Micose no pé (frieira): o que é, sintomas e tratamento

A micose no pé, também chamada de frieira, pé-de-atleta ou tinha dos pés, é um tipo de infecção causada pelo fungo do gênero Trichophyton que está presente na pele e não provoca nenhum sintoma em pele íntegra, mas quando encontra um local úmido e quente pode proliferar rapidamente causando coceira, vermelhidão, descamação e mau cheiro, sendo principalmente notada entre os dedos do pé.

A frieira tem cura mas o seu tratamento pode durar semanas, sendo feito com pomadas antifúngicas que podem ser compradas na farmácia e aplicadas no local de acordo com a recomendação do dermatologista. É importante realizar o tratamento para eliminar a coceira e o desconforto, evitando que o quadro piore e que surjam outras infecções na pele.

Micose no pé (frieira): o que é, sintomas e tratamento

Sintomas de frieira

Os sintomas de frieira surgem quando o fungo prolifera-se no local, o que acontece mais facilmente quando a pessoa pisa no chão molhado de vestiários e piscinas, por exemplo, não enxuga o pé corretamente ou passa muito tempo de meia ou sapatos abafados. Isso faz com que a região entre os dedos fique úmida e quentes, favorecendo o desenvolvimento do fungo. Os principais sintomas indicativos de frieira são:

  • Coceira na região afetada;
  • Descamação da pele;
  • A área pode ficar esbranquiçada;
  • Ardor local;
  • Mau cheiro.

É importante que na presença desses sintomas, a pessoa consulte o dermatologista para que seja possível iniciar o tratamento mais adequado, que normalmente é feito com pomadas antifúngicas. 

Como é feito o tratamento

O tratamento para micose de pé tem como objetivo eliminar o fungo que está em excesso e aliviar os sintomas, sendo importante que o dermatologista seja consultado para que seja indicado o melhor tratamento. É importante que o tratamento seja feito até o fim, mesmo que os sintomas desapareçam, pois assim é possível garantir a eliminação do fungo.

1. Pomadas para frieira

As pomadas com antifúngicos são frequentemente indicadas para o tratamento da frieira, podendo ser recomendado pelo médico o uso de pomadas contendo cetoconazol, fluconazol ou isoconazol, que devem ser aplicadas 2 a 3 vezes por dia durante 4 semanas, ou de acordo com a recomendação médica.

O tempo de tratamento é variável, mas é mais fácil curar a frieira ao usar a pomada diariamente e ter todo cuidado de manter a região sempre muito seca. Se isso não for respeitado, o tratamento pode demorar semanas ou meses. Caso não seja possível controlar os sintomas apenas com a aplicação das pomadas, o médico pode recomendar o uso de comprimidos. Veja mais sobre os remédios para frieira.

2. Tratamento caseiro

Um bom tratamento caseiro para frieira consiste em aplicar 1 dente de alho fresco amassado diretamente na frieira e deixar atuar por, pelo menos, 1 hora. O alho ajuda a combater a proliferação de micro-organismos na pele, tendo um bom efeito, mas é preciso que esteja fresco, seja bem amassado e esteja sempre em contato direto com a área afetada, por isso pode ser útil calçar uma meia para segurar o alho no local desejado. 

Algumas pessoas parecem apresentar hipersensibilidade ao alho. Dessa forma, caso se sinta queimação no local ou se surgirem outros sinais de inflamação, como vermelhidão ou inchaço é importante retirar o alho e lavar a pele com água fria. Idealmente, o alho não deve ser aplicado por mais de 1 hora.

Confira outras opções de remédios caseiros para frieira.

3. Cuidados essenciais

Para garantir que o tratamento realizado seja eficaz para aliviar os sintomas e combater o fungo, é importante ter alguns cuidados, como:

  • Evitar usar sapatos fechados sem meias de algodão;
  • Evitar que os pés fiquem transpirados;
  • Deixar sapatos fechados ao sol;
  • Tomar banho em banheiros públicos com chinelos;
  • Pulverizar pó antisséptico dentro do tênis ou do calçado fechado;
  • Secar muito bem entre os dedos dos pés com uma toalha felpuda ou secador de cabelos especialmente durante o tratamento.

Além disso, é importante evitar usar sapatos úmidos ou que sejam feitos de material sintético, como plástico, além de ser recomendado trocar de meia sempre que sentir o pé mais transpirado.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CIMED INDÚSTRIA DE MEDICAMENTOS LTDA. . NITRATO DE MICONAZOL . 2017. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=3591772017&pIdAnexo=5237372>. Acesso em 18 Jul 2019
  • PHARLAB INDÚSTRIA FARMACÊUTICA S.A.. cetoconazol creme. 2017. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=15632022017&pIdAnexo=8454585>. Acesso em 18 Jul 2019
  • HIPOLABOR FARMACÊUTICA LTDA. Cloridrato de Terbinafina. 2016. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=21269252016&pIdAnexo=3772096>. Acesso em 18 Jul 2019
  • BRAINFARMA INDÚSTRIA QUÍMICA E FARMACÊUTICA S.A. . Tefin (cloridrato de butenafina) . 2014. Disponível em: <https://cdn.remediobarato.com/pdf/1350e84a8cd07a1c446f73313ab5aa23.pdf>. Acesso em 18 Jul 2019
  • TEUTO. nitrato de miconazol . 2015. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=9673312015&pIdAnexo=2930912>. Acesso em 18 Jul 2019
  • NHS. Chilblains. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/chilblains/>. Acesso em 03 Ago 2020
  • NHS. Chilblains. Disponível em: <https://www.nhsinform.scot/illnesses-and-conditions/skin-hair-and-nails/chilblains>. Acesso em 03 Ago 2020
Mais sobre este assunto: