Esteatose hepática: o que é, sintomas, graus e tratamento

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
junho 2022
  1. Graus
  2. Tipos
  3. Sintomas
  4. Causas
  5. Tratamento

A esteatose hepática é o acúmulo de gordura no fígado, um problema bastante comum que pode causar dor no lado direito do abdômen, barriga inchada, enjoos, vômitos e mal-estar geral.

O acúmulo de gordura no fígado parece acontecer principalmente devido a uma dieta rica em gordura, mas também pode surgir em pessoas que fazem uso excessivo de bebidas alcoólicas.

Na presença de sintomas indicativos de esteatose hepática, deve-se consultar um hepatologista para realizar exames que avaliam o funcionamento do fígado e iniciar o tratamento adequado, que tende a incluir alterações na dieta e a prática de exercício físico. Confira alguns dos exames que avaliam a saúde do fígado.

Graus de esteatose hepática

A esteatose hepática pode ser classificada em alguns graus de acordo com a quantidade de células de gordura presente no fígado:

  • Grau 1, em que há um leve acúmulo de gordura no fígado, o que, de forma geral, corresponde ao acometimento de cerca de 30% da células do fígado;
  • Grau 2, em que há acúmulo moderado de gordura, de forma que até 60% das células do fígado estão afetadas;
  • Grau 3, em que há um grande acúmulo de gordura no fígado.

Os graus de hepatite podem ser identificados inicialmente por meio da realização do ultrassom abdominal, porém são necessários outros exames para avaliar se há inflamação no fígado e a presença de lesões, por exemplo.

Tipos esteatose hepática

A esteatose hepática pode ser classificada em dois tipos principais de acordo com a sua causa:

  • Alcoólica, que acontece devido ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Não alcoólica, que pode acontecer como consequência de doenças, alimentação rica em gordura, uso recorrente de medicamentos ou infecção, por exemplo.

Além disso, de acordo com as características, a esteatose hepática não alcoólica pode ser classificada em alguns tipos de acordo com o comprometimento do fígado:

  • Esteatose simples, em que é apenas identificado excesso de gordura no fígado;
  • Esteatoepatite, em que além de ser verificada a presença de gordura, são identificados pontos de inflamação no fígado;
  • Cirrose, que acontece como consequência da inflamação intensa do fígado, resultando em fibrose em algumas regiões do órgão. Como consequência da inflamação crônica e fibrose, é possível notar diminuição do tamanho do fígado e formato mais irregular, havendo alteração no seu funcionamento;
  • Carcinoma hepatocelular, que é o tipo mais grave, já que é caracterizado pela presença de células tumorais.

Para avaliar a progressão da doença, o médico pode indicar a realização da elastografia hepática, que é um exame rápido e sem dor e que é bastante eficaz no acompanhamento da pessoa com doença hepática. Entenda como é feita a elastografia hepática.

Principais sintomas

Os sintomas mais comuns de esteatose hepática são:

  • Dor no lado direito superior do abdômen;
  • Perda de peso sem explicação;
  • Cansaço e mal-estar geral;
  • Enjoos e vômitos.

É ainda normal que durante os primeiros estágios da doença não exista qualquer tipo de sintoma e, por isso, a esteatose hepática é muitas vezes descoberta acidentalmente através de exames para diagnosticar outras doenças.

Em casos de cirrose, outros sintomas também podem surgir, como pele e olhos amarelados, coceira no corpo e inchaço na barriga, nas pernas e nos tornozelos. Confira uma lista mais completa dos sintomas da esteatose hepática.

Teste online de esteatose hepática

Se acha que pode estar com esteatose hepática, indique o que está sentindo:

  1. 1.Perda de apetite?
  2. 2.Dor do lado superior direito da barriga?
  3. 3.Barriga inchada?
  4. 4.Fezes esbranquiçadas?
  5. 5.Cansaço frequente?
  6. 6.Dor de cabeça constante?
  7. 7.Enjoo e vômito?
  8. 8.Cor amarelada nos olhos e na pele?

Possíveis causas de esteatose hepática

As causas de gordura no fígado ainda não estão muito bem esclarecidas, no entanto o mecanismo que leva ao surgimento da doença é motivo de diversas pesquisas atualmente. Acredita-se que o acúmulo de gordura no fígado está relacionado com o desequilíbrio entre o consumo e síntese de gordura pelo corpo e sua utilização e eliminação. Esse desequilíbrio, por sua vez, poderia estar relacionado com fatores genéticos, nutricionais e ambientais.

Apesar das causas ainda não serem conhecidos, o risco de desenvolver gordura no fígado é muito superior em pessoas que consomem bebidas alcoólicas, além de poder ser aumentado quando há outros fatores de risco, como:

  • Obesidade;
  • Diabetes tipo 2;
  • Pressão alta;
  • Colesterol alto;
  • Idade superior a 50 anos;
  • Ser fumante;
  • Ter hipotireoidismo.

Além disso, a cirurgia bariátrica e outros procedimentos para emagrecer aumentam o risco de desenvolver gordura no fígado devido a alterações no metabolismo causadas pela perda rápida de peso. Porém, este problema também pode surgir em pessoas que não têm qualquer fator de risco, podendo até afetar crianças e mulheres grávidas. Conheça mais sobre as causas de gordura no fígado.

Como confirmar o diagnóstico

As alterações no fígado podem ser detectadas inicialmente através de um exame de sangue que avalia as substâncias produzidas por esse órgão. E, caso existam valores alterados, que indiquem que o fígado não está funcionando bem, o médico pode pedir exames complementares como o ultrassom, a tomografia, a elastografia hepática, ressonância magnética ou uma biópsia.

No entanto, é importante destacar que nem sempre a gordura no fígado causa alterações nos exames de sangue, o que pode atrasar o diagnóstico da doença até que o paciente faça uma ultrassonografia para investigar outros problemas.

Como é feito o tratamento

O tratamento para gordura no fígado é feito principalmente com alterações na dieta, prática regular de exercícios físicos e a eliminação do consumo de álcool. Além disso, também é necessário perder peso e controlar doenças que pioram o problema, como diabetes, hipertensão e colesterol alto, por exemplo. Veja um exemplo de como deve ser a dieta para gordura no fígado.

Não existem remédios específicos para tratar a esteatose hepática, mas o médico pode recomendar as vacinas contra hepatite B, para prevenir o aparecimento de mais doenças no fígado. Alguns remédios caseiros também podem ser utilizados para auxiliar no tratamento, como o chá de cardo-mariano ou o chá de alcachofra, sendo importante primeiro pedir autorização do médico antes de usá-los.

O vídeo a seguir traz dicas da nossa nutricionista para controlar e reduzir a gordura no fígado:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em junho de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em junho de 2022.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE HEPATOLOGIA. Esteatose Hepática. Disponível em: <https://sbhepatologia.org.br/imprensa/esteatose-hepatica/>. Acesso em 21 jun 2022
  • V., Juan Pablo A.; C., Kurt A. S.; J., Marco A. Clasificación histológica para hígado graso no alcohólico: NAFLD activity score (NAS). Gastroenterol. latinoam. Vol 25. 4 ed; 308-313, 2014
Mostrar bibliografia completa
  • DONGIOVANNI, Paola; VALENTI, Luca. A Nutrigenomic Approach to Non-Alcoholic Fatty Liver Disease. International Journal of Molecular Science. Vol 18. 2017
  • COBBINA, Enoch; AKHLAGHI, Fatemeh. Non-Alcoholic Fatty Liver Disease (NAFLD) - Pathogenesis, Classification, and Effect on Drug Metabolizing Enzymes and Transporters. Drug Metab Rev. Vol 49. 2 ed; 197-211, 217
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • COMO ACABAR DE VEZ COM A GORDURA NO FÍGADO

    10:11 | 1619906 visualizações
  • Dieta para gordura no fígado

    03:44 | 2524746 visualizações