Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Fissura anal: o que é, sintomas e como tratamento

A fissura anal é uma pequena ferida que surge no ânus, como uma espécie de corte que se situa logo na entrada do ânus, e que causa sintomas como dor, desconforto, pequenos sangramentos e ardência ao defecar.

Geralmente, esse tipo de fissura é causada pela passagem de fezes muito secas e duras, que dilatam o esfincter, provocando a lesão. No entanto, outros problemas como prisão de ventre, diarreia intensa, contato íntimo na região anal, herpes genital ou hemorroidas também podem levar ao desenvolvimento de uma fissura.

Fissura anal: o que é, sintomas e como tratamento

Principais sintomas

Alguns dos sintomas que indicam a presença de uma fissura anal incluem: 

  • Dor na região da entrada do ânus, especialmente quando é realizada a higiene com papel; 
  • Presença de raias de sangue no papel ou lenço umedecido usado para fazer a higiene; 
  • Sangue nas fezes;
  • Ardência, especialmente ao urinar ou ao defecar.  

A ferida da fissura anal pode causar um espasmo do esfíncter anal o que dificulta a evacuação e nos casos mais graves pode mesmo existir sangue nas fezes. Em crianças e bebês, a fissura anal pode piorar a prisão de ventre por causar dor, podendo ser recomendado a criança fazer uso de alguns laxantes naturais para as fezes ficarem mais amolecidas e a sua saída ser favorecida. Confira algumas opções de laxantes caseiros para bebês e crianças.

Como é feito o tratamento

O mais importante no tratamento da fissura anal é manter uma higiene íntima adequada, para que seja evitado o surgimento de infecções que dificultam a cicatrização. Para isso, sempre que possível, após defecar ou urinar, deve-se lavar abundantemente a região com água e um pouco de sabonete íntimo ou passar o papel higiênico umedecido em água. Os lenços umedecidos industrializados podem não ser uma boa opção, pois podem conter álcool e outras substâncias que acabam irritando a região.

Além disso, fazer banhos de assento com água morna, durante 5 a 20 minutos, após defecar principalmente, também são uma opção, pois acalmam a ardência e reduzem a dor, mas outras estratégias são:

Pomadas para fissura anal

As pomadas devem ser utilizadas durante o tratamento quando os sintomas são muito intensos e provocam muito desconforto para defecar. Assim, alguns exemplos de pomada são:

  • Proctyl ou Ultraproct: são pomadas que contêm uma substância anestésica que reduz a sensibilidade à dor;
  • Rectogesic e outras pomadas com nitroglicerina: ajuda no relaxamento do esfíncter anal e melhora a circulação sanguínea na região, facilitando a cicatrização da fissura;
  • Bepantol ou Hipoglós: são pomadas cicatrizantes que hidratam e estimulam a cicatrização da pele.

Essas pomadas podem ser indicadas por um proctologista e devem ser adequadas aos sintomas de cada pessoas e à causa específica da fissura anal.

Nos casos mais graves, quando a fissura anal é grande e profunda, o médico pode indicar analgésicos e anti-inflamatórios orais, como Paracetamol ou Naproxeno, para o alivio da dor e inflamação, ou antibióticos como Neomicina ou Gentamicina, por exemplo, para tratar possíveis infecções.

Botox e cirurgia

Outras possibilidades de tratamento das fissuras anais, principalmente as crônicas, são o uso de toxina botulínica, o botox, e procedimentos cirúrgicos, que visam reduzir o tônus do esfincter anal e melhorar os sintomas e ocorrência de novas fissuras quando os outros tratamentos não são suficientes para cicatrizar as fissuras.

Como evitar que a fissura volte a surgir

Na maior parte das vezes, as fissuras anais são causadas por fezes muito secas e prisão de ventre e, por isso, é recomendado investir numa alimentação equilibrada e rica em fibras, além de apostar na atividade física regular para ajudar a regular o intestino.

Porém, para evitar as fezes secas é muito importante beber água em quantidade suficiente. Confira nesse vídeo as dicas da nossa nutricionista para beber mais água durante o dia: 

Bibliografia >

  • PHILLIPS, R.K.S; CLARK, S. Cirurgia Colorretal. 5 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.
  • AMARO, Pedro; DUARTE, Alexandre . Fissura anal- Parte I: fundamentos teóricos. REVISTA PORTUGUESA DE COLOPROCTOLOGIA. p. 18-26, 2009. Disponível em: https://www.spcoloprocto.org/uploads/rpcol__jan_abril_2009__pags_18_a_26__recomendacoes__fissura_anal__parte_i.pdf . Acesso em: 23/03/2020.
  • Sociedade Brasileira de Coloproctologia; Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Fissura anal: manejo. Projeto Diretrizes (Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina). p. 1-9, 2008. Disponível em: https://diretrizes.amb.org.br/_BibliotecaAntiga/fissura-anal-manejo.pdf . Acesso em: 23/03/2020.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem