Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é dermografismo, sintomas e opções de tratamento

Julho 2019

O dermografismo, também chamada de urticária dermográfica ou urticária física, é um tipo de alergia na pele caracterizada pelo inchaço após estímulo causado por um arranhão ou contato de objetos ou roupas com a pele, podendo vir acompanhado de coceira e vermelhidão ao redor do local.

Pessoas que têm este tipo de alergia apresentam uma resposta imune exagerada do organismo após uma pressão exercida sobre a pele, havendo uma reação no mesmo formato do estímulo causado. Apesar de não ter cura, as crises podem ser prevenidas, evitando-se os agentes causadores, além de ser possível aliviar os sintomas com uso de remédios anti-alérgicos.

O que é dermografismo, sintomas e opções de tratamento

Sintomas do dermografismo

Os sintomas costumam surgir cerca de 10 minutos após o estímulo, e duram por volta de 15 a 20 minutos, entretanto, podem durar mais tempo, de acordo como a gravidade da doença e o tipo de reação imune da pessoa. Os principais incluem:

  • Aparecimento de marcas na pele, de coloração branca ou avermelhada;
  • Inchaço da área afetada; 
  • Pode haver coceira;
  • Pode haver vermelhidão e calor na pele ao redor. 

As lesões costumam ser mais intensas à noite e, além disso, acontecem mais facilmente durante situações como realização de atividade física, estresse, banhos quentes ou uso de certos medicamentos, como penicilina, anti-inflamatórios ou codeína, por exemplo.

Para diagnosticar o dermografismo, o dermatologista poderá fazer um teste, com aplicação de uma pressão sobre a pele, com um instrumento chamado dermografômetro ou com outro objeto que tenha uma ponta grossa.

O que é dermografismo, sintomas e opções de tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento do dermografismo nem sempre é necessário, pois os sintomas costumam surgir ocasionalmente, e desaparecem sem precisar de remédios. Entretanto, nos casos em que os sintomas são intensos ou persistentes, pode ser recomendado o uso de medicamentos anti-histamínicos, como Desloratadina ou Cetirizina.

Já em casos mais graves, nos quais a pessoa se sente psicologicamente afetada pela doença, pode-se usar medicamentos ansiolíticos ou antidepressivos, de acordo com a orientação médica.

Tratamento natural

Um ótimo tratamento natural para aliviar os sintomas de dermografismo é o uso de loções refrescantes na pele, feitas a base de Mentol a 1% ou óleo essencial de Alfazema. Confira uma receita de remédio caseiro para pele irritada.

Outras formas naturais de se controlar as crises desta alergia são:

  • Ter uma alimentação anti-inflamatória, rica em peixes, sementes, frutas, vegetais e chá verde;
  • Evitar alimentos com aditivos, como conservantes, salicilatos e corantes;
  • Evitar uso de certos remédios que aumentam a resposta imune do organismo, como anti-inflamatórios, AAS, codeína e morfina, por exemplo;
  • Evitar situações de estresse emocional;
  • Preferir roupas frescas e confortáveis, e evitar o excesso de calor;
  • Evitar banhos quentes;
  • Diminuir o consumo de bebidas alcoólicas.

Além disso, é possível fazer o tratamento homeopático para dermografismoconhecido como Histaminum, que pode ajudar a controlar o aparecimento dos sintomas de alergia na pele.

Quem tem dermografismo pode fazer tatuagem?

Apesar de não haver uma contra-indicação formal para a realização de tatuagens em pessoas com dermografismo, em geral, recomenda-se evitar, pois não é possível prever a intensidade da reação alérgica que a pessoa desenvolverá, já que a tatuagem é um procedimento bastante agressivo.

Assim, mesmo que por si só, o dermografismo não altere a capacidade de cicatrização da pele, pode haver uma reação alérgica intensa após a tatuagem, o que pode ser muito incômodo, causar intensa coceira e causar maior risco de infecção.

Portanto, antes de fazer uma tatuagem, é orientado que a pessoa portadora do dermografismo converse com o dermatologista, que irá avaliar a gravidade da doença e o tipo de reação que a pele apresenta, podendo, então, fazer orientações mais específicas. 

Bibliografia >

  • RICHA, Ricardo Hentique S.; SOUZA, Maria Cristina A. Dermografismo Imediato Sintomático. Relato de caso. Revista de Saúde. Vol 09. 1 ed; 18-21, 2018
  • LIMA, Eduardo M. S. et al. Uma visão diferenciada no manejo do dermografismo. Braz J Allergy Immunol. Vol 03. 3 ed; 77-85, 2015
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem