Peito chiando: 8 principais causas e o que fazer

O chiado no peito geralmente é sinal de algum tipo de doença respiratória, como DPOC ou asma. Isso acontece porque nesse tipo de condição existe um estreitamento ou inflamação das vias aéreas, que acaba dificultando a passagem do ar e causa o surgimento de um som característico, conhecido como chiado.

No entanto, o chiado também pode ser indicativo de algum problema cardíaco, já que o mau funcionamento do coração pode facilitar o acúmulo de líquidos no pulmão, dificultando a passagem do ar nas vias aéreas.

Assim, e uma vez que o chiado está quase sempre relacionado com algum tipo de problema de saúde é recomendado consultar um clínico geral para tentar entender a causa, ser encaminhado para o melhor especialista e iniciar o tratamento mais adequado.

Peito chiando: 8 principais causas e o que fazer

A seguir indicamos algumas das causas mais comuns para o aparecimento de chiado no peito:

1. Asma

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, que causa dificuldade para respirar, especialmente depois que a pessoa está exposta a algum tipo de alergênio, como pêlos de animais ou poeira, por exemplo. Esta é uma das principais causas de chiado no peito ao respirar e pode surgir associada a outros sintomas como falta de ar, cansaço e aperto no peito.

O que fazer: a asma não tem cura, mas pode ser tratada com o uso de alguns remédios, como corticoides ou broncodilatadores. O tratamento depende da historia de saúde da pessoa e, por isso, deve ser sempre orientado por um pneumologista. Veja mais sobre as opções de tratamento para asma

2. DPOC

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, também conhecida como DPOC, é uma doença que engloba a bronquite crônica e o enfisema pulmonar, que são, além da asma, outras das causas mais frequentes de chiado no peito.

Além do chiado, outros sintomas característicos da DPOC são a sensação de falta de ar, a tosse e a dificuldade para respirar. Entenda melhor que é a DPOC e veja como é feito o diagnóstico.

O que fazer: o tratamento da DPOC consiste em adotar um estilo de vida saudável, evitando o uso de cigarro, por exemplo, além de realizar o tratamento orientado pelo pneumologista, que geralmente consiste no uso de remédios corticoides e broncodilatadores.

3. Infecções respiratórias

Infecções respiratórias como bronquite, bronquiolite ou pneumonia também podem ser uma causa de chiado no peito, já que são doenças que dificultam a respiração, causando falta de ar e produção de catarro. Veja como identificar uma infecção respiratória e como tratar.

O que fazer: o tratamento das infecções respiratórias é feito com antibióticos, caso se trate de uma infecção causada por bactérias, sendo necessário, em alguns casos, administrar corticoides e broncodilatadores, para reduzir a inflamação e facilitar a respiração.

O repouso, a hidratação e a realização de uma dieta equilibrada também são medidas que aceleram a cura.

4. Exposição a fumaça de cigarro

A exposição à fumaça de cigarro é um fator de risco para desenvolver doenças respiratórias, como enfisema pulmonar ou bronquite crônica ou para agravar a asma, o que acaba contribuindo para a inflamação das vias aéreas e aparecimento de chiado.

O que fazer: para evitar desenvolver uma doença pulmonar ou agravar uma doença já existente, deve-se parar de fumar. Veja 8 dicas para parar de fumar.

5. Inalação de um objeto

A inalação de um objeto ou corpo estranho, como um brinquedo pequeno, por exemplo, acontece geralmente em crianças e pode ser uma situação bastante perigosa, já que pode causar a obstrução das vias aéreas.

Os primeiros sintomas que podem surgir são dificuldade para respirar, tosse e chiado no peito, que vão depender da região onde o objeto ficou preso.

O que fazer: em caso de suspeita de inalação de um objeto é recomendado ir imediatamente à urgência médica.

6. Problemas cardíacos

A existência de algum problema cardíaco, como insuficiência cardíaca, também é uma das causas mais comuns para o aparecimento de chiado no peito, especialmente em pacientes mais idosos. Isso acontece porque, uma vez que o coração não está bombeando o sangue corretamente, pode acontecer um acúmulo de líquidos no pulmão, o que faz com que os tecidos fiquem mais inchados e o ar tenha maior dificuldade para passar, causando o chiado.

Outros sintomas comuns em pessoas que apresentam algum tipo de problema cardíaco são cansaço excessivo durante o dia, inchaço das pernas, dificuldade para respirar e tosse seca persistente, por exemplo. Confira 11 sinais que podem ser sinal de problemas no coração.

O que fazer: sempre que existir suspeita de algum tipo de problema cardíaco é muito importante consultar um cardiologista, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

7. Apneia do sono

A apneia do sono é a principal causa para o aparecimento de chiado ao dormir, que pode também evoluir para roncos. Esta condição causa uma parada momentânea da respiração ou dificuldades respiratórias durante o sono, devido a uma alteração nos músculos da laringe que faz com que as vias respiratórias fiquem obstruídas.

Além dos sons produzidos durante o sono, a apneia do sono também pode fazer com que a pessoa acorde cansada, como se tivesse estado fazendo exercício durante o sono.

O que fazer: o tratamento da apneia do sono pode ser feito através do uso de um aparelho próprio, chamado de CPAP, ou cirurgia, quando a utilização do aparelho não é suficiente. Saiba mais sobre o tratamento da apneia do sono.

8. Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico consiste no retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e boca, podendo lesar as vias aéreas superiores devido à acidez do suco gástrico. Embora os sintomas mais comuns sejam azia, má digestão e sensação de queimação no esófago e na boca, o constante contato do ácido com as vias respiratórias pode também causar rouquidão, tosse e chiado.

O que fazer: o tratamento do refluxo gastroesofágico é feito através de mudanças nos hábitos alimentares e com remédios que protegem e reduzem a acidez do estômago. Veja quais os remédios mais usados no tratamento do refluxo.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • JUNIOR, Luiz João A. Doença do refluxo gastroesofágico. JBM. Vol 102. 6 ed; 31-36, 2014
  • AMERICAN THORACIC SOCIETY. What Is Obstructive Sleep Apnea In Adults?. 2017. Disponível em: <https://www.thoracic.org/patients/patient-resources/resources/obstructive-sleep-apnea-in-adults.pdf>. Acesso em 28 Jul 2020
  • WEBMD. Sleep Apnea. Disponível em: <https://www.webmd.com/sleep-disorders/sleep-apnea/sleep-apnea>. Acesso em 28 Jul 2020
  • SILVA, Luiz Carlos et al.. Pneumologia: Princípios e Prática. 1.ed. Porto Alegre: Artmed Editora, 2012. 447-479.
  • BROADDUS, V. Courtney. et al. Murray & Nadel tratado de medicina respiratória. 6.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017. p. 750-765.
  • SMOKING AND TOBACCO CONTROL MONOGRAPH NO. 9. Disease Consequences of Cigar Smoking. Disponível em: <https://pdfs.semanticscholar.org/09b4/e65b363fbe72176f65c536b18854dcea173d.pdf>. Acesso em 28 Jul 2020
  • SOCIEDADE PORTUGUESA DE GASTROENTEROLOGIA. Doença de refluxo gastro-esofágico: normas de orientação clínica. 2012. Disponível em: <https://www.spg.pt/wp-content/uploads/2015/11/NOC_drge.pdf>. Acesso em 02 Out 2019
Mais sobre este assunto: