Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sexo oral pode transmitir HIV?

O sexo oral tem baixa possibilidade de transmitir HIV, mesmo em situações em que o preservativo não é usado. No entanto existe ainda risco, principalmente para pessoas que possuem algum ferimento na boca. Por isso, é recomendado o uso de preservativo em qualquer fase do ato sexual, pois assim é possível evitar o contato com o vírus HIV.

Embora o risco de contaminação por HIV seja baixo via sexo oral sem preservativo, existem outras infecções sexualmente transmissíveis (IST's), como HPV, clamídia e/ou gonorreia, que também podem ser transmitidas de uma pessoa para outra por sexo oral. Conheça as principais IST's, como se transmitem e seus sintomas.

Sexo oral pode transmitir HIV?

Quando existe maior risco  

O risco de contaminação pelo vírus HIV é mais alto quando se realiza sexo oral desprotegido em outra pessoa que já foi diagnosticado com HIV/AIDS, isso porque a quantidade de vírus circulante no organismo da pessoa infectada é bastante elevada, havendo maior facilidade de transmissão para a outra pessoa.

No entanto, ter contato com o vírus HIV não necessariamente indica que a pessoa irá desenvolver a doença, isso porque depende da quantidade de vírus a que foi exposta e da resposta do seu sistema imunológico. No entanto, como só é possível saber a carga viral por meio de exames de sangue específicos, o contato sexual sem preservativo é considerado de alto risco.

Entenda melhor a diferença entre AIDS e HIV.

Outras formas de transmissão 

As principais formas de transmissão do HIV incluem:

  • Contato direto com o sangue de pessoas com HIV/AIDS;
  • Contato com secreções da vagina, pênis e/ou ânus;
  • Via mãe e recém nascido, quando a mãe tem a doença e não está em tratamento;
  • Caso a mãe tenha a doença amamente o bebê, mesmo estando em tratamento.

Situações como o compartilhamento de copos ou talheres, contato com o suor ou beijo na boca, não apresentam risco de contaminação. Por outro lado, para desenvolver a doença, é preciso que o sistema imunológico da pessoa infectada esteja mais comprometido, isso porque a pessoa pode ser portadora do vírus e não manifestar a doença. 

O que fazer em caso de suspeita 

Quando existe a suspeita de infecção pelo HIV após ter praticado sexo oral sem o uso do preservativo, ou caso o preservativo tenha rompido ou saído durante o ato sexual, é recomendado procurar um médico em até 72 horas após o ocorrido, para que seja avaliada a necessidade do uso da PEP, que é a Profilaxia Pós-Exposição.

A PEP é um tratamento feito com alguns remédios que impedem que o vírus se multiplique no corpo, e deve ser feita por 28 dias, seguindo rigorosamente as indicações do médico.

Também existe a possibilidade de que o médico solicite o teste rápido de HIV que é feito na unidade de saúde e o resultado sai em até 30 minutos. Este teste pode ser refeito após os 28 dias de tratamento da PEP, se o médico achar necessário. Veja o que fazer na suspeita de infecção pelo HIV.

Na hipótese de o resultado ser positivo para HIV a pessoa será encaminhada para o início do tratamento, que é sigiloso e gratuito, além de contar também com o auxílio de profissionais da psicologia ou psiquiatria.

Como diminuir o risco de pegar HIV

A principal forma de prevenir o contato com o HIV, seja por via oral ou por outra forma de contato sexual, é através do uso de preservativo nas relações sexuais. No entanto, outras formas de evitar a infecção pelo vírus HIV são:

  • Realizar anualmente teste para verificar a presença de outras IST's;
  • Reduzir o número de parceiros sexuais;
  • Evitar o contato direto ou a ingestão de fluidos corporais, como sêmen, fluido vaginal e sangue;
  • Não fazer uso de seringas e agulhas já usadas por outras pessoas;
  • Dar preferência à ida a manicures, tatuadores ou podólogos que façam uso de materiais descartáveis ou que seguem todas as regras para a esterilização dos materiais usados. 

É recomendado também que seja feito o teste rápido de HIV no mínimo de seis em seis meses, para que, caso exista infecção, o tratamento seja iniciado antes da manifestação dos sintomas, de forma a evitar o aparecimento da AIDS.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Teste rápido de HIV: saiba o resultado em 30 minutos. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/teste-rapido-de-hiv-saiba-o-resultado-em-30-minutos>. Acesso em 17 Jul 2020
  • HIV RISK. How can I prevent getting or transmitting HIV?. Disponível em: <https://hivrisk.cdc.gov/can-prevent-getting-transmitting-hiv/>. Acesso em 17 Jul 2020
  • CDC. Prevention. Disponível em: <https://www.cdc.gov/hiv/basics/prevention.html>. Acesso em 17 Jul 2020
  • CDC. Oral Sex and HIV Risk. Disponível em: <https://www.cdc.gov/hiv/risk/oralsex.html>. Acesso em 17 Jul 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem