Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Edema: o que é, quais os tipos, causas e quando ir ao médico

Outubro 2020

O edema, conhecido popularmente por inchaço, acontece quando existe acúmulo líquido para debaixo de pele, que normalmente aparece devido a infecções ou alergias, mas também pode surgir em casos de inflamações, intoxicações e hipóxia, que é quando falta oxigênio em determinada parte do corpo, além de doença nos rins, coração ou sistema linfático. 

Neste caso, é comum que o edema apareça nas mãos, braços, pernas, pés e no rosto, deixando o local afetado avermelhado e visivelmente inchado. Dependendo da causa o aparecimento de edema pode acontecer de forma repentina, ou aos poucos ao longo do dia. 

O tratamento do edema deve ser individualizado e com foco em eliminar a causa, mas geralmente o clínico geral indica repouso, redução da quantidade de sal consumida diariamente, além de receitar remédios diuréticos, que auxiliam na liberação do líquido que está em excesso no corpo pela urina.

Edema: o que é, quais os tipos, causas e quando ir ao médico

Principais tipos de edema

O edema é classificado em três tipos e tem como objetivo esclarecer melhor a causa e saber qual é exatamente a composição do fluido que escapou para debaixo da pele. 

Os principais tipos de edema são:

1. Edema comum

O edema comum é composto de água e sal e, normalmente, está relacionado com situações menos graves, como picadas de insetos, quedas ou alergias a pólen, perfumes, maquiagem e poeira, por exemplo. 

Porém, quando é generalizado, ou seja, quando está presente em várias partes do corpo, pode ser uma situação mais grave, que precisa de atendimento médico no centro de saúde ou hospital. Esta situação pode ser também conhecida por anasarca. Entenda melhor o que é a anasarca e como é feito o tratamento.

2. Linfedema

Normalmente o linfedema é composto por água, sal e lipídios, e acontece quando o fluido que faz parte da circulação linfática escapa para a pele e órgãos. Isso é mais comum nos casos de câncer, elefantíase, obesidade e gânglios linfáticos obstruídos. Veja como o linfedema pode ser tratado

3. Mixedema

A principal diferença do mixedema é pela alta presença de lipídios em sua composição, que faz com que o inchaço seja  mais firme que os outros tipos de edema, contando também com água e sal. O mixedema afeta mais frequentemente a face, deixando os olhos inchados, mas também pode ser generalizado.

Este tipo de edema acontece principalmente quando existe hipotireoidismo ou quando foi feito algum tratamento hormonal.

Principais sintomas 

O principal sintoma do edema é o inchaço da região afetada, porém caso o inchaço seja muito grande é possível notar outros sintomas como a pele mais brilhante e avermelhada. Caso o edema esteja nos pés ou pernas, ao caminhar, a pessoa pode sentir um leve ardor e formigamento. 

Caso o edema não desapareça após algumas horas, ou apresente dor leve ou moderada, e a pele ficar sensível, é recomendado procurar um pronto socorro para avaliar a condição e verificar, por meio de exames como o hemograma, ecocardiograma, raio X e urina 24 horas, se não se trata de algo mais sério e que requer tratamento específico.  

Edema: o que é, quais os tipos, causas e quando ir ao médico

Possíveis causas

As principais doenças responsáveis por causar edema, podem surgir devido a 4 tipos de alterações do corpo, como:

1. Aumento da pressão capilar

O aumento da pressão capilar normalmente é causado pela obstrução de veias, que pode acontecer pelo acúmulo de gordura, trombos ou por compressão externa, devido a roupas muito apertadas, por exemplo. Quando isso acontece, a pressão que os líquidos fazem nos vasos sanguíneos é maior do que a normal e, por isso, os líquidos acabam escapando dos vasos e se acumulando nos tecidos do corpo.

Normalmente as causas relacionadas a esta questão são insuficiência cardíaca, renal ou venosa, e em alguns casos, a dieta rica em sódio/sal. Quando estas causas não são tratadas adequadamente, podem levar ao aparecimento de edema pulmonar, em que os líquidos se acumulam no pulmão. Entenda melhor o que é edema de pulmão e como tratar.

2. Redução das proteínas plasmáticas

Quando os níveis de proteínas plasmáticas no corpo estão reduzidos, a reabsorção de líquidos nas camadas mais profundas da pele não acontece, e isso acaba levando ao acúmulo de líquidos sob a pele, gerando assim o edema. Como consequência, esse líquido que agora está em excesso nos tecidos, deixa de estar na circulação, o que diminui a produção de urina pelos rins, resultando em mais líquido dentro do corpo, aumentando assim ainda mais o edema.

Geralmente este tipo de edema aparece em pessoas que possuem síndrome nefrótica, doenças hepáticas, desnutrição proteica, ou que sofreram queimaduras graves.

3. Aumento da permeabilidade capilar

Neste caso acontece uma maior permeabilidade dos vasos sanguíneos, geralmente causada por alguma inflamação, e, por isso, os líquidos acabam escapando dos vasos e se acumulando nos tecidos do corpo. 

Algumas situações que podem causar aumento da pressão capilar e edema são as alergias, queimaduras, deficiência de vitamina C, infecções, toxinas ou o uso de vasodilatadores.

4. Bloqueio do retorno linfático

O edema causado pelo bloqueio do retorno linfático, também chamado de linfedema acontece quando existe uma obstrução dos vasos linfáticos. É comum que isso ocorra em caso de hipotireoidismo, câncer nos linfonodos, ou após a linfadenectomia.cvb

A principal característica deste edema, é que o inchaço parece ser mais firme ao toque e a pele pode ficar com aspecto de casca de laranja. Saiba como o linfedema pode ser tratado.

Como é feito o tratamento 

O tratamento para que eliminar o edema deve ser de acordo com a condição que o causou. Nos casos mais leves, é indicado repouso, redução da ingestão de sal na alimentação e também massagem na região afetada, para ajudar a drenar o líquido que está em excesso, até que o de edema desapareça.

Já nos casos mais graves, onde estão presentes condições de saúde como doenças no fígado, rins e outros órgãos, é necessário o tratamento da doença específica que causou o edema, além de ser recomendado o uso de medicamentos como o furosemida, bumetanida ou espironolactona. Veja quais outros remédios podem ser usados para de desinchar

Cuidados que evitam o edema 

Alterações saudáveis na rotina diária e que se mantém ao longo do tempo podem ajudar a evitar e reduzir a intensidade e o aparecimento de novos edemas, como: 

  • Reduzir o consumo de sódio e sal na alimentação;
  • Manter o peso ideal para altura, idade e sexo;
  • Praticar exercícios físicos regularmente;
  • Elevar as pernas ao se deitar ou sentar.

Estas ações podem ser feitas por todas as pessoas que não apresentam nenhuma doença crônica, no entanto, para as que possuem algum problema de saúde, essas práticas devem ser conversadas com o médico responsável pelo tratamento antes de serem iniciadas.

Bibliografia >

  • MED J ARMED FORCES INDIA. Cerebral Edema and its Management. 2003. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4923559/>. Acesso em 07 Out 2020
  • J CLIN AESTHET DERMATOL. Management of Edema. 2017. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5300735/>. Acesso em 07 Out 2020
  • AMERICAN ACADEMY OF OPHTHALMOLOGY. What Is Macular Edema?. Disponível em: <https://www.aao.org/eye-health/diseases/what-is-macular-edema>. Acesso em 07 Out 2020
  • INFORMEDHEALTH. Causes and signs of edema. 2020. . Acesso em 07 Out 2020
  • ARQUIVOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA. Edema generalizado e circulação hiperdinâmica – Um possível caso de beribéri. 2004. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2004001400009>. Acesso em 07 Out 2020
  • PPAR RES. Renal and Vascular Mechanisms of Thiazolidinedione-Induced Fluid Retention. 2008. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2531205/>. Acesso em 07 Out 2020
  • HTTPS://WWW.SCIELO.BR/SCIELO.PHP?PID=S1677-54492013005013055&SCRIPT=SCI_ARTTEXT&TLNG=PT. Investigação de edema postural de membros inferiores em agentes de trânsito. 2013. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1677-54492013005013055&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em 07 Out 2020
  • BRAZILIAN JOURNAL OF PHYSICAL THERAPY. Comparação entre as medidas inferenciais de edema de membros inferiores utilizando o Leg-O-Meter e o deslocador de água. 2006. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-35552006000100006>. Acesso em 07 Out 2020
  • Guyton & Hall. Tratado de fisiologia médica. 13ª. Rio de Janeiro : Elsevier, 2017. 314-319.
  • FILHO, Geraldo. Bogliolo Patologia Geral. 6°. Rio de Janeiro : Guanabara Koogan LTDA, 2018. 166-169.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem