Dermatite no bebê: sintomas, pomadas e tratamento

Revisão médica: Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
fevereiro 2022

A dermatite em bebê, conhecida popularmente como assadura, acontece quando a pele do bebê fica muito tempo em contato com substâncias irritantes, como urina, saliva ou, até, alguns tipos de cremes, resultando em uma inflamação que deixa a pele vermelha, escamando, coçando e dolorida.

Embora a dermatite não seja uma condição grave e tenha cura quando tratada adequadamente, deve ser evitada, pois a irritação da pele pode provocar o surgimento de feridas que podem infectar, especialmente em locais como o bumbum, por exemplo.

Assim, é importante manter a pele do bebê sempre limpa e seca, seguindo algumas orientações simples como trocar as fraldas quando estão sujas, limpar o excesso de baba do rosto ou evitar o uso de cremes que não são próprios para a pele do bebê, por exemplo. Veja outros cuidados importantes para evitar o surgimento de dermatite da fralda.

Principais sintomas

Os sinais e sintomas característicos de uma dermatite são:

  • Manchas vermelhas na pele que descamam;
  • Pequenas bolinhas ou bolhas vermelhas na pele que coçam;
  • Choro e irritação mais frequentes.

Normalmente, as alterações na pele surgem em regiões com dobras de pele ou que estão em contato frequente com roupa, como o pescoço, a região íntima ou os punhos.

Quando existe suspeita de dermatite é importante consultar o pediatra, especialmente quando não se conhece a causa.

Como é feito o tratamento

Na maior parte dos casos, a dermatite de contato desaparece naturalmente após cerca de 2 a 4 semanas. No entanto, para acelerar a recuperação, aliviar o desconforto do bebê e evitar o surgimento de feridas, é importante manter a região sempre limpa e seca, uma vez que a umidade pode piorar a irritação. Além disso, passar um creme hidratante próprio para bebês ou passar uma pomada com zinco na região afetada após o banho ajuda a proteger a pele, facilitando a cicatrização.

O que fazer para evitar a dermatite

A melhor forma de garantir que não surge dermatite de contato é manter a pele do bebê bem limpa e seca, além de evitar possíveis fontes de irritação para a pele. Alguns cuidados são:

  • Limpar o excesso de baba e trocar roupas molhadas;
  • Trocar fraldas sujas com urina ou fezes;
  • Cortar as etiquetas de roupas;
  • Dar preferência para roupas de algodão e evitar materiais sintéticos;
  • Trocar acessórios de metal ou plástico por borracha;
  • Passar cremes com zinco na região íntima, para evitar a umidade;
  • Evitar utilizar cremes e outros produtos que não são próprios para a pele do bebê.

Caso já seja conhecido que o bebê tem alergia a algum tipo de substância, é importante mantê-lo afastado dessa substância e, por isso, pode ser importante ler a etiqueta de roupas e brinquedos para garantir que esse tipo de material não está na sua composição.

Estes cuidados também podem ser realizados mesmo que o bebê tenha uma dermatite, pois facilitam a cicatrização da pele, acelerando a recuperação.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em fevereiro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Sani Santos Ribeiro - Pediatra e Pneumologista infantil, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • Guzmán, R. Dermatología. Atlas, diagnóstico y tratamiento. 6. McGraw Hill, 2015.
  • PONTIFICIA UNIVERSIDAD CATÓLICA DE CHILE. DIAGNÓSTICO Y MANEJO DE LA DERMATITIS DEL PAÑAL EN APS. Disponível em: <https://medicina.uc.cl/publicacion/diagnostico-y-manejo-de-la-dermatitis-del-panal-en-aps/>. Acesso em 16 fev 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SÁEZ, M et al. Abordaje clínico y manejo integral de la dermatitis irritativa por pañal. Acta Pediatr Mex. 38. 6; 427-432., 2017
  • POZO,T . Dermatitis del pañal y trastornos relacionados. Pediatría Integral. 20. 3; 151-158, 2016
Revisão médica:
Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande com CRM nº 28364 e especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.