Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é polidactilia, possíveis causas e tratamento

A polidactilia é uma deformidade que acontece quando nasce um ou mais dedos extras na mão ou no pé e pode ser causada por modificações genéticas hereditárias, ou seja, os genes responsáveis por essa alteração podem ser transmitidos de pais para filhos.

Esta alteração pode ser de vários tipos, como a polidactilia sindrômica que acontece em pessoas com determinadas síndromes genéticas, e a polidactilia isolada que é quando ocorre alteração genética relacionada apenas ao surgimento de dedos extras. A polidactilia isolada pode ser classificada como pré-axial, central ou pós-axial. 

Pode ser descoberta já na gravidez, através de ultrassom e testes genéticos, por isso durante a gestação é importante a realização do pré-natal e acompanhamento com médico obstetra, sendo que o tratamento depende da localização da polidactilia e, alguns casos, é indicada a cirurgia para retirada do dedo extra.

O que é polidactilia, possíveis causas e tratamento

Possíveis causas

Durante o desenvolvimento do bebê no útero da mãe, a formação das mãos acontecem até à sexta ou sétima semana de gestação e se, durante essa fase, acontecer alguma alteração, esse processo de formação pode ser prejudicado, levando ao surgimento de dedos a mais na mão ou no pé, ou seja, a polidactilia.

Na maioria das vezes, a polidactilia ocorre sem nenhuma causa aparente, entretanto, alguns defeitos nos genes transmitidos de pais para filhos ou a presença de síndromes genéticas podem estar relacionadas ao aparecimento de dedos extras. 

Na verdade, as causas relacionadas ao aparecimento da polidactilia não são totalmente conhecidas, mas alguns estudos apontam que filhos de afrodescendentes, de mães diabéticas ou que fizeram uso de talidomida durante a gravidez podem ter mais riscos de terem dedos a mais nas mãos ou nos pés.

Tipos de polidactilia

Existem dois tipos de polidactilia como a isolada, que ocorre quando a modificação genética altera apenas a quantidade de dedos nas mãos ou nos pés, e a polidactilia sindrômica que acontece em pessoas que têm síndromes genéticas, como a síndrome de Greig ou síndrome de Down, por exemplo. Saiba mais o que é síndrome de Down e outras características.

A polidactilia isolada é classificada em três tipos:

  • Pré-axial: acontece quando nasce um ou mais dedos do lado do polegar do pé ou da mão;
  • Central: consiste no crescimento de dedos extras no meio da mão ou do pé, porém é um tipo muito raro;
  • Pós-axial: é o tipo mais comum, ocorre quando o dedo a mais nasce ao lado do dedo mindinho, da mão ou do pé. 

Além disso, na polidactilia central, frequentemente, também acontece outro tipo de alteração genética como a sindactilia, que é quando os dedos extras nascem grudados um no outro.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de polidactilia pode ser realizado durante a gravidez através do ultrassom no primeiro trimestre da gestação, por isso é importante manter acompanhamento com médico obstetra e fazer o pré-natal.

Em alguns casos, quando médico suspeita de alguma síndrome no bebê, pode ser recomendado, para os pais, a realização de testes genéticos e coleta da história de saúde da família.

Após o bebê nascer, geralmente, não são necessários exames para diagnosticar a polidactilia, pois é uma alteração visível, no entanto, o pediatra ou ortopedista poderá solicitar um raio X para verificar se os dedos extras estão ligados aos outros dedos normais pelos ossos ou nervos. Além disso, caso seja indicada cirurgia de retirada do dedo a mais, o médico poderá solicitar outros exames de imagem e de sangue.

Opções de tratamento

O tratamento da polidactilia é indicado por um médico ortopedista e depende do local e da forma como o dedo extra está conectado aos outros dedos, pois podem partilhar de nervos, tendões e ossos que são estruturas importantes para o movimento das mãos e pés.

Quando o dedo extra se localiza no mindinho e é composto apenas de pele e gordura, o tratamento mais indicado é a cirurgia e normalmente é realizado em crianças até 2 anos. Porém, quando o dedo extra está implantado no polegar, a cirurgia também pode ser indicada, entretanto, costuma ser mais complicada, pois requer muitos cuidados para não prejudicar a sensibilidade e a posição do dedo.

Algumas vezes, adultos que não retiraram o dedo extra quando criança, podem optar por não fazer a cirurgia, já que ter um dedo a mais não causa nenhum problema de saúde.

Bibliografia >

  • BOSTON CHILDREN'S HOSPITAL. Polydactyly. 2019. Disponível em: <http://www.childrenshospital.org/conditions-and-treatments/conditions/p/polydactyly>. Acesso em 21 Nov 2019
  • AHMED, Humayun et al. Genetic Overview of Syndactyly and Polydactyly. Plast Reconstr Surg Glob Open. vol.5, n. 11. e1549, 2017
  • MALIK, S. Polydactyly: phenotypes, genetics and classification. Clin Genet 2014. Vol.85. 203-212, 2014
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem