Exame ASLO: o que é, para que serve e como é feito

O exame ASLO, também chamado de ASO, AEO ou da antiestreptolisina O, tem como objetivo identificar a presença de uma toxina liberada pela bactéria Streptococcus pyogenes, a estreptolisina O, que está normalmente associada a casos de faringite. O principal sinal de infecção por essa bactéria é a dor de garganta que acontece mais que 3 vezes por ano e que demora para ser solucionada.

Quando essa bactéria não é identificada e tratada corretamente, há a possibilidade de desenvolvimento de complicações, principalmente a febre reumática, podendo surgir outros sintomas como falta de ar, dor no peito ou dor e inchaço na articulações, por exemplo, sendo fundamental consultar o clínico geral ou infectologista. Entenda o que é o reumatismo no sangue.

Exame ASLO: o que é, para que serve e como é feito

Para que serve

O exame ASLO serve para identificar a presença de uma toxina produzida pela bactéria Streptococcus pyogenes e, por isso, é normalmente indicado quando a pessoa apresenta sintomas recorrentes de faringite, como vermelhidão e inchaço na garganta, dificuldade para engolir, mal estar geral e febre, por exemplo, pois assim é possível identificar se essa bactéria está relacionada com a inflamação da faringe.

Além disso, esse exame pode ser solicitado quando a pessoa apresenta níveis de antiestreptolisina O elevado mesmo sem que existam sintomas de faringite, já que pode ser indicativo de que a bactéria conseguiu se espalhar pelo sangue e atingir outros órgãos, havendo maior risco da pessoa desenvolver glomerulonefrite, escarlatina ou febre reumática, por exemplo, em que a pessoa pode também apresentar falta de ar, dor e inchaço nas articulações e manchas vermelhas na pele. Saiba como identificar a febre reumática.

Como é feito

O exame ASLO deve ser feito em jejum de 4 a 8 horas, de acordo com a recomendação médica ou do laboratório e é feito a partir da coleta de uma amostra de sangue que é enviada ao laboratório para análise.

No laboratório é realizado o teste para detectar a presença do anticorpo contra a estreptolisina O, o antiestreptolisina O, no sangue, que é feito a partir da adição de 20µL de reagente, chamado de Látex ASO, a 20µL de amostra do paciente em uma placa de fundo escuro. Em seguida, é feita a homogenização por 2 minutos e verificado se há aglutinação das partículas na placa.

O resultado é dito positivo quando é verificada aglutinação, sendo necessário realizar outros procedimentos para verificar a concentração do anticorpo produzido contra a toxina. Em alguns casos, principalmente quando a pessoa possui sintomas, o médico pode também recomendar a realização de uma cultura de garganta para detectar o agente infeccioso e o seu perfil de sensibilidade, pois assim é possível indicar o antibiótico mais adequado.

O que significa o resultado

De forma geral, o valor normal para antiestreptolisina O é até 200 UI/mL, sendo considerado positivo quando é identificada concentração acima do valor definido como normal pelo laboratório, sendo indicativo da presença da bactéria no organismo.

No caso de um resultado positivo, o médico normalmente solicita a repetição do exame após 10 a 15 dias para verificar se os níveis desse anticorpo no sangue são constantes ou diminuem ao longo do tempo, verificando se a infecção é ativa ou não.

Apesar de resultados positivos serem característicos de infecção por Streptococcus pyogenes, nem todas as pessoas desenvolvem sintomas de febre reumática, glomerulonefrite ou amigdalite, por exemplo, no entanto devem ser acompanhadas pelo médico, realizando exames periódicos de sangue e check-up cardíaco. Veja quais são os exames solicitados para avaliar o coração.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BVS. ASLO positivo é diagnóstico de Febre Reumática?. Disponível em: <https://aps.bvs.br/aps/aslo-positivo-e-diagnostico-de-febre-reumatica-2/>. Acesso em 23 Nov 2021
Mais sobre este assunto: