Fator reumatoide: o que é, como é feito e como entender o resultado

O fator reumatoide é um auto-anticorpo que pode ser produzido em algumas doenças auto-imunes e que reage contra o IgG, formando imunocomplexos que atacam e destroem tecidos saudáveis, como a cartilagem das articulações, por exemplo.

Assim, a identificação de fator reumatoide no sangue é importante para investigar a presença de doenças auto-imunes, como por exemplo lúpus, artrite reumatoide ou síndrome de Sjögren, que normalmente apresentam valores elevados dessa proteína.

Fator reumatoide: o que é, como é feito e como entender o resultado

Como é feito o exame

A dosagem do fator reumatoide é feito a partir de uma pequena amostra de sangue que deve ser coletado em laboratório após jejum de pelo menos 4 horas. O sangue coletado é enviado ao laboratório, onde será realizado o teste para identificar a presença do fator reumatoide.

Dependendo do laboratório, a identificação do fator reumatoide é feito por meio da prova do látex ou do teste Waaler-Rose, em que é adicionado o reagente específico de cada teste a uma gota de sangue do paciente, em seguida é homogenizado e após 3 a 5 minutos verifica-se se há aglutinação. Caso seja verificada a presença de grumos, o teste é dito positivo, sendo necessário realizar novas diluições para verificar a quantidade de fator reumatoide presente e, assim, o grau da doença.

Como esses testes podem demandar mais tempo, o teste automático, conhecido por nefelometria, é mais prático nas práticas laboratoriais, pois permite a realização de vários testes ao mesmo tempo e as diluições são feitas automaticamente, sendo apenas informado ao profissional do laboratório e ao médico o resultado do exame.

Como entender o resultado

O resultado do exame de fator reumatoide pode variar de acordo com o teste que foi realizado. No caso de ter sido feito o teste de Waaler-Rose ou a prova do látex, o resultado é dado em forma de título, sendo considerado normal um título de até 1:20. No entanto, resultados superiores a 1:20 não indicam necessariamente artrite reumatoide, devendo o médico solicitar outros exames.

Por outro lado, quando o exame é feito de forma automática, os valores de referência podem ser:

  • Normal ou não reagente: menor que 20 UI/mL;
  • Fracamente reagente ou fracamente positivo: entre 21 e 79 UI/mL;
  • Reagente ou positivo: igual ou maior que 80 UI/mL.

Na presença de resultados fracamente positivos ou positivos, é importante informar ao médico para que possa ser indicada a realização de outros exames que permitam identificar a causa da alteração.

O que pode ser o fator reumatoide alterado

O exame de fator reumatoide é positivo quando seus valores estão acima de 1:80 ou igual ou maior que 80 UI/mL, o que é sugestivo de artrite reumatoide. Outras situações em que pode haver alteração do fator reumatoide são:

  • Lúpus eritematoso;
  • Síndrome de Sjögren;
  • Vasculite;
  • Esclerodermia;
  • Tuberculose;
  • Mononucleose;
  • Sífilis;
  • Malária;
  • Problemas no fígado;
  • Infecção no coração;
  • Leucemia.

No entanto, como o fator reumatoide também pode estar alterado em pessoas saudáveis, o médico pode pedir outros exames para confirmar a presença de alguma das doenças que aumentam o fator. Devido o resultado deste exame ser bastante complexo de interpretar, seu resultado deve ser sempre avaliado por um reumatologista. Saiba tudo sobre a artrite reumatoide.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BIOCLIN. Fator reumatoide. Disponível em: <https://quibasa.bioclin.com.br/anexos/INSTRUCOES_FATOR_REUMATOIDE.pdf>. Acesso em 29 Abr 2021
  • APTEC. Fator reumatoide. Disponível em: <http://www.kovalent.com.br/wp-content/uploads/2015/10/FATOR-REUMAT%C3%93IDE-3GER-APTEC.pdf>. Acesso em 29 Abr 2021
Mais sobre este assunto: