Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Estenose Aórtica: o que é, sintomas e tratamento

A estenose aórtica é a doença do coração caracterizada pelo estreitamento da válvula aórtica, o que dificulta o bombeamento de sangue para o corpo, resultando em sensação de falta de ar, dor no peito e palpitações.

Essa doença é causada principalmente pelo envelhecimento e a sua forma mais grave pode levar à morte súbita, no entanto, quando diagnosticada precocemente, pode ser tratada com o uso de medicamentos e, nos casos graves, por meio de cirurgia para substituição da válvula aórtica. Saiba como é a recuperação após cirurgia cardíaca.

Estenose aórtica é uma doença do coração onde a válvula aórtica é mais estreita que o normal, dificultando o bombeamento de sangue do coração para o corpo. Essa doença é causada principalmente pelo envelhecimento e a sua forma mais grave pode levar à morte súbita, mas quando diagnosticada a tempo pode ser tratada através de cirurgia para substituição da válvula aórtica.

Estenose Aórtica: o que é, sintomas e tratamento

Principais sintomas

Os sintomas da estenose aórtica surgem principalmente na forma severa da doença e normalmente são:

  • Sensação de falta de ar ao realizar exercícios físicos;
  • Aperto no peito que vai piorando com o passar dos anos;
  • Dor no peito que piora ao realizar esforços;
  • Desmaios, fraqueza ou tonturas, principalmente ao realizar exercícios físicos;
  • Palpitações cardíacas.

O diagnóstico da estenose aórtica é feito através do exame clínico com o cardiologista e de exames complementares como raio X do tórax, ecocardiograma ou cateterismo cardíaco. Esses exames, além de identificarem alterações no funcionamento do coração, indicam também a causa e a gravidade da estenose aórtica.

O tratamento da estenose aórtica é feito através de cirurgia, na qual troca-se a válvula deficiente por uma válvula nova, que pode ser artificial ou natural, quando é feita a partir de tecido suíno ou bovino. A substituição da válvula fará com que o sangue seja corretamente bombeado do coração para o restante do corpo, e os sintomas de cansaço e dor desaparecem. Sem a cirurgia, pacientes com estenose aórtica severa ou que apresentem sintomas sobrevivem em média 2 anos.

Como é feito o tratamento

O tratamento da estenose aórtica depende da fase em que a doença se encontra. Quando não existem sintomas, e a doença foi descoberta através de exames não há necessidade de tratamento específico. No entanto, após o aparecimento dos sintomas, a única forma de tratamento é a cirurgia de substituição da válvula aórtica, onde troca-se a válvula deficiente por uma válvula nova, normalizando a distribuição de sangue pelo corpo. Essa cirurgia é indicada principalmente para pacientes que têm a estenose aórtica grave, já que a taxa de mortalidade é alta. Indicamos a seguir as opções de tratamento: 

1. Em pessoas sem sintomas

O tratamento para pessoas que não apresentam sintomas, nem sempre é feito com cirurgia, podendo ser feito com o uso de medicamentos e mudanças nos hábitos de vida, como evitar esportes competitivos e atividades profissionais que exijam esforço físico intenso. Os medicamentos usados nessa fase podem ser: 

  • Para evitar uma endocardite infecciosa;
  • Para tratar doenças associadas à estenose aórtica. 

Os pacientes que não apresentam sintomas que podem ser indicados para cirurgia no caso de apresentarem a válvula muito reduzida, redução progressiva da função cardíaca ou aumento das alterações na estrutura cardíaca.

2. Em pessoas com sintomas

Inicialmente pode-se tomar diuréticos como a Furosemida, para controle dos sintomas, mas o único tratamento efetivo para as pessoas que apresentam sintomas é a cirurgia, pois os medicamentos já não são suficientes para controlar a doença. Há dois procedimentos para o tratamento da estenose aórtica, dependendo do estado de saúde do paciente:

  • Troca da válvula por cirurgia: procedimento padrão de cirurgia com peito aberto, para que o cirurgião possa chegar até o coração. A válvula defeituosa é removida e uma nova válvula é colocada.
  • Troca da válvula por cateter: conhecido como TAVI ou TAVR, nesse procedimento a válvula defeituosa não é retirada e a válvula nova é implantada por cima da antiga, a partir de um cateter colocado na artéria femoral, na coxa, ou a partir de um corte feito próximo ao coração.

A troca de válvula por cateter normalmente é realizada em pacientes com maior gravidade da doença e menor capacidade de superar uma cirurgia de peito aberto.

Tipos de válvula para substituição

Existem dois tipos de válvula para a substituição na cirurgia de peito aberto:

  • Válvulas mecânicas: são feitas de material sintético e têm maior durabilidade. Em geral são usadas em pacientes com menos de 60 anos, e após a sua implantação a pessoa terá que tomar diariamente medicamentos anticoagulantes e fazer exames de sangue periódicos pelo resto da vida.
  • Válvulas biológicas: feitas a partir de tecido animal ou humano, têm duração de 10 a 20 anos, e normalmente são recomendadas para pacientes com mais 65 anos. Em geral, não é preciso tomar anticoagulantes, a não ser que a pessoa tenha outros problemas que precisam desse tipo de remédio.

A escolha da válvula é feita entre o médico e o paciente, e depende da idade, do estilo de vida e do quadro clínico de cada um.

Estenose Aórtica: o que é, sintomas e tratamento

Riscos e complicações que podem ocorrer na cirurgia

Os riscos que a cirurgia de substituição da válvula aórtica apresenta são::

  • Hemorragia;
  • Infecção;
  • Formação de trombos que podem entupir vasos sanguíneos provocando, por exemplo, AVC;
  • Infarto;
  • Defeitos na válvula nova colocada;
  • Necessidade de nova operação;
  • Morte.

Os riscos dependem de fatores como idade, gravidade da insuficiência cardíaca e da presença de outras doenças, como aterosclerose. Além disso, o fato de estar em um ambiente hospitalar também traz riscos de complicações, como pneumonia e infecção hospitalar. Entenda o que é infecção hospitalar.

O procedimento de substituição por cateter, em geral, traz menos riscos que o da cirurgia convencional, mas existe uma maior chance de ocorrer embolia cerebral, uma das causas do AVC.

O que acontece se não tratar a estenose aórtica

A estenose aórtica não tratada pode evoluir com piora da função cardíaca e dos sintomas de cansaço intenso, dor, tonturas, desmaios e morte súbita. A partir do aparecimentos dos primeiros sintomas, a expectativa de vida pode ser de apenas 2 anos, em alguns casos, por isso é importante consultar o cardiologista para que seja verificada a necessidade de cirurgia e posterior realização da mesma. Veja como é a recuperação após a substituição da válvula aórtica.

Principais causas

A principal causa da estenose aórtica é a idade: com o passar dos anos, a válvula aórtica sofre alterações na sua estrutura, que é seguida de acúmulo de cálcio e funcionamento inadequado. Em geral, o aparecimento de sintomas começa após os 65 anos, mas a pessoa pode não sentir nada e até chegar a falecer sem saber que tinha estenose aórtica.

Nas pessoas mais jovens, a causa mais comum é a doença reumática, onde também ocorre calcificação da válvula aórtica, e os sintomas começam a aparecer por volta dos 50 anos. Outras causas mais raras são defeitos congênitos como a válvula aórtica bicúspide, lúpus eritematoso sistêmico, colesterol alto e doença reumatoide. Entenda o que é o reumatismo.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...