3 exercícios para dedo em gatilho

Revisão clínica: Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
maio 2021

Os exercícios para dedo em gatilho, que ocorre quando o dedo se dobra de forma repentina, servem para fortalecer os músculos extensores da mão, principalmente do dedo afetado, contrariando o movimento natural que o dedo em gatilho faz. 

Estes exercícios são importantes porque normalmente os músculos flexores, responsáveis por dobrar os dedos, ficam mais fortes, enquanto que os extensores ficam mais fracos, causando um desequilíbrio muscular.

Antes destes exercícios, pode-se fazer uma massagem da junta afetada, para facilitar o fluxo de sangue e ajudar a lubrificar a articulação, preparando-a para os exercícios esfregando suavemente toda a junta através de movimentos circulares durante 2 a 3 minutos.

1. Exercício 1

Colocar a mão com o dedo afetado em uma superfície plana e levantar o dedo afetado até ao máximo que se conseguir, mantendo o alongamento nesta posição, durante 30 segundos, como representado na imagem. O exercício deve ser repetido de 3 a 5 vezes.

2. Exercício 2

Colocar um elástico de borracha em volta dos dedos e, de seguida, forçar os dedos para abrir a mão, esticando o elástico. Depois, deve-se voltar lentamente à posição inicial e repetir este exercício cerca de 10 a 15 vezes.

3. Exercício 3

Colocar uma massinha debaixo da mão e tentar esticá-la, mantendo os dedos esticados, como está representado na imagem, repetindo o mesmo exercício durante cerca de 2 minutos.

Todos os exercícios devem ser executados lentamente e quando o indivíduo começar a sentir dor deve parar. Além disso, para aliviar a rigidez da mão, aquecer os tendões e ajudar a esticar o dedo, pode-se colocar a mão numa bacia com água morna.

Como é feito o tratamento

Além dos exercícios, existem outras formas de tratar o dedo em gatilho, quando se trata de um problema leve, como fisioterapia, massagens, aplicação de compressas quentes e uso de pomadas anti-inflamatórias.

Em casos mais graves, pode ser necessário recorrer a uma injeção de cortisona ou mesmo a cirurgia. Saiba mais sobre o tratamento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em maio de 2021. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em maio de 2021.
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.