Leucócitos altos: o que pode ser (e o que fazer)

Os leucócitos altos no sangue podem estar relacionados com condições como infecções, alergias e uso de medicamentos, que provocam sintomas como febre, dor na garganta, cansaço, tosse e dor abdominal.

Já os leucócitos altos na urina, ou leucocitúria, podem ser causados por infecção urinária, problemas nos rins, lúpus eritematoso sistêmico ou surgir ao segurar o xixi por muito tempo, por exemplo.

Os leucócitos altos acontecem quando essas células estão acima de 11.000/µL no sangue ou acima de 10000/mL na urina. O tratamento indicado pelo médico varia conforme a causa dos leucócitos altos, incluindo o uso de remédios anti-histamínicos, anti-inflamatórios, antibióticos ou analgésicos, radioterapia e cirurgia.

Leia também: Leucocitose: o que é, tipos e principais causas tuasaude.com/leucocitose
Imagem ilustrativa número 1

O que pode ser os leucócitos altos

As principais causas de leucócitos altos no sangue são:

1. Infecções

As infecções bacterianas ou virais, como infecção urinária e HIV, podem deixar os leucócitos altos no sangue. Isso acontece porque a produção deste tipo de célula de defesa é aumentada na tentativa de combater essas condições.

O que fazer: o tratamento indicado pelo médico varia conforme o tipo de infecção. No caso de infecção urinária, pode ser indicado o uso de antibióticos orais, analgésicos, anti-inflamatórios e vacina. Já no caso do HIV, o médico pode prescrever o uso de um coquetel de medicamentos antirretrovirais, como dolutegravir e efavirenz, por exemplo.

2. Alergias

As alergias, como asma, sinusite, rinite ou alergia alimentar, são algumas causas comuns dos leucócitos altos, principalmente dos eosinófilos e basófilos.

As alergias podem causar sintomas como secreção nasal, espirros, tosse seca, dificuldade de respirar, dor de cabeça, coceira na pele e dor abdominal.

Leia também: Sintomas de alergia (pele, alimentar, respiratória e medicamentos) tuasaude.com/sintomas-de-alergia

O que fazer: para tratar as alergias, o médico pode recomendar o uso de medicamentos anti-histamínicos, corticoides, descongestionantes e vacina, que é um tratamento feito com a administração de injeções que contém pequenas quantidades das substâncias que provocam a alergia, fazendo com que sistema imunológico reaja menos ou deixe de reagir contra alérgenos específicos.

3. Uso de medicamentos

Os leucócitos altos no sangue podem estar relacionados com o uso de medicamentos, como corticoides, lítio ou a heparina, porque podem causar alterações no número destes glóbulos brancos, resultando na leucocitose.

O que fazer: o médico pode ajustar a dose do medicamento relacionado com o aumento dos leucócitos ou ainda substituir o remédio atual por um outro que não provoque essa alteração no sangue.

4. Doenças crônicas

Algumas doenças crônicas ou autoimunes, como colite, artrite reumatoide e síndrome do intestino irritável, podem causar uma inflamação constante, que leva o corpo a produzir mais leucócitos para combater o que está alterado no organismo.

Por isso, pessoas com alguma destas condições podem apresentar leucócitos altos, mesmo que estejam realizando o tratamento para a doença.

O que fazer: conforme o tipo de doença crônica, o médico pode recomendar o uso de remédios, como antidepressivos, analgésicos, antibióticos, e corticoides.

Além disso, pode ser indicado também a realização de sessões de psicoterapia e fisioterapia, cirurgias e mudanças na alimentação, que devem ser orientadas pelo nutricionista.

5. Estresse

O estresse emocional ou físico, como o que pode acontecer durante acidentes, cirurgias, exercício físico exagerado ou gravidez, por exemplo, podem estar associados com os leucócitos altos no hemograma.

O que fazer: o tratamento prescrito pelo médico varia de acordo com a causa do estresse, podendo ser feito com o uso de medicamentos para reduzir o estresse, anti-inflamatórios, redução da intensidade do exercício físico, por exemplo.

6. Câncer

Embora seja mais raro, os leucócitos altos também podem indicar o desenvolvimento de um câncer, como a leucemia. No entanto, o linfoma, a policitemia vera o câncer de pulmão, também está relacionado com os leucócitos altos.

O que fazer: o tratamento varia conforme o tipo e o estágio do câncer, e o quadro geral de saúde da pessoa. Assim, o médico pode recomendar a realização de quimioterapia e/ou radioterapia, a cirurgia e o transplante de medula óssea. Conheça os diferentes tratamentos indicados para o câncer.

Como saber se está alto

Para saber se os leucócitos estão altos, deve-se realizar um hemograma completo ou EAS, ou exame de urina tipo 1, recomendados pelo médico, para dosar a quantidade circulante desse glóbulo branco no sangue e na urina.

Os leucócitos são identificados como altos no sangue, quando quando os seus valores estão acima de 11.000 por mm³, ou acima de 10000 leucócitos por mL de urina, na urina.

Preocupado com o resultado do seu exame?

Estamos aqui para ajudar! Fale com os nossos profissionais e receba orientação especializada sobre o que fazer a seguir.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Leucócitos altos na urina

Os leucócitos altos na urina estão presentes em situações como:

  • Infecção urinária;
  • Lúpus;
  • Problemas renais;
  • Uso de medicamentos, como antibióticos, aspirina, corticoides e diuréticos.

Além disso, o ato de segurar o xixi por muito tempo também favorece o crescimento de microrganismos naturalmente presentes no sistema urinário, resultando em infecção e levando ao aparecimento de leucócitos na urina.

Leia também: Leucócitos altos na urina: o que pode ser (e o que fazer) tuasaude.com/leucocito-na-urina

Leucócitos altos na gravidez

Os leucócitos altos na gravidez geralmente é comum e acontece pois o corpo está passando por um estresse ao carregar o bebê ou pelo estresse emocional antes do parto. Entenda melhor sobre o que significa os leucócitos altos na gravidez.

Os leucócitos durante gravidez podem chegar a valores médios entre 5.000 e 14.000/mm3. Durante o parto e logo após o parto, os valores dos leucócitos variam entre 14.000 e 16.000/mm3, normalizando dentro de cerca de quatro semanas.

Vídeos relacionados