Fissura anal: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
agosto 2022

A fissura anal é uma pequena ferida que surge no ânus, como uma espécie de corte que se situa logo na entrada do ânus, e que causa sintomas como dor, desconforto, pequenos sangramentos e ardência ao defecar.

Geralmente, esse tipo de fissura é causada pela passagem de fezes muito secas e duras, que dilatam o esfincter, provocando a lesão. No entanto, outros problemas como prisão de ventre, diarreia intensa, contato íntimo na região anal ou herpes genital, por exemplo.

Caso existam sintomas de fissura anal, é importante que a pessoa reforce os hábitos de higiene, devendo lavar a região com água e sabonete após defecar ou urinar. Além disso, o médico pode também indicar o uso de algumas pomadas que podem ajudar a aliviar a dor e o desconforto e acelerar a cicatrização.

Sintomas de fissura anal

Os principais sintomas de fissura anal são:

  • Dor no ânus;
  • Ardência e queimação ao defecar ou urinar;
  • Presença de sangue nas fezes e no papel higiênico;
  • Coceira no ânus.

Em crianças e bebês, a fissura anal pode piorar a prisão de ventre, já que existe dor para defecar, podendo ser recomendado a criança fazer uso de alguns laxantes naturais para as fezes ficarem mais amolecidas e a sua saída ser favorecida. Confira algumas opções de laxantes caseiros para bebês e crianças.

Teste online de sintomas

Para saber a chance de ter uma fissura anal, selecione os sintomas que apresenta no teste a seguir:

  1. 1.Dor na região da entrada do ânus
  2. 2.Presença de sangue no papel higiênico
  3. 3.Presença de sangue nas fezes
  4. 4.Ardência na região, especialmente ao defecar ou urinar
  5. 5.Coceira no ânus

Causas de fissura anal

A fissura anal acontece principalmente devido à força excessiva para evacuar, podendo ser também diretamente relacionada com a prisão de ventre, em que as fezes ficam mais endurecidas e volumosas, tornando mais difícil a sua eliminação.

No entanto, a fissura anal também pode ser consequência da diarreia, doenças intestinais como colite ulcerativa e doença de Crohn, por exemplo, infecção pelo vírus da herpes e relação sexual anal.

Como é feito o tratamento

O mais importante no tratamento da fissura anal é manter uma higiene íntima adequada, para que seja evitado o surgimento de infecções que dificultam a cicatrização. Para isso, sempre que possível, após defecar ou urinar, deve-se lavar abundantemente a região com água e um pouco de sabonete íntimo ou passar o papel higiênico umedecido em água. Os lenços umedecidos industrializados podem não ser uma boa opção, pois podem conter álcool e outras substâncias que acabam irritando a região.

Além disso, fazer banhos de assento com água morna, durante 5 a 20 minutos, após defecar principalmente, também são uma opção, pois acalmam a ardência e reduzem a dor. Além disso, é importante manter uma alimentação equilibrada e rica em fibras e aumentar o consumo de água, pois assim é possível melhorar o funcionamento intestinal e tornar as fezes mais macias, prevenindo o aparecimento da fissura.

Pomadas para fissura anal

As pomadas para fissura anal devem ser utilizadas durante o tratamento quando os sintomas são muito intensos e provocam muito desconforto para defecar. Assim, alguns exemplos de pomada são:

  • Proctyl ou Ultraproct: são pomadas que contêm uma substância anestésica que reduz a sensibilidade à dor;
  • Rectogesic e outras pomadas com nitroglicerina: ajuda no relaxamento do esfíncter anal e melhora a circulação sanguínea na região, facilitando a cicatrização da fissura;
  • Bepantol ou Hipoglós: são pomadas cicatrizantes que hidratam e estimulam a cicatrização da pele.

Essas pomadas podem ser indicadas por um proctologista e devem ser adequadas aos sintomas de cada pessoas e à causa específica da fissura anal.

Nos casos mais graves, quando a fissura anal é grande e profunda, o médico pode indicar analgésicos e anti-inflamatórios orais, como Paracetamol ou Naproxeno, para o alivio da dor e inflamação, ou antibióticos como Neomicina ou Gentamicina, por exemplo, para tratar possíveis infecções.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em agosto de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em março de 2020.

Bibliografia

  • PROJETO DIRETRIZES (ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA E CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA). Fissura anal: manejo. 2008. Disponível em: <https://diretrizes.amb.org.br/_BibliotecaAntiga/fissura-anal-manejo.pdf>. Acesso em 23 mar 2020
  • PHILLIPS, R.K.S; CLARK, S. Cirurgia Colorretal. 5 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.
Mostrar bibliografia completa
  • AMARO, Pedro; DUARTE, Alexandre . Fissura anal- Parte I: fundamentos teóricos. REVISTA PORTUGUESA DE COLOPROCTOLOGIA. p. 18-26, 2009
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • Como Beber Mais Água

    04:51 | 1034837 visualizações