Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

HIV 1 e HIV 2: o que são, quais as diferenças e qual a relação com a AIDS

Janeiro 2020

O HIV-1 e o HIV-2 são tipos distintos de vírus, conhecidos por vírus da imunodeficiência humana, que são responsáveis por causar a AIDS, também conhecida pela síndrome da imunodeficiência adquirida, que é uma doença grave do sistema imunológico.

Estes vírus, embora causem a mesma doença e se transmitam da mesma forma, apresentam algumas diferenças, exigindo tratamentos diferentes.

HIV 1 e HIV 2: o que são, quais as diferenças e qual a relação com a AIDS

Quais as diferenças ente o HIV-1 e o HIV-2

O HIV-1 e HIV-2 têm muitas semelhanças relativamente à sua replicação, modo de transmissão e manifestações clínicas da AIDS, porém eles apresentam algumas diferenças.

1. Incidência e prevalência

O HIV-1 é mais frequente a nível mundial, enquanto o HIV-2 é mais frequente na África ocidental, porém, é menos patogênico.

2. Transmissão

O modo de transmissão do vírus é igual para o HSV-1 e HSV-2 e faz-se pelo contato sexual e partilha de seringas entre pessoas contaminadas, transmissão durante a gravidez ou contato com sangue infetado, através de transfusões ou transplantes, por exemplo.

Embora estes vírus tenham a mesma ação no organismo, o HIV-2 produz menos partículas virais que o HIV-1. Por esse motivo, a transmissibilidade em pessoas infectadas pelo HIV-2 é muito inferior relativamente àquelas infectadas com o HIV-2, porém, a possibilidade de transmissão existe.

Ainda devido à sua baixa transmissibilidade, é menos provável que o HIV-2 evolua para AIDS, por isso, as pessoas infectadas pelo vírus tipo 2, podem permanecer com o "vírus adormecido" durante muito mais tempo, comparativamente ao HIV-1. O período assintomático de infecção é em média de 10 anos para o HIV-1 e de 30 anos para o HIV-2.

3. Progressão da doença

Caso a infecção por HIV evolua para AIDS, quer seja causada pelo vírus do tipo 1 ou pelo vírus do tipo 2, o processo de desenvolvimento da doença é muito semelhante para ambos os tipos de  vírus, assim como os sintomas manifestados. Porém, como o HIV-2 tem uma carga viral mais baixa, a resposta do sistema imunológico é mais protetora no caso da infecção por este tipo de vírus, o que contribui para retardar a progressão da doença, sendo que no caso das pessoas infectadas pelo HIV-1, a evolução da doença é mais rápida.

A AIDS surge quando a pessoa apresenta infecções oportunistas, como tuberculose ou pneumonia, por exemplo, que se manifestam devido à fraqueza do sistema imune gerada pelo vírus. Veja mais sobre a doença e os sintomas que podem ocorrer.

O HIV-2 também tem uma taxa de mortalidade menor que o HIV-1, porém, é importante referir que a infecção por um tipo de vírus não invalida a infecção pelo outro tipo, podendo dar origem a uma infecção conjunta com os dois tipos de vírus.

4. Tratamento

O tratamento para a infecção pelo vírus HIV é feito com medicamentos antirretrovirais, que embora não eliminem o vírus do organismo, ajudam a impedir a sua multiplicação, a retardar a progressão do HIV, a prevenir a transmissão e ajudar a proteger o sistema imunológico.

Porém, devido às diferenças genéticas entre os vírus, as combinações de medicamentos para o tratamento do HIV-1 e do HIV-2 podem ser diferentes, já que o HIV-2 é resistente a duas classes de antirretrovirais: aos análogos da transcriptase reversa e aos inibidores de fusão/entrada. Saiba mais sobre o tratamento.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS . MANUAL TÉCNICO PARA O DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO PELO HIV. 2013. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_tecnico_diagnostico_infeccao_hiv.pdf>. Acesso em 28 Jan 2020
  • NYAMWEYA, Samuel et. al.. Comparing HIV‐1 and HIV‐2 infection: Lessons for viral immunopathogenesis. Reviews in Medical Virology. Vol.23. 4.ed; 221-240, 2013
  • OLIVEIRA, Eunice et. al.. Infeção Aguda pelo Vírus da Imunodeficiência Humana 1: uma janela de oportunidade. Galicia Clin. Vol.77. 1.ed; 36-38, 2016
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem