Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Manjerona: para que serve e como fazer o chá

​A manjerona, também conhecida como manjerona-inglesa, é uma erva com aromática que possui propriedades medicinais, sendo normalmente indicada para auxiliar no tratamento de problemas digestivos, como diarreia e má digestão, mas também pode ser usada para aliviar os sintomas de estresse e ansiedade, pois é rica em timol, carvacrol, terpineno, limoneno, taninos e flavonoides, com propriedades anti-inflamatórias, digestivas e calmantes.

O nome científico da manjerona é Origanum majorana, e as partes normalmente utilizadas dessa planta medicinal são as folhas para o preparo do chá, tintura, cápsulas ou óleo essencial. Além disso, a manjerona é muito utilizada na culinária para o preparo de saladas, sopas ou molhos, devido ao seu aroma sutil e sabor adocicado.

A manjerona pode ser comprada na sua forma natural em supermercados e feiras livres, para usar como tempero na culinária, mas também em outros formatos para uso medicinal, encontrado em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação, e deve ser usada com orientação do médico ou do fitoterapeuta.

Imagem ilustrativa número 2

Para que serve

A manjerona é indicada para auxiliar no tratamento de:

  • Má digestão;
  • Cólica intestinal ou menstrual;
  • Dor de estômago;
  • Gases intestinais;
  • Diarreia;
  • Perda do apetite;
  • Estresse e ansiedade;
  • Insônia;
  • Doenças infecciosas;
  • Ciclo menstrual irregular;
  • Reumatismo;
  • Entorse;
  • Luxação;
  • Espasmos ou dor muscular;
  • Inchaço nas articulações;
  • Dor de dente;
  • Dor de cabeça ou enxaqueca;
  • Gripes ou resfriados;
  • Tosse brônquica;
  • Asma;
  • Sinusite;
  • Otite;
  • Pressão alta.

A manjerona possui propriedades anti-espasmódicas, expectorantes, mucolíticas, cicatrizantes, digestivas, antimicrobianas, anti-inflamatórias, analgésicas, antioxidantes, calmantes, devido aos óleos essenciais na sua composição, especialmente timol, carvacrol, terpineno, limoneno, canfeno, eucaliptol e linalol, além de ácidos fenólicos, taninos, terpenoides e flavonoides.

Além disso, a manjerona possui propriedades antidiabéticas, que ajudam a aumentar insulina no sangue, podendo ser usada também para auxiliar no tratamento da diabetes.

Embora tenha muito benefícios para a saúde, a manjerona não deve substituir o tratamento médico com remédios, podendo ser usada para complementar o tratamento médico, e deve ser usada com orientação do médico ou fitoterapeuta.

Como fazer o chá de manjerona

O chá de manjerona pode ser usado para problemas digestivos, cólicas menstruais, diabetes ou dor de cabeça, por exemplo.

Ingredientes

  • 20 g de folhas frescas ou secas de manjerona;
  • 1 litro de água.

Modo de preparo

Colocar as folhas de manjerona na água e ferver. Em seguida, desligar o fogo e deixar repousar por cerca de 10 minutos. Coar, esperar amornar e beber até 3 xícaras por dia.

Outras formas de uso

A manjerona também pode ser usada na forma de óleo essencial para aromaterapia ou massagens, ou ainda na forma de cápsulas ou tintura.

1. Aromaterapia com manjerona

A aromaterapia pode ser feita utilizando o óleo essencial de manjerona, para ajudar a aliviar problemas respiratórios, como tosse, asma, bronquite, gripes, resfriados ou sinusite, por exemplo, além de dor de cabeça, ansiedade, estresse ou insônia.

Para fazer a aromaterapia com a manjerona deve-se inspirar profundamente o aroma do óleo essencial diretamente do frasco, segurando o ar nos pulmões por cerca de 2 a 3 segundos, antes de expirar. Repetir a inalação de 3 a 7 vezes, várias vezes por dia.

Outra forma de fazer a aromaterapia com o óleo essencial de manjerona é colocar 2 a 3 gotas do óleo essencial em um pouco de água, no interior de um aromatizador elétrico ou em um difusor de ambiente. A quantidade de água utilizada varia de acordo com a capacidade do aromatizador elétrico ou do difusor. A nuvem de fumaça ou vapor formado, permite liberar o aroma por todo o cômodo. Conheça outras formas de fazer aromaterapia com óleo essencial.

2. Massagem com manjerona

O óleo essencial de manjerona também pode ser usado em massagens relaxantes devido ao seu aroma agradável e propriedades calmantes. Veja outros benefícios da massagem com óleos essenciais.

Para fazer a massagem, deve-se utilizar 10 a 20 gotas do óleo essencial de manjerona misturadas com 50 mL de um óleo vegetal, como óleo de coco ou óleo de amêndoas doces, por exemplo. Em seguida, aplicar sobre a pele, massageando suavemente com a ponta dos dedos, por cerca de 10 minutos. 

Antes de usar o óleo essencial de manjerona, deve-se fazer um teste de alergia, preparando uma mistura contendo 1 gota do óleo essencial de manjerona em 1 colher (de café) do óleo carreador, e aplicar sobre o dorso da mão ou na dobra do cotovelo. Aguardar 24 horas e, se durante esse período a pele ficar vermelha ou irritada, não é recomendado o uso do óleo essencial de manjerona.

3. Cápsulas de manjerona

As cápsulas de manjerona podem ser encontradas em lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação, e podem ser tomados diariamente, ou conforme indicação do médico.

As doses podem variar de acordo com a quantidade de manjerona na composição das cápsulas, e por isso seu uso deve ser feito apenas com orientação do médico ou de um profissional com experiência em plantas medicinais, com doses individualizadas.

4. Tintura de manjerona

A tintura de manjerona pode ser usada por via oral, diluindo 20 a 40 gotas da tintura em um copo de água, bebendo em seguida, até 3 vezes por dia, conforme orientação médica. 

A tintura de manjerona possui álcool na sua composição, não sendo recomendada para pessoas em tratamento do alcoolismo, crianças, grávidas ou lactantes.

Possíveis efeitos colaterais

A manjerona não está relacionada com efeitos colaterais, no entanto quando consumida em excesso pode causar dor de cabeça e prisão de ventre. Além disso, quando usada na forma de óleo essencial, pode desencadear reações alérgicas e dermatite em contato em pessoas com a pele muito sensível.

Quem não deve usar

O uso da manjerona não é indicado na gravidez e amamentação, e nem para meninas de até 12 anos, pois essa planta pode levar a alterações hormonais que podem influenciar no desenvolvimento do bebê ou na puberdade da menina, por exemplo.

Além disso, a manjerona não deve ser usada por pessoas que tenham úlceras no estômago, problemas cardíacos, problemas de coagulação no sangue, ou que possuem alergia à manjerona ou outras plantas medicinais, como lavanda, hortelã, manjericão ou sálvia, por exemplo.

Em casos de necessidade de fazer alguma cirurgia, o uso da manjerona deve ser interrompido duas semanas antes e depois da cirurgia.

A manjerona também deve ser usada com cautela por pessoas com diabetes, pois pode baixar muito o açúcar do sangue, e causar hipoglicemia. Saiba identificar os sintomas de hipoglicemia.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em janeiro de 2023.

Bibliografia

  • PAUDEL, P. N.; et al. Chemical Composition, Enantiomeric Distribution, Antimicrobial and Antioxidant Activities of Origanum majorana L. Essential Oil from Nepal. Molecules. 27. 18; 6136, 2022
  • SHARIFI-RAD, M.; et al. Carvacrol and human health: A comprehensive review. Phytother Res. 32. 9; 1675-1687, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • BINA, F.; et al. Sweet Marjoram. J Evid Based Complementary Altern Med. 22. 1; 175–185, 2017
  • BOUYAHYA, A.; et al. Traditional use, phytochemistry, toxicology, and pharmacology of Origanum majorana L. Journal of Ethnopharmacology. 265. 113318, 2021
  • WANG, S.; et al. Origanum majorana L.: A Nutritional Supplement With Immunomodulatory Effects. Front. Nutr. 8. 1-11, 2021
  • MERCOLA. Marjoram: A Versatile Herb for Cooking and Aromatherapy. Disponível em: <https://articles.mercola.com/herbs-spices/marjoram.aspx>. Acesso em 18 jun 2019
  • HERBWISDOM. Marjoram Benefits. Disponível em: <https://www.herbwisdom.com/herb-marjoram.html>. Acesso em 18 jun 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.