Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que pode causar o Aumento da mama no Homem

A ginecomastia é um distúrbio que ocorre no homem, mais frequentemente na puberdade, que é caracterizado pelo aumento das mamas, que pode acontecer devido ao excesso de tecido glandular mamário, excesso de peso ou até mesmo doenças.

A falsa ginecomastia ocorre em homens que estão acima do peso e desenvolvem aumento das mamas. Neste caso não existem glândulas mamárias junto à gordura e por isso os medicamentos hormonais não são indicados para o tratamento. Este tipo de aumento da mama no homem é chamado de lipomastia.

A ginecomastia ocorre quando existem glândulas mamárias localizadas no local onde só deveria haver uma fina camada de gordura e neste caso, isto pode ocorrer em uma mama, tendo o nome de ginecomastia unilateral, ou em ambas as mamas, sendo chamada de ginecomastia bilateral. Quando ocorre nas duas mamas, elas, geralmente, aumentam de forma desigual, o que prejudica a auto-estima do rapaz.

A ginecomastia tem cura, pois na puberdade ela normalmente é transitória, desaparecendo espontaneamente ou pode ser corrigida através do tratamento com a eliminação da sua causa ou através de uma cirurgia plástica.

O que pode causar o Aumento da mama no Homem

Principais causas

As causas de ginecomastia podem ser alterações nos hormônios masculinos e femininos, doenças hepáticas, alguns tratamentos medicamentosos com hormônios femininos, toma de anabolizantes, consumo de drogas como a maconha ou tumores testiculares ou pulmonares, hipertireoidismo, hipotireoidismo, derrame pleural ou tuberculose.

Os remédios que comprovadamente podem levar ao aumento da mama em homens são cremes ou substâncias que contenham estrogênio como:

  • clomifeno, à base de cannabis, isoniazida,
  • gonadotrofina,  hormônio do crescimento,
  • bisulfan, nitrosureia, vincristina,
  • cetoconazol, metronidazol,
  • etomidato, leuprolide, flutamida,
  • finasterida, ciproterona, cimetidina,
  • bloqueadores de canal de cálcio, inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA),
  • betabloqueadores, amiodarona, metildopa, nitratos, neurolépticos,
  • diazepam, espironolactona, fenitoína, antidepressivos tricíclicos, 
  • haloperidol, anfetaminas, teofilina, omeprazol, domperidona, heparina e remédios para AIDS.

Nos casos em que a ginecomastia é causada pelo uso de medicamentos, deve-se suspender a sua utilização, se for possível.

Tipos de ginecomastia

Os tipos de ginecomastia incluem:

  • Ginecomastia de grau 1, em que ocorre o aparecimento de uma massa de tecido glandular mamário concentrado, como um botão ao redor da aréola, não existindo acúmulo de pele ou de gordura;
  • Ginecomastia de grau 2, em que a massa de tecido mamário está difusa, podendo haver acúmulo de gordura;
  • Ginecomastia de grau 3, em que a massa de tecido mamário está bastante difusa, havendo também, além da gordura, excesso de pele no local.

Consoante os tipos de ginecomastia aumentam de grau, a cirurgia é mais complexa.

Como identificar

Para identificar a ginecomastia basta observar o tamanho e a forma do peitoral masculino. O aumento das mamas é muitas vezes perturbador e vergonhoso para o homem, pois está associado a fatores psicológicos, como o embaraço e a limitações no desporto e em outras atividades sociais, como ir à praia ou usar uma roupa mais justa.

Como tratar

O tratamento para ginecomastia está relacionado com a causa. Quando a ginecomastia se deve ao desiquilíbrio hormonal, o tratamento é feito com hormônios para os regular. Um exemplo de remédio para ginecomastia é o Tamoxifeno, que é um anti-estrogênico que bloqueia os efeitos dos estrogênios, que são hormônios femininos.

Nos casos em que os remédios não tiveram efeito, indica-se a cirurgia para ginecomastia, para redução da ou das mamas. Veja como a cirurgia é feita em: Tratamento para ginecomastia.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...