Plaquetas altas: o que pode ser, sintomas e tratamento

Atualizado em dezembro 2023

As plaquetas altas podem acontecer devido à prática intensa de atividade física, uso de medicamentos ou ser consequência do trabalho de parto. No entanto, o aumento da quantidade de plaquetas também pode ser indicativo de algumas doenças, como anemia, linfoma ou artrite reumatoide, por exemplo.

Pessoas com plaquetas altas normalmente não apresentam sintomas, sendo que essa condição geralmente é identificada através do exame de sangue. É considerado plaquetas altas quando são identificadas mais de 450.000 de 450.000/mm³ de sangue. Entenda melhor os valores de referência das plaquetas.

Caso seja identificado um aumento de plaquetas no sangue, que é conhecido também como trombocitose, é importante consultar o hematologista ou clínico geral para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Imagem ilustrativa número 2

Sintomas de plaquetas altas

Os principais sintomas que podem surgir com as plaquetas altas são:

  • Cansaço;
  • Insônia;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Falta de ar;
  • Formigamento das mãos e pés;
  • Dor no peito.

No entanto, é importante ressaltar que o aumento da quantidade de plaquetas só causa sintomas quando ocorre a formação de coágulos sanguíneos ou hemorragias.

A melhor forma de identificar plaquetas altas é através da realização de um exame de sangue com hemograma, onde é verificada a quantidade total de plaquetas circulantes, assim como das outras células do sangue e suas características.

Dúvidas sobre o resultado dos seus exames?

Nós te ajudamos! Marque uma consulta e receba orientação especializada sobre o que você precisa fazer.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Causas de plaquetas altas

As principais causas de plaquetas altas são:

  • Infecções causadas por vírus ou bactérias;
  • Hemorragia;
  • Anemias;
  • Câncer;
  • Reações alérgicas;
  • Prática intensa de atividade física;
  • Esplenectomia, que é a retirada do baço;
  • Doenças inflamatórias, como artrite reumatoide, doenças inflamatórias intestinais ou sarcoidose.

Além disso, as plaquetas também podem ficar altas durante a gravidez ou parto, ou ainda com o uso de medicamentos como aztreonam, ceftazidima, ibuprofeno, epinefrina ou glicocorticoides.

Valor de referência de plaquetas

O valor de referência para plaquetas é entre 150.000 e 450.000 por mm³ de sangue. É considerado plaquetas altas quando são identificadas mais de 450.000/mm³.

Como saber se o resultado está normal

Para saber se a quantidade de plaquetas do seu exame de sangue está normal, insira o resultado na calculadora a seguir:

Erro
Erro
Erro
Mínimo admitido, pode alterar para o valor do seu laboratório
Erro
Máximo admitido, pode alterar para o valor do seu laboratório
Erro

Tratamento para plaquetas altas

De acordo com a concentração de plaquetas no sangue, sintomas e estado geral de saúde da pessoa, o clínico geral ou hematologista, pode recomendar o uso de remédios como ácido acetilsalicílico ou hidroxiureia, para diminuir o risco de trombose e diminuir a produção de células sanguíneas pela medula óssea, respectivamente.

Além disso, caso a concentração de plaquetas seja muito elevada e colocar a vida da pessoa em risco devido ao grande risco de formação de coágulo, pode ser recomendada a realização da trombocitoaférese terapêutica, que é um procedimento no qual se extrai o excesso de plaquetas do sangue, ajudando a regular os valores de plaquetas circulante.