Nifedipino: para que serve e como tomar

Nifedipino é um vasodilatador indicado para o tratamento da pressão alta ou doença arterial coronariana, pois age dilatando as artérias coronárias e reduzindo o tônus da musculatura dos vasos sanguíneos, facilitando o fluxo sanguíneo e evitando complicações cardiovasculares.

Esse remédio é oferecido gratuitamente pelo SUS, desde que tenha indicação médica, ou pode ser comprado em farmácias ou drogarias, na forma de comprimidos revestidos ou cápsulas contendo 10 mg, 20 mg ou 40 mg de nifedipino, com os nomes comerciais Ndo Fidipina, Loncord ou Nifedipress, por exemplo.

O nifedipino deve ser usado somente com indicação do cardiologista, pelo tempo de tratamento orientado pelo médico e com doses individualizadas, de acordo com a condição a ser tratada, não devendo-se interromper o uso desse remédio por conta própria.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

O nifedipino é indicado para o tratamento de:

  • Pressão alta;
  • Doença arterial coronariana (angina de peito estável ou angina de esforço).

O uso do nifedipino deve ser feito com indicação e orientação do cardiologista, com consultas médicas regulares para avaliar a saúde do coração e a eficácia do tratamento.

Se deseja o acompanhamento de um cardiologista, marque uma consulta na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Cardiologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como funciona

O nifedipino é um vasodilatador da classe dos bloqueadores dos canais de cálcio que age relaxando os músculos do coração e dos vasos sanguíneos, ajudando a melhorar o fluxo sanguíneo, controlar a pressão alta e evitar complicações cardiovasculares.

Como tomar

O nifedipino deve ser tomado por via oral, com um copo de água, nos horários estabelecidos pelo médico. As cápsulas devem ser tomadas antes das refeições e o comprimido revestido, antes ou após uma alimentação.

A posologia do nifedipino para adultos varia de acordo com a condição a ser tratada e inclui:

  • Pressão alta: 1 comprimido ou cápsula de nifedipino 20 mg, 2 vezes por dia, ou seja a cada 12 horas;
  • Doença arterial coronariana (angina de peito estável ou angina de esforço): 1 comprimido revestido de nifedipino 20 mg, 2 vezes por dia, ou seja a cada 12 horas, ou 1 cápsula de 20 mg 1 a 2 vezes por dia, conforme orientação médica.

As doses do nifedipino podem ser aumentadas pelo médico para até 60 mg por dia.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns do nifedipino são dor de cabeça, inchaço, prisão de ventre, tontura, vertigem, tremor, palpitação cardíaca ou aumentos dos batimentos cardíacos, ou hipotensão.

Além disso, também são comuns congestão nasal, sangramento nasal, dor abdominal ou gastrointestinal, náuseas, distúrbio visual, vermelhidão, prurido, urticária, constipação, disfunção erétil em homens ou câimbras.

É importante procurar o pronto-socorro caso surjam sintomas como piora da angina, sensação de desmaio, batimentos cardíacos acelerados, dor no peito que pode irradiar para o braço, ombro ou mandíbula, suor excessivo ou mal estar geral.

Deve-se ir ao pronto-socorro também se surgirem sintomas como inchaço nos pés e tornozelos, pele e olhos amarelados ou reações alérgicas graves. Saiba identificar os sintomas de reação alérgica grave.

Quem não deve usar

O nifedipino não deve ser usado por menores de 18 anos, mulheres grávidas antes da 20ª semana de gestação ou durante a amamentação.

Esse remédio também não deve ser usado por pessoas que tenham alergia ao nifedipino ou qualquer outro componente da cápsula ou comprimido.

O nifedipino não deve ser usado por pessoas que utilizam rifampicina, pois pode ter seus níveis reduzidos no organismo, não tendo o efeito desejado.

Além disso, o nifedipino deve ser usado com cautela em pessoas que têm pressão arterial muito baixa, insuficiência cardíaca ou estreitamento grave da artéria aorta.