Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é e como tratar a encefalite autoimune

A encefalite autoimune é uma doença rara na qual o sistema imune ataca as próprias células cerebrais, prejudicando o seu funcionamento e provocando sintomas como formigamento no corpo, alterações visuais ou agitação, por exemplo.

Este problema é causado pela ação de um anticorpo que ataca os receptores NMDA responsáveis por manter a comunicação correta entre os neurônios. Assim, quando isso não acontece, podem até surgir sintomas mais graves, como alucinações, que podem ser diagnosticadas como um problema psiquíatrico.

Embora a encefalopatia autoimune não tenha cura, pode ser tratada com o uso de alguns remédios, que aliviam os sintomas e devolvem todas as capacidades do funcionamento cerebral.

O que é e como tratar a encefalite autoimune

Principais sintomas

Uma vez que a encefalite autoimune afeta o funcionamento do cérebro, os sintomas variam de acordo com as sequelas da região afetada. No entanto, os sinais mais comuns incluem:

  • Fraqueza e formigamento em várias partes do corpo;
  • Perda de equilíbrio;
  • Dificuldade para falar;
  • Movimentos involuntários;
  • Alterações da visão, como vista embaçada;
  • Dificuldade para entender;
  • Alterações do paladar;
  • Dificuldade para dormir e aditação frequente;

Além disso, quando a comunicação entre os neurônios está muito afetada também podem surgir alterações da realidade, como alucinações, delírios ou pensamentos paranóicos.

Dessa forma, alguns casos de encefalite autoimune podem ser diagnosticados de forma errada, como sendo uma alteração psiquiátrica do tipo esquizofrenia ou transtorno bipolar. Quando isso acontece, o tratamento não é feito de forma adequada e os sintomas podem ir piorando ao longo do tempo ou não mostrar sinais de melhora significativos.

Como é feito o diagnóstico

Para fazer o diangóstico correto desta doença é importante consultar um neurologista, pois além de avaliar os sintomas também é importante fazer outros exames de diagnóstico, como ressonância magnética ou eletroencefalograma para detetar lesões cerebrais que indiquem a existência de encefalite autoimune. Além disso, também se pode fazer exames de sangue para determianr se existem anti-corpos que possam causar este tipo de alterações.

Porém, quando os exames não apresentam resultados que ajudem no diagnóstico, o médico pode optar por fazer exames para outros problemas de forma a eliminar outras hipóteses.

O que é e como tratar a encefalite autoimune

Como é feito o tratamento

O tratamento para encefalite autoimune é iniciado com um ou mais dos seguintes tipos de tratamento:

  • Uso de corticoides, como Prednisona ou Hidrocortisona, para diminuir a resposta dos sistema imune;
  • Plasmaferese, para filtrar o sangue e remover o excesso de anti-corpos que estão causando a doença;
  • Injeções de imunoglobulina, pois substitui a ligação dos anti-corpos nocivos às células cerebrais.
  • Remoção de tumores que estejam causando uma resposta imune exagerada, se possível e necessário.

No entanto, quando estes tipos de tratamento não são suficientes para aliviar os sintomas pode ainda ser encessário utilizar remédios que reduzem a ação do sistema imune, como Rituximab ou Ciclofosfamida. Nestes casos, o paciente também fica mais suseptível a infecções, uma vez que o sistema imune fica mais enfraquecido.

O que pode causar a encefalite

A causa específica deste tipo de encefalite ainda não é conhecida, no entanto, a doença é mais frequente em casos de teratoma, um tipo de tumor que normalmente aparece nos ovários, câncer em qualquer parte do corpo ou exposição a bactérias, especialmente streptococcus ou mycoplasma penumonia.

Porém, na maioria dos casos, a encefalite não aparece associada a estes problemas, podendo surgir em pessoas aparentemente saudáveis.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...