Ejaculação feminina: o que é e por que acontece

junho 2022

A ejaculação feminina é a liberação de forma involuntária de grandes volumes de líquido pela uretra, durante o orgasmo, sendo conhecido como squirting ou squirt. Esse líquido é claro e sem cheiro, com composição semelhante a urina, porém mais diluída.

Além disso, durante a ejaculação feminina, também são liberados outros fluidos em menor quantidade pelas glândulas parauretrais, também conhecidas como “próstata feminina”, sendo formado por frutose, glicose e ácido prostático (PSA), o mesmo produzido pela próstata masculina.

A ejaculação feminina pode variar de mulher para mulher, sendo algumas vezes confundida com incontinência urinária, que também é uma perda involuntária de urina, mas que acontece devido ao enfraquecimento dos músculos da bexiga e do assoalho pélvico, além de possuir características diferentes, como cor, cheiro e volume, por exemplo. Saiba identificar os sintomas e as causas da incontinência urinária.

Porque acontece

Ainda não é totalmente conhecido o processo, no entanto, é possível que a ejaculação feminina aconteça devido à estimulação vaginal-clitoriana-uretral e intensa contração das paredes da vagina e de todos os músculos da região em volta.

Isto faz com que a bexiga libere urina ou líquido semelhante à urina em grandes quantidades, além de fazer com que as glândulas de Skene se contraiam e liberem o ácido prostático.

Características do líquido da ejaculação

O líquido liberado durante a ejaculação feminina é semelhante a urina na sua forma mais diluída, pois contém creatinina, ácido úrico e ureia, sendo caracterizada por uma cor mais clara ou levemente amarelada, sem cheiro e liberada em grandes quantidades, geralmente cerca de 15 a 100 mL, sendo conhecido como squirt ou squirting.

Além disso, durante a ejaculação feminina, a mulher pode também liberar pequenas quantidades de líquido grosso e leitoso, formado por frutose, glicose e ácido prostático (PSA), produzido por duas glândulas que se encontram perto do orifício da uretra e que são conhecidas como glândulas parauretrais ou glândulas de Skene. Saiba mais sobre estas glândulas e para que servem.

Por possuir PSA na sua composição, que é o mesmo encontrado na próstata masculina, muitas vezes essas glândulas são também conhecidas como “próstata feminina”.

Todas as mulheres conseguem ejacular?

Embora as glândulas de Skene estejam presentes no corpo de todas as mulheres, a ejaculação feminina não acontece em todas elas. Isso acontece principalmente devido à anatomia de cada mulher e à posição das glândulas. Enquanto algumas mulheres possuem glândulas que permitem uma ejaculação fácil, outras têm muita dificuldade para ejacular.

Além disso, também existem mulheres que não conseguem relaxar o suficiente durante o contato íntimo para permitir que a intensidade das contrações, durante o orgasmo, produza a ejaculação. Nesses casos, é possível aprender a ejacular através de técnicas de relaxamento e respiração que podem ser feitas durante o contato íntimo.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em junho de 2022.

Bibliografia

  • RODRIGUEZ, F. D.; et al. Female ejaculation: An update on anatomy, history, and controversies. Clin Anat. 34. 1; 103-107, 2021
  • PASTOR, Z.; CHMEL, R. Differential diagnostics of female “sexual” fluids: a narrative review. International Urogynecology. 29. 621–629, 2018
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.