Hipoglicemia reativa: o que é, sintomas, causas e tratamento

setembro 2022

A hipoglicemia reativa é quando os níveis de glicose no sangue ficam muito baixos cerca de 2 a 5 horas após uma refeição, podendo causar sintomas típicos de hipoglicemia como tremor, suor excessivo e dificuldade de raciocínio.

Embora os sintomas da hipoglicemia reativa sejam semelhantes aos da hipoglicemia comum, exames no sangue como a dosagem de glicose e a curva glicêmica podem ser indicados para confirmar o diagnóstico. 

Assim, em caso de suspeita de hipoglicemia reativa, é importante consultar um endocrinologista para uma avaliação e, quando indicado, o tratamento pode envolver desde uma dieta com menos açúcares, uso de medicamentos e cirurgia, em alguns casos.  

Principais sintomas

Os principais sintomas de hipoglicemia reativa são:

  • Dor de cabeça;
  • Fome;
  • Tremores;
  • Enjoo;
  • Suor excessivo;
  • Tontura;
  • Cansaço;
  • Sonolência ou agitação;
  • Palpitações;
  • Dificuldade de raciocínio.

Embora estes sintomas sejam os mesmos que normalmente ocorrem na hipoglicemia relacionada ao jejum ou diabetes, tendem a surgir cerca de 2 a 5 horas após a alimentação, principalmente caso tenha ocorrido a ingestão de alimentos ricos em açúcares. Confira mais sintomas e o que fazer em caso de hipoglicemia.

Em caso de suspeita de hipoglicemia reativa é importante consultar um endocrinologista para uma avaliação e caso sintomas como convulsões ou desmaio ocorram é recomendado procurar uma emergência para iniciar o tratamento apropriado.

Principais causas

A hipoglicemia reativa pode ser causada por uma maior sensibilidade do corpo à insulina, o que pode levar a uma diminuição mais acentuada da glicose no sangue após a alimentação em algumas pessoas. 

No entanto, algumas vezes a hipoglicemia reativa também pode ser causada por alterações que provocam aumento da velocidade do esvaziamento do estômago, como é o caso das cirurgias bariátricas, e/ou maior produção de hormônios que afetam o controle da glicose no sangue, como no caso do insulinoma. Entenda melhor o que é insulinoma e quais os seus sintomas.

Além disso, a hipoglicemia reativa também pode ocorrer devido a um aumento da resistência do corpo ao efeito da insulina, o que pode acontecer em pessoas com diabetes tipo 2 ou pré-diabetes. Entenda melhor o que é a diabetes tipo 2.

Hipoglicemia reativa e síndrome de Dumping

A síndrome de Dumping é uma causa de hipoglicemia reativa, que pode ocorrer geralmente após cirurgias do esôfago ou estômago, como as cirurgias bariátricas, devido às alterações na estrutura desses órgãos que pode levar a uma rápida passagem de alimentos do estômago para o intestino. Entenda melhor o que é a síndrome de Dumping.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da hipoglicemia reativa geralmente é confirmado levando em consideração os sintomas apresentados pela pessoa e por meio de exames no sangue, como a dosagem de glicose e insulina, realizados preferencialmente no momento em que os sintomas ocorrem, ou o exame de curva glicêmica. Veja como é feito o exame de curva glicêmica e como interpretar os resultados.

Como é feito o tratamento

O tratamento da hipoglicemia reativa depende da sua causa e pode envolver a adoção de uma dieta mais equilibrada, com menor consumo de açúcares, e medicamentos, como a acarbose e metformina. Em alguns casos, pode ser indicada a realização de cirurgia, principalmente quando a hipoglicemia reativa está relacionada com a cirurgia bariátrica e não responde bem a outras medidas de tratamento. 

Dieta para hipoglicemia reativa

A adoção de uma alimentação equilibrada é parte importante no tratamento da hipoglicemia reativa, podendo ser indicado realizar refeições menores e com intervalos de 2 a 3 horas entre cada uma para evitar a produção excessiva de insulina após a ingestão de alimentos.

Além disso, para evitar as crises de hipoglicemia reativa é recomendado diminuir o consumo de bebidas alcoólicas e alimentos ricos em açúcares, como massas, bolos e pão branco, dando preferência para alimentos integrais, que possuem baixo índice glicêmico.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em setembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em dezembro de 2019.

Bibliografia

  • ALTUNTAS, Yuksel. Postprandial Reactive Hypoglycemia. Sisli Etfal Hastan Tip Bul. Vol.53, n.3. 215–220, 2019
  • STATPEARLS. Hypoglycemia. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK534841/>. Acesso em 06 set 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SCARPELLINI, Emidio et al. International consensus on the diagnosis and management of dumping syndrome. Nat Rev Endocrinol. Vol.16, n.8. 448–466, 2020
  • GALATI, Sandi-Jo; RAYFIELD, Elliot J. Approach to the patient with postprandial hypoglycemia. Endocr Pract. Vol.20, n.4. 331-340, 2014
  • HONKA, Henri; SALEHI, Marzieh. Postprandial hypoglycemia after gastric bypass surgery: from pathogenesis to diagnosis and treatment. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. Vol.22, n.4. 295–302, 2019
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Hipoglicemia pós-prandial: problemas com o diagnóstico. Disponível em: <https://www.diabetes.org.br/publico/notas-e-informacoes/1040-hipoglicemia-pos-prandial-problemas-com-o-diagnostico>. Acesso em 10 dez 2019
  • HELLER, Simon R. Glucose Concentrations of Less Than 3.0 mmol/L (54 mg/dL) Should Be Reported in Clinical Trials: A Joint Position Statement of the American Diabetes Association and the European Association for the Study of Diabetes. Diabetes Care. Vol 40. 155-157, 2017
  • MONGRAW-CHAFFIN, Morgana; BEAVERS, Daniel P.; McCLAINS, Donald A. Hypoglycemic symptoms in the absence of diabetes: Pilot evidence ofclinical hypoglycemia in young women. Journal of Clinical & Translational Endocrinology. Vol 18. 2019
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • DIETA LOW CARB: VALE A PENA?

    04:23 | 341412 visualizações