Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Quem pode doar medula óssea

A doação de medula óssea consiste na retirada de uma pequena amostra de células do osso do quadril ou do osso localizado no meio do peito, o esterno, células estas que são responsável pela produção das células do sangue, que depois são usadas em transplantes de medula óssea para o tratamento de certas doenças do sangue como leucemia e alguns tipos de câncer como linfoma e mieloma, podendo em alguns casos representar a cura para algumas destas doenças.

A doação de medula óssea pode ser feita por qualquer pessoa saudável, entre 18 e 65 anos e que pese mais de 50 kg. Além disso, o doador não pode ter doenças que possam ser transmitidas pelo sangue como Aids, Hepatite, Malária ou Zika por exemplo, ou outras como artrite reumatoide, hepatite B ou C, doença nos rins ou no coração, diabetes tipo 1 ou história de câncer como leucemia, por exemplo.

Quem pode doar medula óssea

Como se tornar doador

Para se tornar doador de medula óssea, é necessário fazer o cadastro no hemocentro do seu estado e depois agendar uma coleta de sangue no centro para que seja recolhida uma pequena amostra de 5 a 10 ml de sangue, que deve ser analisada e os resultados colocados em um banco de dados específicos.

Depois disso, o doador pode ser chamado em qualquer momento, porém sabe-se que a probabilidade de um doente encontrar um doador de medula óssea sem ser família é muito reduzida, sendo por isso essencial que o banco de dados de medula seja o mais completo possível.

Sempre que um doente precisar de um transplante de medula óssea, primeiro é verificado na família se existe alguém compatível para fazer a doação, e só nos casos onde não exitem familiares compatíveis é que será procurado outro doador nesse banco de dados.

Quando não posso doar medula óssea

Algumas situações que podem impedir a doação de medula óssea, por períodos que variam entre 12 horas e 12 meses, como por exemplo:

  • Resfriado comum, gripe, diarreia, febre, vômitos, extração de dentes ou infeções: impede a doação nos 7 dias seguintes;
  • Gravidez, parto normal, por cesária ou aborto: impede a doação entre 6 a 12 meses;
  • Exames de endoscopia, colonoscopia ou rinoscopia: impede a doação entre 4 a 6 meses;
  • Situações de risco para doenças sexualmente transmissíveis como múltiplos parceiros sexuais ou consumo de drogas por exemplo: impede a doação durante 12 meses;
  • Realização de tatuagem, colocação de algum piercing ou realização de algum tratamento de acupuntura ou mesoterapia: impede a doação durante 4 meses.

Estas são apenas algumas situações que podem impedir a doação de medula óssea, sendo as restrições iguais para a doação de sangue. Veja quando não pode doar sangue em Quem pode doar sangue.

Quem pode doar medula óssea

Como é feita a doação de medula óssea

A doação de medula óssea é geralmente feita através de um pequeno procedimento cirúrgico que não doí, pois é usada anestesia geral ou epidural, no qual são dadas várias injeções no osso do quadril para serem retiradas as células que produzem sangue. Este procedimento dura aproximadamente 90 minutos, e nos três dias seguintes à intervenção, pode existir dor ou desconforto no local que pode ser aliviado com o uso de medicamentos analgésicos.

Além disso, existe outra forma menos comum de doar medula óssea, que é feita através de um procedimento chamado aférese, em que é utilizada uma máquina que separa do sangue as células da medula necessárias para o transplante. Este procedimento dura aproximadamente 1 hora e 30 minutos, e a sua realização implica a toma de medicamentos que estimulam a produção de células na medula óssea.

Doação de medula óssea tem riscos?

A doação de medula óssea tem riscos, pois existe sempre a possibilidade de fazer alguma reação à anestesia ou alguma reação devido ao volume de sangue retirado. Porém, os riscos são mínimos e as complicações que podem surgir podem ser facilmente controladas pelos médicos que realizam o procedimento.

Como é a recuperação após a doação

Durante a recuperação depois da cirurgia para doação de medula óssea, podem surgir alguns sintomas um pouco desagradáveis como dor ou desconforto nas costas e no quadril, cansaço excessivo, dor de garganta, dores musculares, insônia, dor de cabeça, tontura ou perda de apetite, que embora normais podem causar desconforto.

Porém, estes sintomas desagradáveis podem ser facilmente minimizados com simples cuidados, como:

  1. Evitar fazer esforços e tentar descansar bastante, especialmente durante os primeiros 3 dias após a doação;
  2. Manter uma alimentação equilibrada e comer de 3 em 3 horas se possível;
  3. Aumentar o consumo de alimentos com propriedades cicatrizantes como leite, iogurte, laranja e abacaxi e beber pelo menos 1,5 litros de água por dia. Veja outros alimentos com benefícios no pós-operatório em Alimentos cicatrizantes.

Além disso, após fazer uma doação de médula óssea não é preciso alterar os seus hábitos diários, devendo apenas evitar esforços e a prática de execício físicos nos primeiros dias após a doação. Geralmente, ao final de uma semana já não existem sintomas, sendo possível ao final desse tempo voltar a praticar todas as atividades normais do dia a dia.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar