Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é mioma subseroso e quais os sintomas

Os miomas uterinos, também conhecidos como fibromas ou leiomiomas, são tumores benignos compostos de células musculares, que podem afetar a vida das mulheres porque podem causar sagramento uterino anormal, dor pélvica, complicações na gravidez e outros sintomas, embora possam ser assintomáticos em metade dos casos.

Os miomas podem ser classificados de acordo com a sua posição na parede uterina, sendo que os subserosos são aqueles tumores que se desenvolvem na superfície externa do útero, chamada de serosa. Este tipo de mioma não costuma apresentar sintomas, exceto quando atinge grandes volumes, podendo causar compressão dos órgãos adjacentes.

O tratamento só é feito se se manifestarem sintomas ou se os miomas causarem outras complicações e consiste na administração de medicamentos ou cirurgia de remoção do mioma ou mesmo do útero.

O que é mioma subseroso e quais os sintomas

Quais os sinais e sintomas

O mioma subseroso não costuma apresentar sintomas, exceto quando atinge grandes volumes, podendo causar compressão dos órgãos adjacentes e levar a problemas mais graves. A manifestação dos sintomas podem ser ginecológicas, como sangramento uterino anormal, dor pélvica, dismenorreia ou infertilidade e como consequência do sangramento, pode ocorrer anemia ferropriva. 

Além disso, pode também ocorrer retenção urinária, vontade de urinar com frequência, inchaço dos rins, disfunções intestinais, estase venosa, hemorroidas e embora seja raro, pode também ocorrer febre associada à necrose dos miomas.

Embora seja raro, a presença de miomas uterinos pode prejudicar a fertilidade, porque podem causar:

  • Desvio do colo do útero, dificultando o acesso dos espermatozóides;
  • Aumento ou deformidade da cavidade uterina, que pode interferir na migração ou transporte dos espermatozóides;
  • Obstrução proximal das trompas;
  • Alteração da anatomia tubo-ovariana, interferindo na captura dos óvulos;
  • Alteração na contratilidade uterina, que pode impedir o deslocamento dos espermatozóides, do embrião, ou mesmo a nidação;
  • Sangramento uterino anormal;
  • Inflamação do endométrio.

Caso não se manifestem sintomas, a remoção do mioma não está indicada, já que o procedimento cirúrgico pode contribuir para o desenvolvimento de outros fatores de infertilidade.

Embora haja a possibilidade de causar infertilidade, mesmo na presença de miomas uterinos, é possível engravidar, mas a presença de miomas pode prejudicar a gravidez. Alguns miomas uterinos podem aumentar as chances de abortamento, parto prematuro, baixo peso ao nascer, anomalias fetais ou mesmo ter que ser necessário recorrer a um cesariana.

Possíveis causas

O aparecimento dos miomas pode estar relacionado com fatores genéticos, hormonais, já que o estrogênio e a progesterona promovem o seu desenvolvimento e fatores de crescimento, produzidos pelas células musculares lisas e fibroblastos.

Além disso, existem vários factores de risco que podem contribuir para o desenvolvimento de miomas uterinos, como a idade, aparecimento precoce da primeira menstruação, história familiar, ser de raça negra, obesidade, hipertensão arterial, fazer uma alimentação com grande quantidade de carnes vermelhas, álcool ou cafeína e nunca ter tido filhos.

Como é feito o tratamento

Os miomas assintomáticos não têm indicação terapêutica, no entanto nestes casos, deve-se fazer um ultrassom com frequência. Caso se manifestem sintomas ou caso se justifique, pode ser necessário realizar um tratamento:

1. Tratamento medicamentoso

Este tratamento tem como objetivo a redução ou eliminação dos sintomas a partir da redução do tamanho do mioma ou do sangramento, além de ser útil antes de realizar um procedimento cirúrgico, já que possibilita redução no tamanho o que faz com que a cirurgia seja menos invasiva. Saiba mais sobre o tratamento.

2. Tratamento cirúrgico

O tratamento cirúrgico deve ser individualizado, adaptado a cada caso. Pode ser realizada uma histerectomia, que consiste na remoção do útero, ou numa miomectomia, em que apenas é realizada a remoção do mioma. Saiba mais sobre como é feita a cirurgia.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:
Carregando
...