, além da dosagem dos níveis de prolactina, possa ser investigada a causa da alteração da hipófise e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado, que normalmente envolve o uso de remédios para repor os níveis de prolactina.

3. Síndrome de Sheehan

A Síndrome de Sheehan é pouco comum de acontecer e é caracterizada pela destruição da hipófise após um parto com uma perda muito grande de sangue, levando à redução da produção de hormônios, como a prolactina, resultando em diminuição da produção de leite materno, e o hormônio do crescimento, o que leva a uma diminuição da massa muscular e aumento do risco de fraturas nos ossos.

O que fazer: nesse caso, é importante que a mulher seja avaliada pelo endocrinologista para que sejam feitos exames que avaliem o seu estado geral de saúde, incluindo a dosagem de prolactina, de forma a ser indicado o tratamento mais adequado, o que normalmente é feito com uso de remédios.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • PFIZER. Folheto informativo: Informação para o utilizador - Dostinex. 2020. Disponível em: <http://labeling.pfizer.com/ShowLabeling.aspx?id=4787>. Acesso em 24 Fev 2021
  • CARVALHO, Rute; OLIVEIRA, Conceição. Síndrome de Sheehan: uma falsa depressão pós-parto. AIMGF. 8. 1; 14-17, 2018
  • FÉRIA, Beatriz. Síndrome de Sheehan: uma revisão. Trabalho final para o Mestrado Integrado em Medicina, 2018. Faculdade de Medicina de Lisboa.
  • LLANES, Maria. Evolución del prolactinoma a largo plazo con tratamiento médico . TESIS DOCTORAL, 2012. Universidad Complutense de Madrid: Facultad de Medicina.
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE ENDOCRINOLOGIA, DIABETES E METABOLISMO. HIPOPITUITARISMO (DEFICIÊNCIA DE SECREÇÃO DAS HORMONAS DA HIPÓFISE). Disponível em: <https://www.spedm.pt/grupo-de-estudo-da-hipofise/hipopituitarismo-deficiencia-de-secrecao-das-hormonas-da-hipofise/>. Acesso em 24 Fev 2021
  • GUELHO, Daniela et al. Prolactina e metabolismo – uma perspetiva diferente de uma hormona multifuncional. Rev Port Endocrinol Diabetes Metab. 11. 2; 268–276, 2016
  • UNIVERSIDAD DE VALLADOLID. Hipoprolactinemia como posible efecto secundario del aripiprazol. Disponível em: <http://uvadoc.uva.es/handle/10324/41651>. Acesso em 24 Fev 2021
Mais sobre este assunto:

Carregando
...