Ferritina baixa: sintomas, o que pode ser (e o que fazer)

A ferritina baixa pode ser causada por anemia ferropriva, hipotireoidismo ou sangramento menstrual intenso, resultando em sintomas como cansaço, fraqueza, palidez, falta de apetite, queda de cabelo, dores de cabeça ou tonturas.

A ferritina é uma proteína responsável por armazenar ferro no organismo, que é um mineral que faz parte da hemoglobina e mioglobina, que transportam oxigênio dos pulmões para os tecidos e músculos de todo o corpo. Entenda melhor para que serve a ferritina.

O tratamento da ferritina sérica baixa é feito pelo hematologista, clínico geral, gastroenterologista ou endocrinologista e varia de acordo com sua causa podendo ser indicado o uso de suplementos de ferro, remédios como a levotiroxina, terapia hormonal ou alterações na dieta, por exemplo.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas de ferritina baixa

Os principais sintomas de ferritina baixa são:

  • Fraqueza;
  • Cansaço excessivo;
  • Pele pálida;
  • Tonturas;
  • Dor de cabeça;
  • Sensação de falta de ar;
  • Unhas fracas;
  • Queda de cabelo.

Além disso, outro sintoma da ferritina baixa é a pagofagia que é o desejo intenso por comer ou mastigar gelo ou tomar bebidas geladas, além de também poder causar pernas inquietas e necessidade de movimentar as pernas constantemente. 

Na presença de sintomas de ferritina baixa, deve-se consultar o clínico geral ou hematologista para identificar a causa e indicar o tratamento mais adequado.

Ferritina baixa pode ser câncer?

A ferritina baixa pode ser indicativa de anemia ferropriva, também chamada de anemia por deficiência de ferro, que pode acontecer devido a sangramentos em casos de câncer gastrointestinal oculto.

No entanto, na maioria dos casos, a ferritina baixa não significa câncer, mas em casos de sangramento gastrointestinal, pode ser um sinal que precisa ser investigado pelo médico com outros exames, como a colonoscopia, por exemplo.

Como saber se está baixa

Para saber se a ferritina está baixa, deve-se fazer um exame de sangue para dosar a quantidade circulante dessa proteína no sangue. Assim, é considerada ferritina baixa quando é identificado menos de 30 ng/dL, nos homens, e menos de 10 ng/dL, nas mulheres, de ferritina circulante no sangue.

Os valores de ferritina baixa devem ser avaliados pelo médico junto com outros exames, como hemograma completo, níveis de ferro no sangue, e o índice de saturação da transferrina, por exemplo, além da avaliação dos sintomas e exame físico.

Preocupado com o resultado do seu exame?

Estamos aqui para ajudar! Fale com os nossos profissionais e receba orientação especializada sobre o que fazer a seguir.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

O que pode ser ferritina baixa

 As principais causas de ferritina baixa são:

1. Anemia ferropriva

A anemia ferropriva é causada pela deficiência de ferro, que é importante para produzir a hemoglobina e formar as hemácias, que são células que transportam oxigênio para os tecidos do corpo.

As principais causas da anemia ferropriva são alimentação pobre em ferro, dificuldade de absorção do ferro pelo organismo, perda de sangue contínua e prolongada dentro do sistema digestório ou gravidez, por exemplo.

O que fazer: o tratamento da anemia ferropriva deve ser feito de acordo com a orientação do hematologista e, normalmente, inclui o uso de suplementos de ferro, além do consumo de alimentos ricos em ferro como lentilha, salsa, feijão e carnes vermelhas, por exemplo. Veja como fazer uma alimentação rica em ferro

Leia também: Anemia ferropriva: o que é, sintomas, causas e tratamento tuasaude.com/anemia-ferropriva

2. Hipotireoidismo

A ferritina baixa pode estar relacionada ao hipotireoidismo, pois como armazena ferro no organismo, que é um cofator da tireoglobulina peroxidase para a produção de hormônios tireoidianos, pode levar a uma redução na produção de hormônios da tireoide.

O hipotireoidismo é caracterizado pela diminuição dos hormônios T3 e T4 pela tireoide, resultando em sintomas como cansaço, fraqueza e indisposição, pele seca e áspera ou aumento do peso.

O que fazer: o tratamento do hipotireoidismo deve ser feito com a orientação do endocrinologista, e normalmente envolve remédios, como a levotiroxina, para repor os hormônios tireoidianos. Veja como é feito o tratamento do hipotireoidismo

3. Sangramento menstrual intenso

O sangramento menstrual intenso, ou hemorragia menstrual, pode resultar em anemia devido a perda excessiva de hemácias, também chamada de glóbulos vermelhos no sangue, o que pode diminuir a ferritina no sangue.

O que fazer: deve-se consultar o ginecologista para identificar a causa do sangramento menstrual intenso e indicar o tratamento mais adequado, que pode ser feito com remédios anti-inflamatórios, terapia hormonal e suplemento de ferro, se a mulher tiver anemia. Saiba como parar o sangramento menstrual intenso.

4. Sangramento gastrointestinal

O sangramento gastrointestinal também pode resultar em anemia e ferritina baixa no sangue.

Esse sangramento gastrointestinal pode ser causado por úlceras no estômago, hemorroidas ou câncer gastrointestinal oculto.

O que fazer: deve-se consultar o gastroenterologista para realizar exames, como endoscopia ou colonoscopia para identificar a causa do sangramento gastrointestinal e indicar o tratamento mais adequado.

O tratamento varia com a causa do sangramento gastrointestinal, podendo ser indicado antibióticos para úlcera no estômago, anti-inflamatórios e pomadas para hemorroidas, cirurgia ou quimioterapia para o câncer gastrointestinal, por exemplo. Veja como é feito o tratamento do câncer gastrointestinal.

5. Má absorção de ferro

A má absorção de ferro pelos intestinos pode causar anemia por deficiência de ferro e ferritina baixa no sangue.

Essa má absorção de ferro nos intestinos pode ser causada por doença celíaca, doença de Crohn, uso excessivo de remédios antiácidos, suplementos de cálcio ou como consequência da cirurgia bariátrica.

O que fazer: o tratamento da má absorção de ferro deve ser feito com orientação do gastroenterologista e varia de acordo com sua causa, podendo ser indicado suplementação de ferro, dieta sem glúten, uso de medicamentos ou redução da dose, frequência do uso ou interrupção do uso de antiácidos e suplementos de cálcio, por exemplo. 

Leia também: Suplemento de ferro: quando é indicado e como tomar tuasaude.com/suplementos-de-ferro

6. Alimentação pobre em ferro e vitamina C

A alimentação pobre em ferro é uma das principais causas da anemia por deficiência de ferro e ferritina sérica baixa.

Aliado ao baixo consumo de alimentos ricos em ferro, a alimentação pobre em vitamina C também pode resultar em anemia ferropriva, uma vez que é uma vitamina importante que aumenta a absorção do ferro pelos intestinos.

O que fazer: deve-se consultar o nutricionista que pode indicar uma alimentação rica em ferro, incluindo alimentos como carne vermelha, fígado de frango, feijão e semente de abóbora, por exemplo.

Além disso, para aumentar a absorção do ferro da alimentação, também pode ser indicados alimentos ricos em vitamina C durante as refeições, como goiaba, acerola e limão. Conheça outros alimentos ricos em vitamina C.

Ferritina baixa é grave?

A ferritina baixa é grave ou perigosa quando a causa não é tratada adequadamente, o que pode levar a anemia ferropriva grave e causar complicações como problemas cardíacos.

Além disso, a anemia grave na gravidez pode causar parto prematuro ou baixo peso do bebê ao nascer, e em crianças pode resultar em atraso no crescimento, alterações no seu desenvolvimento e aumento do risco de infecções.

Leia também: Ferritina alta: o que pode ser, sintomas (e o que fazer) tuasaude.com/ferritina-alta

Vídeos relacionados