Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é e como tratar o hiperparatireoidismo

O hiperparatireoidismo é uma doença que provoca a produção exagerada do hormônio PTH, liberado pelas glândulas paratireoides que se encontram no pescoço por trás da tireoide.

O hormônio PTH ajuda a manter os níveis de cálcio no sangue e nos tecidos que precisam dessa substância para funcionar. Assim, quando há uma produção excessiva deste hormônio, os ossos liberam o cálcio para o sangue, enfraquecendo-os e aumentando o risco de fraturas.

Além disso, o excesso de cálcio pode ainda causar alterações no funcionamento dos músculos, pedras nos rins, aumento da pressão arterial e outros problemas cardiovasculares.

Esta doença tem cura quando é feita a cirurgia para retirar a glândula, no entanto, existem alguns remédios que podem ser utilizados para controlar os sintomas, quando não se faz a cirurgia.

O que é e como tratar o hiperparatireoidismo

Principais sintomas

Alguns dos sintomas mais comuns em casos de hiperparatireoidismo são:

  • Osso frágeis e com facilidade para partir;
  • Fraqueza muscular;
  • Desenvolvimento de pedras nos rins;
  • Aumento da vontade para urinar;
  • Dor constante na barriga;
  • Cansaço excessivo;
  • Problemas de memória;
  • Náuseas, vômitos e perda de apetite.

Na maior parte dos casos, o hiperparatireoidismo é identificado antes do surgimento dos sintomas, especialmente devido ao aumento exagerado dos níveis de cálcio nos exames de sangue, por exemplo.

Como diagnosticar

As suspeitas de hiperparatireoidismo surgem quando os níveis de cálcio estão muito altos no exame de sangue. Neses casos, o médico pode pedir outros exames de sangue mais específicos para identificar a quantidade do hormônio PTH. Se o hormônio estiver elevado significa que as glândulas paratireoides estão funcionando em excesso e, por isso, o médico diagnostica um hiperparatireoidismo primário.

Porém, também existem outras doenças que diminuem muito os níveis de cálcio, forçando as glândulas paratireoides a funcionar mais para produzir mais hormônio PTH e regular os níveis de cálcio no sangue. Nesses casos, o excesso de PTH não é provocado por uma alteração nas glândulas e, por isso, é considerado um hiperparatireoidismo secundário.

Como é feito o tratamento

Alguns casos de hiperparatireoidismo não necessitam de qualquer tipo de tratamento, especialmente se os níveis de cálcio estiverem aumentados apenas ligeiramente e não provocarem qualquer alteração no funcionamento dos rins ou alteração na densidade dos ossos. Nesses casos, o médico pode manter apenas exames regulares para garantir que não existem alterações nos níveis de cálcio e PTH.

Porém, quando é necessário tratamento, existem algumas opções diferentes, que incluem:

  • Cirurgia: é a forma de tratamento mais utilizada, pois retira as glândulas afetadas, curando a doença. No entanto, possui alguns riscos como lesões nos nervos que controlam as cordas vocais ou diminuição acentuada dos níveis de cálcio;
  • Remédios calcimiméticos: possuem um efeito semelhante ao cálcio, levando as glândulas a produzir menos hormônios. Um exemplo destes remédios é o cinacalcete.
  • Reposição hormonal: é feito especialmente em mulheres após a menopausa, pois a reposição de alguns hormônios ajuda a manter os níveis de cálcio nos ossos;
  • Remédios bisfosfonados: são usados quando o principal efeito do hiperparatireoidismo é a redução da densidade óssea, porque ajuda a manter o cálcio no interior dos ossos.

Quando o tratamento não é feito de forma adequada podem surgir complicações graves como osteoporose, pedras nos rins frequentes ou doenças do coração.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...