Complexo de Electra: o que é, como identificar e como lidar

O complexo de Electra é um conceito desenvolvido pelo psiquiatra Carl Jung, e uma fase normal do desenvolvimento psicossexual da maioria das meninas, na qual existe uma grande afeção pelo pai e um sentimento de rancor, ou má vontade, em relação à mãe, podendo até ser possível que a menina tente competir com a mãe para ganhar a atenção do pai.

Geralmente, esta fase surge entre os 3 e os 6 anos, e é ligeira, mas pode variar de acordo com a menina e o seu grau de desenvolvimento. Na maioria dos casos, o complexo acontece porque o pai é o primeiro contato que a menina tem com o sexo oposto.

Assim como o complexo de Édipo, desenvolvido por Sigmund Freud, a resolução do complexo Electra influenciará o desenvolvimento da vida sexual adulta e como a menina se relaciona com o sexo oposto.

Complexo de Electra: o que é, como identificar e como lidar

Como identificar o complexo de Electra

Alguns sinais que podem indicar que a menina está entrando na fase do complexo de Electra incluem:

  • Necessidade de se colocar sempre entre o pai e a mãe para os afastar;
  • Choro descontrolado quando o pai precisa sair de casa;
  • Sentimentos de grande afeto em relação ao pai, que podem levar a menina a verbalizar a vontade de casar com o pai um dia;
  • Sentimentos negativos em relação à mãe, especialmente quando o pai está presente.

Estes sinais são normais e temporários, por isso, não devem ser uma preocupação para os pais. No entanto, se se mantiverem após os 7 anos ou se forem piorando com o tempo, pode ser importante consultar um psicopediatra para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento, caso necessário.

O complexo de Electra é semelhante ao complexo de Édipo?

Na sua base, o complexo de Electra e de Édipo são semelhantes. Enquanto o complexo de Electra acontece na menina em relação aos sentimentos de afeto pelo pai, o complexo de Édipo acontece no menino em relação à sua mãe.

No entanto, os complexos foram definidos por médicos diferentes, sendo que o complexo de Édipo surgiu originalmente descrito por Freud, enquanto o complexo de Electra surgiu mais tarde descrito por Carl Jung. Veja mais sobre o complexo de Édipo e como se manifesta nos meninos.

Quando pode ser um problema

O complexo de Electra geralmente se resolve sozinho, e sem grandes complicações, à medida que a menina vai crescendo e observando a forma como a sua mãe age em relação ao sexo oposto. Além disso, é o pai quem deve estabelecer os limites da relação pai-filha, de modo que a menina perceba que é com outras crianças com quem deve brincar e interagir.

Porém, quando a mãe está muito ausente ou castiga a filha pelas suas ações durante esse período da sua vida, pode acabar dificultando a resolução natural do complexo, o que faz com que a menina mantenha os seus fortes sentimentos de afeto pelo pai, que podem acabar se tornando em sentimentos de amor, resultando em um complexo de Electra mal resolvido.

Como lidar com o complexo de Electra

Não existe uma forma certa de lidar com o complexo de Electra, no entanto, dar pouca atenção para os sentimentos de amor verbalizados em relação ao pai e evitar castigar a menina por essas ações parecem ajudar a ultrapassar mais rápido essa fase e não entrar num complexo de Electra mal resolvido.

Outro passo importante consiste em mostrar qual o papel do pai, que embora seja de amor, serve apenas para protegê-la e que a sua verdadeira companheira é a mãe.

Após esta fase, geralmente as meninas deixam de mostrar rancor em relação à mãe e passam a entender o papel de ambos os pais, passando a ver a mãe como referência e o pai como modelo para o tipo de pessoa que querem um dia a seu lado.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: