4 formas de transmissão do HIV (e como não pegar)

Revisão médica: Drª Sylvia Hinrichsen
Infectologista
fevereiro 2022

A transmissão do HIV pode acontecer através do contato direto com fluidos corporais de pessoas infectadas pelo vírus, como sêmen, fluidos vaginais, leite materno, sangue ou fluidos pré-ejaculatório, o que pode acontecer por meio da relação sexual sem camisinha, compartilhamento de agulhas e seringas, doação de sangue ou por meio do aleitamento materno, por exemplo.

Assim, para evitar a transmissão do vírus é importante usar camisinha em toda e qualquer relação sexual, evitar o compartilhamento de seringa e, caso seja necessário entrar em contato com os fluidos e secreções, como no caso dos profissionais de saúde, por exemplo, é importante usar luvas e higienizar bem as mãos antes e após o seu uso.

Na suspeita de infecção pelo vírus HIV, é importante que seja feito um teste para identificar a presença desse vírus no organismo, sendo recomendado que seja feito cerca de 30 dias após a possível exposição. Caso seja confirmada a infecção, o médico pode indicar o início do tratamento que tem como objetivo promover a taxa de replicação viral e, assim, prevenir o desenvolvimento da AIDS. Entenda como é feito o teste de HIV e como entender o resultado.

As principais formas de transmissão do HIV são:

1. Relação sexual sem preservativo

A relação sexual sem preservativo é a principal via de transmissão do vírus HIV, já que durante a relação sexual é possível que aconteçam pequenas lesões na mucosa genital, assim como o contato com os fluidos corporais, aumentando o risco de infecção. Além disso, embora seja raro, o HIV também pode ser transmitido pelo sexo oral, principalmente se existir alguma ferida na boca, como uma afta, por exemplo.

Dessa forma, é importante que o preservativo seja usado e mantido durante toda a relação sexual.

2. Compartilhamento de agulhas ou seringas

O compartilhamento de agulhas e seringas também é uma das formas mais frequentes de transmissão do HIV, já que esses materiais entram diretamente em contato com o sangue. Assim, uma vez que o vírus está presente no sangue, caso a primeira pessoa que usou a agulha ou a seringa esteja infectada, pode facilmente passar o vírus para a pessoa seguinte.

Dessa forma, pessoas que precisam utilizar frequentemente agulhas ou seringas, como diabéticos, devem sempre usar uma nova agulha, que não tenha sido utilizada anteriormente.

3. Transmissão vertical de mãe para filho

A transmissão vertical diz respeito à transmissão do vírus da mãe para o filho, o que pode acontecer durante a gravidez, durante o parto ou na amamentação, sendo essa situação mais frequente em mulheres que não foram diagnosticadas com o vírus HIV e/ ou não realizaram o tratamento adequado e de acordo com as orientações do médico.

Assim, mulheres grávidas portadoras do vírus HIV devem fazer corretamente o tratamento, quando recomendado, para reduzir a carga viral e diminuir as chances de passar o vírus para o feto ou recém nascido, além de estar também indicado o parto cesárea para reduzir as chances de contato com o sangue durante o parto, assim como evitar a amamentação para que bebê não contrais o vírus através do leite materno.

4. Transplante de órgãos ou doação de sangue

Embora seja extremamente raro, devido ao aumento da segurança e avaliação das amostras em laboratórios especializados, o vírus do HIV também pode ser transmitido para pessoas que recebem órgãos ou sangue de outra pessoa infectada com HIV. Este risco é maior em países menos desenvolvidos e com menos normas de biossegurança e controle de infecções.

Como não se pode pegar HIV

Embora existam várias situações que podem passar o vírus HIV, devido ao contato com fluídos corporais, existem outras que não passam o vírus, como:

  • Estar perto de um portador do vírus da AIDS, cumprimentá-lo com um abraço ou um beijo;
  • Relação íntima e masturbação com preservativo;
  • Uso dos mesmos pratos, talheres e/ou copos;
  • Secreções inofensivas como suor, saliva ou lágrimas;
  • Uso do mesmo material de higiene pessoal como sabonete, toalhas ou lençóis.

O HIV também não é transmitido através de picada de insetos, pelo ar ou através da água da piscina ou do mar. Conheça mais sobre o HIV.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em fevereiro de 2022. Revisão médica por Drª Sylvia Hinrichsen - Infectologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • CDC. Oral Sex and HIV Risk. Disponível em: <https://www.cdc.gov/hiv/risk/oralsex.html>. Acesso em 17 jul 2020
  • HIV RISK. How can I prevent getting or transmitting HIV?. Disponível em: <https://hivrisk.cdc.gov/can-prevent-getting-transmitting-hiv/>. Acesso em 17 jul 2020
Mostrar bibliografia completa
  • CDC. Prevention. Disponível em: <https://www.cdc.gov/hiv/basics/prevention.html>. Acesso em 17 jul 2020
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE DST, AIDS E HEPATITES VIRAIS . MANUAL TÉCNICO PARA O DIAGNÓSTICO DA INFECÇÃO PELO HIV. 2013. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_tecnico_diagnostico_infeccao_hiv.pdf>. Acesso em 28 jan 2020
Revisão médica:
Drª Sylvia Hinrichsen
Infectologista
Médica infectologista, doutorada em Medicina Tropical pela Universidade Federal de Pernambuco, em 1995. Cremepe: 6522

Tuasaude no Youtube

  • O que é HIV e AIDS, sintomas, teste, tratamento e cura

    02:34 | 602306 visualizações