Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Esquistossomose: o que é, sintomas, causas e como evitar

A esquistossomose, popularmente conhecida como xistose, barriga d´água ou mal do caramujo, é uma doença infecciosa causada pelo parasita Schistosoma mansoni, que pode ser encontrado em água de rios e lagos e que pode penetrar na pele, causando vermelhidão e coceira na pele, fraqueza e dores musculares, por exemplo.

A esquistossomose é mais frequente em ambientes tropicais onde não existe saneamento básico e onde existe uma grande quantidade de caramujos, já que esses animais são considerados hospedeiros do parasita Schistosoma, ou seja, o parasita precisa passar um tempo no caramujo para se desenvolver e chegar no estágio em que consegue infectar as pessoas.

Esquistossomose: o que é, sintomas, causas e como evitar

Principais sinais e sintomas

Na maioria dos casos, a esquistossomose é assintomática, no entanto a pessoa infectada pelo parasita pode desenvolver sinais e sintomas iniciais que caracterizam a primeira fase da doença, também chamada de fase aguda:

  • Vermelhidão e coceira no local que o parasita penetrou;
  • Febre;
  • Fraqueza;
  • Tosse;
  • Dores musculares;
  • Falta de apetite;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Enjoos e vômitos;
  • Calafrios.

À medida que o parasita se desenvolve no corpo e se desloca para a circulação do fígado, podem surgir outros sinais e sintomas mais graves, caracterizando a segunda fase da doença, também chamada de fase crônica:

  • Presença de sangue nas fezes;
  • Cãibras;
  • Dor abdominal;
  • Tonturas,
  • Emagrecimento;
  • Inchaço da barriga, também chamado de barrida d´água;
  • Palpitações;
  • Endurecimento e aumento do fígado;
  • Aumento do baço.

Para evitar o aparecimento dos sintomas mais graves da esquistossomose, é importante que o diagnóstico seja feito, de preferência, ainda na fase aguda da doença.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico é feito através do exame de fezes de 3 dias, em que são pesquisados ovos de Schistosoma mansoni. Além disso, pode ser solicitada a realização de hemograma e dosagem das enzimas hepáticas, como ALT e AST, que normalmente estão alterados, além de exames de imagem, como o ultrassom abdominal, por exemplo, com o objetivo de verificar o aumento e funcionamento do fígado e do baço.

Esquistossomose: o que é, sintomas, causas e como evitar

Como é o ciclo da esquistossomose

A infecção pelo Schistosoma mansoni acontece a partir do contato com água contaminada, especialmente em locais em que há grande quantidade de caramujos. Dessa forma, agricultores, pescadores, mulheres e crianças são mais vulneráveis a ter esta doença após pescar, lavar roupa ou tomar banho em águas poluídas.

O ciclo de vida da esquistossomose é complexo e ocorre da seguinte forma:

  1. Os ovos de Schistosoma mansoni são liberados nas fezes das pessoas contaminadas;
  2. Os ovos, ao alcançarem a água, eclodem, devido à temperatura elevada, luz intensa e quantidade de oxigênio da água, e liberam o miracídio, que é uma das primeiras formas do Schistosoma mansoni;
  3. Os miracídios presentes na água são atraídos até os caramujos devido a substâncias liberadas por esses animais;
  4. Ao chegarem aos caramujos, os miracídios perdem algumas de suas estruturas e desenvolvem-se até o estágio de cercária, sendo novamente liberadas na água;
  5. As cercárias que são liberadas na água conseguem penetram na pele das pessoas;
  6. No momento da penetração, as cercárias perdem a cauda e transformam-se em esquistossômulos, que atingem a circulação sanguínea;
  7. Os esquistossômulos migram até a circulação portal do fígado, onde sofrem maturação até a fase adulta;
  8. Os vermes adultos, machos e fêmeas, migram até o intestino, onde é feita a colocação dos ovos pelas fêmeas;
  9. Os ovos demoram cerca de 1 semana para estarem maduros;
  10. O ovo maduro é, então, liberado nas fezes e, quando em contato com a água, eclode, dando origem a um novo ciclo.

Por isso, nos locais onde não há saneamento básico é comum que várias pessoas da mesma comunidade estejam contaminadas com a esquistossomose, principalmente se na região tiver grande quantidade de caramujos, já que esse animal possui papel fundamental no ciclo de vida do parasita. Para quebrar este ciclo e impedir que outras pessoas fiquem contaminadas deve-se evitar o contato com águas poluídas e eliminar o excesso de caramujos.

Como é feito o tratamento

O tratamento geralmente é feito com remédios antiparasitários como Praziquantel ou Oxamniquina durante 1 ou 2 dias, que matam e eliminam o parasita. Além disso, o médico pode recomendar o uso de pomadas corticoides para aliviar a coceira na pele, sendo indicado também ficar de repouso, manter boa hidratação, ingerindo água. Além disso, remédios analgésicos, para baixar a febre e para as cólicas, também podem ser indicados.

Nas pessoas que desenvolvem a fase crônica da esquistossomose podem ainda ser usados betabloqueadores e remédios para controlar a diarreia, além de ser recomendada a escleroterapia das varizes do esôfago.

Esquistossomose tem cura?

A esquistossomose tem cura quando o diagnóstico é feito logo na fase inicial da doença e o tratamento é iniciado o mais cedo possível, pois assim é possível eliminar o parasita e evitar o surgimento de complicações, como aumento do fígado e do baço, anemia e atraso no desenvolvimento da criança, por exemplo. Por isso em caso de suspeita de que a pessoa está com vermes deve-se iniciar a toma dos remédios o mais rápido possível.

Para saber se realmente a pessoa ficou curada o médico pode solicitar que seja feito um novo exame de fezes na 6ª e na 12ª semana depois de ter iniciado o tratamento. Em alguns casos, para não haver dúvidas o médico solicita uma biópsia retal 6 meses depois do início do tratamento.

No entanto, mesmo que seja verificada a cura da esquistossomose, a pessoa não adquire imunidade, podendo ser infectada novamente pelo parasita caso entre em contato com águas contaminadas.

Como evitar ser contaminado

A prevenção da esquistossomose pode ser feita através de medidas básicas de higiene como:

  • Evitar o contato com a água das chuvas e enchentes;
  • Não andar descalço na rua, na terra ou em riachos de água doce;
  • Beber somente água potável, filtrada ou fervida.

Estes cuidados devem ser feitos principalmente nos lugares onde não há saneamento adequado e o esgoto corre a céu aberto.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Esquistossomose: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/esquistossomose>. Acesso em 26 Jun 2019
  • CDC. Schistosomiasis Infection. Disponível em: <https://www.cdc.gov/dpdx/schistosomiasis/index.html>. Acesso em 27 Jun 2019
  • NEVES, David P. Parasitologia Humana. 12 ed. Atheneu, 209-221.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem