Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Polidactilia: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

dezembro 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tipos
  4. Tratamento

A polidactilia é uma malformação congênita em que o bebê nasce com mais de 5 dedos na mão ou no pé, podendo ter um ou mais dedos extras, que geralmente são pequenos e mal desenvolvidos, sendo mais comum de surgir um dedo mindinho ou um polegar extra.

Essa condição, também chamada de hiperdactilia ou dedo extranumérico, é causada por alterações genéticas aleatórias ou hereditárias, levando apenas ao surgimento de dedos extras, sendo chamada de polidactilia isolada, ou ainda ser associada a outras condições ou síndrome, como anemia de Fanconi, síndrome de Patau ou trissomia do 21, chamada de polidactilia sindrômica.

A polidactilia pode ser identificada durante a gravidez, através de ultrassom ou testes genéticos, por isso durante a gestação é importante a realização do pré-natal e acompanhamento com o obstetra, sendo que o tratamento depende da localização da polidactilia e, alguns casos, é indicada a cirurgia para retirada do dedo extra.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de polidactilia

O principal sintoma da polidactilia é a presença de um ou mais dedos extras na mão ou no pé. Esses dedos extras podem apresentar algumas características, como:

  • Dedo extra pequeno, mal desenvolvido e não funcional;
  • Dedo extra sem osso, formado somente de pele e tecidos moles;
  • Dedo extra com osso, pele e tecidos moles, mas sem articulações;
  • Dedo extra totalmente formado, com pele, tecidos moles, ossos e articulações;
  • Ausência de dor no dedo extra.

O dedo extra é mais comum de surgir ao lado do dedo mindinho ou do polegar, e embora seja menos comum também pode surgir entre os dedos do meio da mão ou do pé.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de polidactilia pode ser feito pelo obstetra durante a gravidez através do ultrassom transvaginal na 9ª semana de gravidez, sendo possível visualizar os brotos dos dedos em formação, ou ultrassom morfológico no primeiro 1º trimestre, entre as semanas 11 e 13, da gestação, através do acompanhamento o pré-natal.

No caso de ser detectado um ou mais dedos extras, o médico deve fazer uma avaliação por ultrassom completa, obtendo imagens do coração, sistema nervoso e dos membros, além da translucência nucal, de forma a identificar doenças genéticas, como anemia de Fanconi, trissomia 13, trissomia 21, ou síndrome de Meckel-Gruber, por exemplo.

Além disso, o médico também deve avaliar o histórico familiar de polidactilia e outras síndromes, e a realização de testes genéticos. No caso da polidactilia isolada, o obstetra deve fazer um acompanhamento entre a 17ª e 34ª semanas da gestação, através do ultrassom com perfil biométrico.

Após o bebê nascer, geralmente, não são necessários exames para diagnosticar a polidactilia, pois é uma alteração visível, no entanto, o pediatra poderá solicitar um raio X para verificar se os dedos extras estão ligados aos outros dedos normais pelos ossos ou nervos. Além disso, caso seja indicada cirurgia de retirada do dedo a mais, o médico poderá solicitar outros exames de imagem e de sangue.

Possíveis causas

A polidactilia é causada por alterações genéticas que podem ocorrer sem nenhuma causa aparente. No entanto, alguns defeitos nos genes podem ser hereditários, sendo transmitidos de pais para filhos, e por isso, é comum ocorrer polidactilia em várias pessoas da mesma família. Além disso, a presença de síndromes genéticas podem estar relacionadas ao aparecimento de dedos extras.

As principais causas da polidactilia são:

Além disso, a polidactilia pode surgir devido a síndrome ou alteração de VACTERL, caracterizada por um conjunto de malformações congênitas, como defeitos vertebrais, cardíacos e dos membros, fístula traqueoesofágica e abertura do ânus ausente, bloqueada ou no local incorreto.

Durante o desenvolvimento do bebê, a formação das mãos acontecem até à sexta ou sétima semana de gestação e se, durante essa fase, se acontecer alguma alteração, esse processo de formação pode ser prejudicado, levando ao surgimento de dedos a mais na mão ou no pé.

Que tipo de herança é a polidactilia?

A polidactilia causada por alterações genéticas hereditárias, é um tipo de herança autossômica dominante, o que significa que o bebê herda um gene normal e um gene defeituoso, sendo que o gene alterado domina sobre o gene normal, fazendo com que a polidactilia se desenvolva.

Tipos de polidactilia

Existem dois tipos de polidactilia como a isolada, que ocorre quando a modificação genética altera apenas a quantidade de dedos nas mãos ou nos pés, e a polidactilia sindrômica que acontece em pessoas que têm síndromes genéticas.

A polidactilia isolada é classificada em três tipos:

  • Pré-axial: acontece quando nasce um ou mais dedos do lado do polegar do pé ou da mão;
  • Central: consiste no crescimento de dedos extras no meio da mão ou do pé, porém é um tipo muito raro;
  • Pós-axial: é o tipo mais comum, ocorre quando o dedo a mais nasce ao lado do dedo mindinho, da mão ou do pé.

Além disso, na polidactilia central, frequentemente, também acontece outro tipo de alteração genética como a sindactilia, que é quando os dedos extras nascem grudados um no outro.

Como é feito o tratamento

O tratamento da polidactilia é indicado por um médico ortopedista e depende do local e da forma como o dedo extra está conectado aos outros dedos, pois podem partilhar de nervos, tendões e ossos que são estruturas importantes para o movimento das mãos e pés.

Quando o dedo extra se localiza no mindinho e é composto apenas de pele e gordura, o tratamento mais indicado é a cirurgia e normalmente é realizado em crianças até 2 anos. Porém, quando o dedo extra está implantado no polegar, a cirurgia também pode ser indicada, entretanto, costuma ser mais complicada, pois requer muitos cuidados para não prejudicar a sensibilidade e a posição do dedo.

Algumas vezes, adultos que não retiraram o dedo extra quando criança, podem optar por não fazer a cirurgia, já que ter um dedo a mais não causa nenhum problema de saúde.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em dezembro de 2022.

Bibliografia

  • KELLY, D. M.; et al. Polydactyly of the Foot: A Review. J Am Acad Orthop Surg. 29. 9; 361-369, 2021
  • AL AMIN, A. S. M.; CARTER, K. R. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Polydactyly. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK562295/>. Acesso em 06 dez 2022
Mostrar bibliografia completa
  • MALIK, S. Polydactyly: phenotypes, genetics and classification. Clin Genet. 85. 3; 203-12, 2014
  • COMER, G. C.; et al. Polydactyly of the Hand. J Am Acad Orthop Surg. 26. 3; 75-82, 2018
  • MALIK, S. Polydactyly: phenotypes, genetics and classification. Clin Genet 2014. Vol.85. 203-212, 2014
  • AHMED, Humayun et al. Genetic Overview of Syndactyly and Polydactyly. Plast Reconstr Surg Glob Open. vol.5, n. 11. e1549, 2017
  • BOSTON CHILDREN'S HOSPITAL. Polydactyly. 2019. Disponível em: <http://www.childrenshospital.org/conditions-and-treatments/conditions/p/polydactyly>. Acesso em 21 nov 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.