Paralisia do sono: o que é, causas, sintomas e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
agosto 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. O que fazer
  4. Como evitar

A paralisia do sono é um transtorno que ocorre logo após acordar ou no momento em que se está tentando adormecer e que impede o corpo de mexer, mesmo quando a mente está acordada. Assim, a pessoa acorda mas não consegue se movimentar, causando angústia, medo e terror.

Durante cada episódio é possível o surgimento de alucinações, como ver ou sentir alguém ao lado da cama ou ouvir barulhos estranhos, mas isso apenas acontece devido devido ao excesso de ansiedade e medo provocada pela falta de controle do próprio corpo. Além disso, os sons ouvidos também podem ser justificados pelo movimento dos músculos do ouvido, que continuando acontecendo mesmo quando todos os outros músculos do corpo estão paralisados durante o sono.

Embora a paralisia do sono possa acontecer em qualquer idade, é mais frequente em adolescente e jovens adultos com idade entre os 20 e os 30 anos, estando relacionada com hábitos de sono pouco constantes e excesso de estresse. Esses episódios podem acontecer uma a várias vezes por mês ou ano e não são perigosos.

Sintomas de paralisia do sono

Os sintomas da paralisia do sono, que podem ajudar a identificar este problema são:

  • Não conseguir mover o corpo apesar de estar supostamente acordado;
  • Sensação de falta de ar;
  • Sensação de angústia e medo;
  • Sensação de estar caindo ou flutuando sobre o corpo;
  • Alucinações auditivas como ouvir vozes e sons não característicos do local;
  • Sensação de afogamento.

Embora possam surgir sintomas preocupantes, como falta de ar ou sensação de estar flutuando, a paralisia do sono não é perigosa, nem coloca em risco a vida. Durante os episódios, os músculos da respiração e todos os órgãos vitais continuam funcionando normalmente.

Principais causas

A paralisia do sono acontece porque durante o sono o cérebro relaxa todos os músculos do corpo e mantém-nos imóveis para que se possa conservar energia e evitar movimentos bruscos durante os sonhos. No entanto, quando acontece um problema de comunicação entre o cérebro e o corpo durante o sono, o cérebro pode demorar para devolver o movimento ao corpo, originando um episódio de paralisia do sono.

Alguns fatores que podem aumentar as chances da pessoa ter um episódio de paralisia do sono são:

  • Horários irregulares para dormir, como no caso de trabalhos noturnos;
  • Privação do sono;
  • Estresse;
  • Dormir com a barriga para baixo.

Além disso, existem relatos de que esses episódios podem ser causados por transtornos do sono, como a  narcolepsia e algumas doenças psiquiátricas.

O que fazer para sair da paralisia do sono

A paralisia do sono é um problema pouco conhecido que desaparece sozinho após alguns segundos ou minutos. No entanto, é possível sair mais rapidamente desse estado de paralisia quando alguém toca na pessoa que está tendo o episódio ou quando a pessoa consegue pensar de forma lógica no momento e foca toda sua energia para tentar movimentar os músculos.

Como evitar

A paralisia do sono tem sido mais frequente em pessoas com maus hábitos de sono e, por isso, para evitar que os episódios possam acontecer é recomendado melhorar a qualidade do sono, através de estratégias como:

  • Dormir entre 6 a 8 horas por noite;
  • Ir para a cama sempre na mesma hora;
  • Acordar todos os dias na mesma hora;
  • Evitar bebidas energéticas antes de dormir, como café ou refrigerantes.

Na maior parte dos casos, a paralisia do sono surge apenas uma ou duas vezes durante toda a vida. Mas, quando ela acontece mais do que 1 vez por mês, por exemplo, é aconselhado consultar um neurologista ou um médico especialista em distúrbios do sono, que pode incluir o uso de remédio antidepressivo, como a Clomipramina.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em agosto de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em março de 2020.

Bibliografia

  • GARCIA, Ana Rita de Meira. Parassónias. Tese de conclusão do Mestrado Integrado em Medicina, 2010. Universidade de Coimbra.
  • RAMOS, Daniela Figueiredo et al.. Paralisia do sono recorrente - Medo de dormir. Rev. Paul. Pediatr.. v. 38;
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.