Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Cabelo caindo: 10 principais motivos (e o que fazer)

Março 2021

O cabelo cair é um processo natural que faz parte do ciclo de crescimento dos fios e, por isso, é normal a pessoa nem notar que perde entre 60 a 100 fios de cabelo por dia. No entanto, a queda de cabelo pode ser preocupante quando é excessiva, ou seja, quando se perde mais do que 100 fios de cabelo por dia, pois pode ser causada por alterações hormonais na menopausa ou andropausa, estresse, alimentação pobre em nutrientes e vitaminas ou anemia, por exemplo.

Nestes casos, é recomendado consultar o dermatologista para identificar a causa e orientar o tratamento que pode ser feito com alimentação adequada, remédios, suplementos nutricionais, shampoos, ou até mesmo técnicas estéticas como carboxiterapia ou laser, ou técnicas cirúrgicas como implante ou transplante capilar.

Cabelo caindo: 10 principais motivos (e o que fazer)

O cabelo caindo de forma excessiva pode ser causado por:

1. Alimentação pobre em nutrientes e vitaminas

Uma alimentação pobre em nutrientes, vitaminas e minerais, como proteínas, o zinco, o ferro e as vitaminas A e C, pode ser uma causa da do cabelo cair. Isto ocorre porque esses nutrientes ajudam no crescimento e fortalecimento capilar, por isso, uma dieta pobre nestes nutrientes favorece a queda dos cabelos.

O que fazer: deve-se fazer uma dieta balanceada e nutritiva rica em proteínas, ferro, zinco e vitaminas, como carne magra, queijo, leite, frutas, legumes e vegetais frescos, de acordo com a orientação do nutricionista. Além disso, pode ser necessário o uso de suplementos alimentares que deve ser indicado pelo médico ou nutricionista. Saiba mais sobre a alimentação para cabelo caindo

2. Excesso de estresse e ansiedade

O excesso de estresse e ansiedade podem causar um desequilíbrio hormonal do cortisol, um hormônio relacionado ao estresse, que quando está com os níveis aumentados pode provocar a queda excessiva do cabelo, com aumento do número de fios que caem por dia. Isto ocorre devido a uma condição chamada eflúvio telógeno caracterizado pela queda generalizada do cabelo no couro cabeludo e interrupção do crescimento do fio. 

Além disso, o estresse e a ansiedade podem afetar a digestão e a absorção de nutrientes no corpo, causando desequilíbrio de vitaminas e nutrientes essenciais para o crescimento e fortalecimento dos fios, fazendo com que o cabelo caia.

O que fazer: é importante identificar a causa do estresse, por exemplo, trabalho, estudos ou problema familiar, além de buscar atividades que dão prazer como encontrar com os amigos, praticar exercício físico e desenvolver algum hobby, como fotografia ou costura, por exemplo. Fazer acompanhamento com psicólogo ajuda a buscar o autoconhecimento e desenvolver o equilíbrio emocional, aliviando o estresse. Veja outras estratégias para combater o estresse

3. Menopausa ou andropausa

A menopausa, que é a interrupção da menstruação por um processo natural de envelhecimento da mulher em que o ovário deixa de produzir estrógeno, ou a andropausa, que é a menopausa masculina em que os testículos diminuem a produção de testosterona, provocam uma alteração hormonal que pode fazer com que o cabelo caia de forma mais frequente.

O que fazer: deve-se consultar o ginecologista, no caso das mulheres, ou o endocrinologista, no caso dos homens, para que seja avaliada a necessidade de reposição hormonal e, assim, evitar a queda do cabelo. 

4. Período pós-parto

Durante a gravidez os hormônios estrógeno, progesterona, ocitocina, HCG e prolactina encontram-se elevados, o que deixa o cabelo com um aspecto bonito e brilhante. No entanto, imediatamente após o parto, os níveis hormonais diminuem rapidamente, principalmente de estrógeno e progesterona, voltando aos valores próximos do normal em 24 horas após o nascimento do bebê. Isto pode fazer com que o cabelo fique mais fraco e caia mais.

O que fazer: continuar tendo uma alimentação balanceada e nutritiva com frutas, legumes e verduras frescos para garantir os nutrientes para o bebê e a nutrição do couro cabeludo, reduzindo a queda do cabelo. Além disso, deve-se seguir as orientações do obstetra para o uso de vitaminas e suplementos durante a fase da amamentação, pois esses nutrientes também ajudam a evitar a queda do cabelo.

5. Anemia

A anemia por carência de ferro pode causar queda excessiva do cabelo, pois o ferro é um mineral essencial para a produção que hemoglobina, uma proteína que carrega oxigênio nas células vermelhas do sangue para todos os tecidos do corpo, inclusive o couro cabeludo, que ao receber menos oxigênio e nutrientes, pode causar enfraquecimento e a queda dos fios.

O que fazer: deve-se consultar o hematologista para avaliar a necessidade de utilizar suplementação de ferro, além de fazer uma alimentação rica em ferro orientada por um nutricionista, incluindo mariscos, fígado de frango cozido, sementes de abóbora e vegetais de folha verde escura como brócolis ou couve de bruxelas, por exemplo. Confira a lista completa de alimentos ricos em ferro

Cabelo caindo: 10 principais motivos (e o que fazer)

6. Uso de produtos químicos no cabelo 

O uso de produtos químicos no cabelo como formol, alisantes ou tintura de cabelo podem causar enfraquecimento dos fios que podem se tornar mais secos e quebradiços, principalmente na raiz, além de danos na cutícula do fio, o que pode levar a queda de cabelo.

O que fazer: após usar produtos químicos no cabelo é essencial ter cuidados com o cabelo utilizando um shampoo e condicionador suaves, fazer hidratação no cabelo pelo menos uma vez por semana, além de evitar o uso de secador ou chapinha. Caso o cabelo continue caindo, é recomendado consultar um dermatologista que pode indicar fórmulas específicas de hidratação ou uso de suplementos para ajudar a restaurar a raiz e promover o crescimento saudável do cabelo.

7. Uso de medicamentos

Alguns medicamentos como varfarina, heparina, carbimazol, isotretinoína, acitretina, lítio, betabloqueadores, colchicina, anfetaminas e medicamentos contra o câncer podem favorecer a queda de cabelo.

O que fazer: deve-se fazer acompanhamento com o médico que receitou o medicamento, pois não se deve interromper seu uso. Além disso, pode-se consultar um dermatologista para utilização de suplementos que não interfiram na ação dos remédios e, assim, evitar que o cabelo caia com muita frequência. No caso do tratamento do câncer, alguns quimioterápicos podem provocar a queda do cabelo, que voltam a crescer quando a pessoa termina o tratamento.

8. Infecção por fungos

A infecção do couro cabeludo por fungos, chamada de tinea, tinha ou micose, pode favorecer a queda excessiva dos fios de cabelo, além de causar coceira intensa no couro cabeludo.

O que fazer: deve-se consultar o dermatologista que pode indicar o uso de shampoo ou medicamentos antifúngicos. Saiba mais sobre o tratamento da micose no couro cabeludo

9. Hipotireoidismo

O hipotireoidismo é um desequilíbrio dos hormônios produzidos pela tireóide que encontram-se diminuídos, principalmente T3 e T4, que são essenciais para o funcionamento de todas as células do corpo, e que pode deixar os cabelos mais finos, secos e sem brilho, causando a queda.

O que fazer: deve-se consultar um endocrinologista para fazer uma avaliação dos hormônios da tireoide e o tratamento mais adequado que pode ser feito com o uso de medicamentos indicados pelo médico. Saiba como é feito o tratamento do hipotireoidismo

10. Alopécia areata

A alopécia areata é uma condição causada por fatores genéticos ou doenças autoimunes como vitiligo ou lúpus, que fazem com que o cabelo caia de forma rápida na cabeça, e/ou em outras regiões do corpo que tenham pêlos, como sobrancelha, barba, pernas e braços.

O que fazer: deve-se consultar o dermatologista para identificar a causa da alopécia areata e indicar o tratamento mais adequado que pode ser feito com o uso de medicamentos, técnicas de estética como carboxiterapia ou laser, ou técnicas cirúrgicas como implante ou transplante capilar. Saiba como sobre o tratamento da alopecia areata

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • VAN ZUUREN, Esther J.; FEDOROWICZ, Zbys; SCHOONES, Jan. Interventions for female pattern hair loss. Cochrane Database Syst Rev. 2016. 5; CD007628, 2016
  • WOLFF, Hans; FISCHER, Tobias W.; BLUME-PEYTAVI, Ulrike. The Diagnosis and Treatment of Hair and Scalp Diseases. Dtsch Arztebl Int. 113. 21; 377–386, 2016
  • FABBROCINI, G.; et al. Female pattern hair loss: A clinical, pathophysiologic, and therapeutic review. Int J Womens Dermatol. 4. 4; 203–211, 2018
  • REBORA, Alfredo. Telogen effluvium: a comprehensive review. Clin Cosmet Investig Dermatol. 12. 583–590, 2019
  • GUO, Emily L.; KATTA, Rajani. Diet and hair loss: effects of nutrient deficiency and supplement use. Dermatol Pract Concept. 7. 1; 1–10, 2017
Mais sobre este assunto:

Carregando
...