Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar e tratar a crise de ausência

As crises de ausência são um tipo de crise epilética que podem ser identificadas quando há perda súbita de consciência e olhar vago, ficando-se quieto e parecendo que se está olhando para o espaço, durante cerca de 10 a 30 segundos.

As crises de ausência são mais comuns em crianças do que adultos, são causadas pela atividade anormal no cérebro e podem ser controladas com medicamentos anti-epiléticos.

Geralmente, as crises de ausência não causam danos físicos e a criança deixa de ter as crises naturalmente na adolescência, porém, algumas crianças podem ter as crises para o resto da vida ou desenvolver outras convulsões.

Como identificar a crise de ausência

A crise de ausência pode ser identificada quando a criança, durante cerca de 10 a 30 segundos:

  • Perde a consciência de repente e pára de falar, caso estivesse falando;
  • Fica parada, sem cair no chão, com o olhar vago, geralmente desviado para cima;
  • Não responde ao que lhe é dito nem reage a estímulos;
  • Depois da crise de ausência, a criança recupera e continua fazendo o que estava a fazer e não se lembra do que aconteceu.

Além disso, outros sintomas da crise de ausência podem estar presentes como piscar ou revirar os olhos, apertar os lábios, mastigar ou fazer pequenos movimentos com a cabeça ou com as mãos.

As crises de ausência podem ser difíceis de identificar, porque podem ser confundidas com falta de atenção, por exemplo. Por isso, é frequente que uma das primeiras pistas que um pai pode ter de que a criança está tendo crises de ausência é que ela está tendo problemas de atenção na escola.

Quando ir no médico

Na presença dos sintomas de crise de ausência, é importante consultar um neurologista para fazer o diagnóstico através de um eletroencefalograma, que é um exame que avalia a atividade elétrica do cérebro. Durante o exame, o médico pode pedir à criança para respirar muito rapidamente, porque isso pode desencadear uma crise de ausência.

É muito importante levar a criança no médico para fazer o diagnóstico da crise de ausência porque a criança pode ter dificuldades de aprendizagem na escola, desenvolver problemas de comportamento ou isolamento social.

Como tratar a crise de ausência

O tratamento da crise de ausência geralmente é feito com remédios anti-epiléticos , que ajudam a evitar as crises convulsivas de ausência.

Normalmente, até aos 18 anos de idade, as crises de ausência tendem a parar naturalmente, porém é possível que a criança tenha crises de ausência para o resto da vida ou desenvolva convulsões.

Saiba mais sobre a epilepsia e como distinguir a crise de ausência do autismo em: Autismo infantil.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...