Fobia social: o que é, sintomas, causas e tratamento

A fobia social, também chamada de transtorno de ansiedade social, é um transtorno psicológico no qual a pessoa apresenta uma ansiedade e medo excessivos diante de situações em que poderia ser avaliada de forma negativa por seu desempenho ou pelo o que outras pessoas vão dizer ou pensar sobre ela.

Os sintomas desse transtorno podem surgir em situações específicas, como reunião com pessoas desconhecidas, comer na frente de outras pessoas, ter uma entrevista de trabalho ou dar uma palestra, por exemplo, o que pode interferir na vida pessoal, familiar e profissional. Normalmente a fobia social é notada durante a infância e a adolescência, sendo mais comum em mulheres.

O tratamento para fobia social é feito com psicoterapia, através de terapia cognitivo-comportamental e terapia de exposição, assim como uso de medicamentos que podem ser indicados pelo psiquiatra em alguns casos, como alprazolam, paroxetina ou propranolol, que ajudam a diminuir os sintomas de ansiedade.

Fobia social: o que é, sintomas, causas e tratamento

Sintomas de fobia social

Os sintomas de fobia social incluem:

Medo ou ansiedade intensa durante situações em que a pessoa está exposta à críticas;

  • Evitar a maioria das situações em que existem muitas pessoas;
  • Medo de ser ridicularizado;
  • Sudorese;
  • Palpitações:
  • Tremores;
  • Sensação de falta de ar;
  • Dificuldade para falar;
  • Náuseas;
  • Tonturas.

Esses sintomas também podem surgir nas crianças, podendo ser acompanhados por choro, episódios de raiva ou paralisia, por exemplo. Por isso, é importante estar atento a qualquer sinal ou sintoma que possa ser indicativo de fobia social, pois dessa forma é possível que o psicólogo seja consultado mais rapidamente e seja possível desenvolver ferramentas que ajudem a pessoa a lidar com as situações.

Principais causas

As causas da fobia social ainda não são totalmente esclarecidas, no entanto alguns fatores pode aumentar a chance da pessoa desenvolver esse transtorno, como:

  • Experiência passada traumatizante em público;
  • Antecedentes familiares;
  • Maus-tratos na infância;
  • Falta de habilidades sociais;
  • Experiências negativas em situações sociais, como xingamentos e rejeição;
  • Mudança de trabalho, escola ou casa.

Essas situações diminuem a confiança da pessoa, fazendo com que duvide das suas próprias capacidades de desempenhar qualquer função em público.

Como é feito o tratamento

O tratamento para fobia social geralmente é orientado por um psicólogo e é iniciado com terapia cognitiva comportamental, na qual a pessoa aprende a controlar os sintomas da ansiedade, a desafiar os pensamentos que o fazem ficar ansioso, substituindo-os por pensamentos adequados e positivos, a enfrentar situações da vida real para superar os seus medos e a praticar as suas habilidades sociais em grupo.

No entanto, quando a terapia não é suficiente, o psicólogo pode encaminhar a pessoa para um psiquiatra, onde podem ser receitados remédios ansiolíticos ou antidepressivos, que vão ajudar a obter melhores resultados. No entanto, o ideal sempre é tentar a terapia com o psicólogo antes de optar pelo uso de medicamentos.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BADOS, Arturo. FOBIA SOCIAL. 2017. Universitat de Barcelona.
  • American Psychistric Association. Manual Diagnóstico e Estatístico de transtornos mentais - DSM-5. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014. 202- 208.
  • ELIZONDO, Yerlin. TRASTORNO DE ANSIEDAD SOCIAL (FOBIA SOCIAL). REVISTA MEDICA SINERGIA. 1. 4; 20-24, 2016
Mais sobre este assunto: