Herniorrafia: o que é, quando é indicada e como é feita

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
fevereiro 2022

A herniorrafia é a cirurgia para o tratamento de hérnia para reparar a fraqueza ou fragilidade do músculo, que faz com que uma parte de um órgão ou tecido do corpo se desloque e passe pelo músculo fragilizado, causando o surgimento de protuberância por baixo da pele.

Essa cirurgia pode ser indicada para diferentes tipos de hérnias, como a hérnia inguinal, abdominal ou umbilical, por exemplo, o que permite ao médico colocar o órgão de volta na sua posição correta e reparar o ponto fraco no músculo. Em alguns casos, o médico pode colocar uma tela de sustentação no músculo, sendo essa cirurgia conhecida como hernioplastia.

Antes da realização da herniorrafia, o cirurgião pode solicitar exames de sangue e de imagem para avaliar o estado de saúde da pessoa e, dependendo do tamanho da hérnia, presença de outras doenças e da idade da pessoa, será indicada a cirurgia aberta ou por videolaparoscopia.

Quando é indicada

A herniorrafia é indicada para o tratamento da hérnia nos seguintes casos:

  • Hérnia inguinal;
  • Hérnia abdominal;
  • Hérnia umbilical;
  • Hérnia epigástrica.

Em alguns casos, a herniorrafia pode ser indicada como tratamento de emergência da hérnia, especialmente quando ocorre estrangulamento intestinal, levando à falta de circulação de sangue para o intestino levando a sintomas de vômitos e cólicas intensas.

Como se preparar para a cirurgia

Alguns cuidados são importantes para se preparar para a cirurgia como esclarecer com o cirurgião todas as dúvidas sobre a cirurgia e a recuperação, além de informar todos os medicamentos, vitaminas e suplementos nutricionais que se toma com frequência, pois alguns podem afetar a recuperação, interferir na anestesia ou aumentar o risco de formação de coágulos ou de sangramento. 

Antes de realizar a herniorrafia, o médico poderá solicitar uma série de exames, como hemograma, coagulograma, glicemia, provas de função renal e risco cirúrgico que servirão para avaliar o estado de saúde geral.

O médico anestesiologista também fará avaliações da saúde da pessoa, além de coletar informações sobre peso, altura, possíveis alergias e medicamentos de uso habitual. 

No dia anterior à cirurgia, é preciso evitar fazer atividades físicas muito intensas e se a pessoa toma algum remédio anticoagulante, que servem para "afinar" o sangue, o médico recomenda parar de tomar antes da cirurgia. Além disso, é recomendado fazer jejum de 8 a 12 horas para a realização de herniorrafia. Além disso, é recomendado não fumar e nem consumir bebidas alcoólicas antes da cirurgia.

Como é feita a cirurgia

A herniorrafia é feita pelo cirurgião para reparar o ponto fraco do músculo e colocar o órgão de volta na sua posição correta. 

Antes de iniciar a cirurgia, é administrado soro fisiológico na veia, pelo enfermeiro, para hidratar e administrar medicamentos e também para que o anestesista faça a anestesia geral. Em alguns casos, a herniorrafia pode ser feita com anestesia epidural, como na hérnia inguinal, por exemplo. Saiba como é feita a anestesia epidural

A herniorrafia pode ser feita de duas formas dependendo da saúde da pessoa e da gravidade da hérnia:

1. Herniorrafia aberta

A herniorrafia aberta, é um tipo de cirurgia convencional, em que o cirurgião faz um corte na região onde está a hérnia e reintroduz a parte do órgão que está para fora. Em seguida, o médico costura o ponto fraco do músculo e fecha o corte sobre a pele. 

Em alguns casos, o cirurgião pode reforçar o músculo com auxílio de uma tela sintética, para evitar que a hérnia volte no mesmo local. O material desta tela é produzida de polipropileno e são absorvidas pelo corpo facilmente, com riscos de rejeição muito baixas.

2. Herniorrafia por laparoscopia

A herniorrafia por laparoscopia é a cirurgia realizada com anestesia geral e consiste na técnica em que o cirurgião faz pequenos cortes na região do abdome, introduz gás carbônico dentro da cavidade abdominal e em seguida coloca um tubo fino com uma câmera de vídeo conectada.

A partir das imagens reproduzidas em um monitor, o cirurgião usa instrumentos, como pinças e tesouras muito finas, para reparar a hérnia, colocando uma tela de sustentação ao final do procedimento. O tempo de recuperação deste tipo de cirurgia tende a ser menor do que na cirurgia aberta.

As pessoas submetidas à cirurgia laparoscópica geralmente experimentam um tempo de recuperação um pouco menor. No entanto, o médico pode determinar que a cirurgia laparoscópica não é a melhor opção se a hérnia for muito grande ou se a pessoa tiver feito cirurgia pélvica.

Como é a recuperação

A recuperação após a cirurgia, nos primeiros 1 a 2 dias, é feita no hospital, com acompanhamento do cirurgião, do anestesista e do enfermeiro. Logo após a herniorrafia a pessoa pode sentir dor ou desconforto no local da cirurgia, podendo ser administrados remédios para aliviar a dor imediatamente após o procedimento.

Após a alta hospitalar, alguns cuidados devem ser seguidos em casa para ajudar na recuperação e evitar complicações, como:

  • Repousar pelo tempo determinado pelo médico, que pode variar entre 1 a 2 semanas;
  • Tomar os remédios nos horários certos conforme indicado pelo médico;
  • Evitar dirigir nas primeiras semanas, após a cirurgia e ter cuidado para não colocar o cinto de segurança sobre a cicatriz da cirurgia;
  • Evitar atividades físicas nas primeiras 4 a 6 semanas, tendo cuidado ao subir e descer escadas ou trabalhar, por exemplo;
  • Não pegar peso, por no mínimo 4 a 6 semanas;
  • Aplicar compressa de gelo nas primeiras 48 horas, duas vezes por dia por 10 minutos, no caso da hérnia inguinal.

Além disso, o médico pode indicar o uso de faixas ou cintas abdominais para evitar que a hérnia volte a aparecer até que o local esteja totalmente cicatrizado, o modelo e o tempo de uso da cinta vai depender da gravidade e do tipo da hérnia, além do tipo de cirurgia realizada.

A recuperação da herniorrafia pode levar cerca de 4 a 6 semanas, sendo importante seguir todas as recomendações médicas para uma boa recuperação e para evitar complicações.

Possíveis complicações

As principais complicações da herniorrafia podem ser relacionadas à colocação da tela, como aderências, obstrução intestinal, fibrose ou associadas a lesões nos nervos da região operada.

Outra complicação que pode acontecer por causa da herniorrafia, especialmente na hérnia inguinal, é a retenção urinária, que é quando a pessoa não consegue esvaziar a bexiga totalmente, no entanto, esta situação depende do tipo de anestesia que foi utilizada e da técnica abordada pelo cirurgião. Confira mais o que é retenção urinária e como é feito o tratamento.  

Além disso, embora sejam raros, podem ocorrer complicações da anestesia geral ou epidural como náuseas, vômitos, queda da pressão arterial, calafrios, tremores, febre ou infecção, por exemplo. 

Sinais de alerta para voltar ao médico

É importante consultar o cirurgião ou procurar o pronto socorro mais próximo caso surjam sintomas como:

  • Febre;
  • Vermelhidão ou aumento de temperatura na cicatriz;
  • Líquidos ou sangramento no local da ferida;
  • Dor no local da cirurgia, mesmo após uma semana do procedimento.

Esses sintomas podem indicar uma infecção e, nesses casos, deve-se buscar ajuda médica imediatamente.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em fevereiro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em janeiro de 2020.

Bibliografia

  • LO, C. W.; et al. Comparison of laparoendoscopic single-site versus conventional multiple-port laparoscopic herniorrhaphy: a systemic review and meta-analysis. Hernia. 20. 1; 21-32, 2016
  • GOULART, André; MARTINS, Sandra. Hérnia Inguinal: Anatomia, Patofisiologia, Diagnóstico e Tratamento. Rev. Port. Cir. n.33. 25-42, 2015
Mostrar bibliografia completa
  • UNIVERSITY OF CALIFORNIA. Inguinal Hernia. Disponível em: <https://generalsurgery.ucsf.edu/conditions--procedures/inguinal-hernia.aspx>. Acesso em 31 jan 2020
  • NHS. How it's performed Inguinal hernia repair. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/inguinal-hernia-repair/what-happens/>. Acesso em 31 jan 2020
  • GROSS, João V.M. et al. Herniorrafia inguinal: pode-se identificar os três principais nervos da região?. Rev. Col. Bras. Cir.. Vol.42, n.3. 149-153, 2015
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE HÉRNIA E PAREDE ABDOMINAL. Cuidados necessários após a cirurgia de hérnia inguinal. Disponível em: <https://sbhernia.org.br/cuidados-necessarios-apos-a-cirurgia-de-hernia-inguinal/>. Acesso em 31 jan 2020
  • FLÁVIO, Vinícius N. et al. Complicações Urológicas Da Herniorrafia Inguinal Com Uso De Tela. REVISTA UROMINAS. Vol.3, n.8. 28-33, 2016
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.