HIV-1 e HIV-2: o que são e quais as diferenças

Atualizado em fevereiro 2024

O HIV-1 e o HIV-2 são dois subtipos diferentes do vírus do HIV, também conhecido por vírus da imunodeficiência humana, que são responsáveis por causar a AIDS, que é uma doença grave que afeta o sistema imunológico e diminui a resposta do organismo a infecções.

Estes vírus, embora causem a mesma doença e se transmitam da mesma forma, apresentam algumas diferenças importantes, especialmente na sua taxa de transmissão e na forma como evolui a doença.

O HIV-1 e o HIV-2 são detectados pelo infectologista ou clínico geral através do exame de sangue para detectar anticorpos contra esses vírus. Saiba como é feito o teste de HIV.

Imagem ilustrativa número 1

4 principais diferenças entre HIV-1 e HIV-2

O HIV-1 e HIV-2 têm muitas semelhanças relativamente à sua replicação, modo de transmissão e manifestações clínicas da AIDS, porém eles apresentam algumas diferenças:

1. Onde são mais frequentes

O HIV-1 é muito comum em qualquer parte do mundo, sendo responsável por cerca de 95% de todas as infecções, enquanto o HIV-2 é mais frequente na África Ocidental.

No entanto, o HIV-2 também pode ser detectado em outros países da África, como Cabo verde, Angola ou Moçambique, além da Índia, Brasil e Portugal.

2. Como se transmitem

O modo de transmissão do vírus é igual para o HIV-1 e HIV-2 e faz-se pelo contato sexual desprotegido, partilha de seringas entre pessoas contaminadas, transmissão durante a gravidez ou contato com sangue infetado.

Embora se transmitam da mesma forma, o HIV-2 produz menos partículas virais que o HIV-1 e, por isso, o risco de transmissão é menor em pessoas infectadas pelo HIV-2. Veja as principais formas de transmissão do HIV.

3. Como evolui a infecção

A infecção pelo HIV-2 tem uma evolução mais lenta do que o HIV-1, sendo também menos fatal do que o HIV-1.

Isso porque o HIV-2 tem uma carga viral mais baixa, o que faz com que o aparecimento de sintomas no caso da AIDS seja mais demorado, podendo demorar até 30 anos, em comparação com o HIV-1, que pode ser em torno de 10 anos.

No entanto, caso a infecção por HIV evolua para AIDS, o processo de desenvolvimento da doença é muito semelhante para ambos os tipos de vírus. 

A AIDS surge quando a pessoa apresenta infecções oportunistas, como tuberculose ou pneumonia, por exemplo, que se manifestam devido à fraqueza do sistema imune gerada pelo vírus. Conheça os principais sintomas de HIV e AIDS.

4. Como é feito o tratamento

O tratamento da infecção pelo HIV-1 e HIV-2 é feito com medicamentos antirretrovirais, pois ajudam a impedir a multiplicação dos vírus, a retardar a progressão do HIV, a prevenir a transmissão e ajudar a proteger o sistema imunológico.

No entanto, devido as variações genéticas, o HIV-2 é resistente a duas classes de antirretrovirais, os análogos da transcriptase reversa e os inibidores de fusão/entrada.

Por isso, as combinações de medicamentos para o tratamento do HIV-1 e do HIV-2 podem ser diferentes. Saiba mais sobre o tratamento do HIV.

HIV-1 e HIV-2 tem cura?

A infecção pelo HIV-1 e HIV-2 não tem cura, uma vez que o sistema imunológico não é capaz de combater o vírus e eliminá-lo do organismo.

No entanto, existem tratamentos com o uso de antirretrovirais, que são capazes de reduzir a multiplicação do vírus e diminuir a carga viral, prevenindo o desenvolvimento da síndrome da imunodeficiência humana (AIDS) que é a forma grave da infecção pelo HIV.