Cloreto de potássio: para que serve e como usar

O cloreto de potássio é um eletrólito indicado para o tratamento ou prevenção da hipocalemia, que é uma condição caracterizada pela diminuição de potássio na corrente sanguínea.

Desta forma, o cloreto de potássio repõe o íon potássio (K+) no sangue, ajudando a aliviar os sintomas de hipocalemia, como fraqueza muscular, cãibras e alteração nos batimentos cardíacos. Veja outros sintomas da hipocalemia.

O cloreto de potássio pode ser encontrado na forma de drágea, xarope ou solução injetável, e deve ser usado com indicação clínico geral, nutrólogo ou endocrinologista, com doses individualizadas, de acordo com os exames de sangue.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

O cloreto de potássio é indicado para tratamento ou prevenção da hipocalemia, que pode ocorrer nas seguintes situações:

  • Ingestão inadequada de potássio na alimentação, que pode acontecer devido a anorexia nervosa, alcoolismo crônico ou dietas muito restritivas. Confira os principais alimentos ricos em potássio;
  • Vômitos repetidos, diarreia ou uso abusivo de laxantes, que podem levar a perda de potássio pelo trato gastrointestinal;
  • Uso prolongado ou em altas doses de remédios diuréticos, corticoides ou alguns antibióticos, que podem levar a perda de potássio pelos urina;
  • Hiperaldosteronismo, síndrome de Cushing ou doenças dos túbulos renais, que favorecem a perda de potássio pelos rins;
  • Anemia megaloblástica aguda ou paralisia hipocalêmica familiar, que alteram o transporte de potássio nas células.

Além disso, o cloreto de potássio na forma de solução injetável, também pode ser indicado para o tratamento da alcalose metabólica ou intoxicação por remédios digitálicos, como digoxina ou digitoxina, por exemplo.

O cloreto de potássio deve ser usado com indicação clínico geral, nutrólogo ou endocrinologista, de acordo com os níveis de potássio no sangue, de forma individualizada.

Se deseja o acompanhamento de um nutrólogo, marque uma consulta na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Nutrólogos e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como usar

A forma de uso do cloreto de potássio varia de acordo com sua apresentação, que inclui:

1. Cloreto de potássio xarope

O cloreto de potássio xarope de 60 mg/mL é encontrado com o nome "Ionclor", e deve ser usado por via oral, utilizando o copo medida fornecido na embalagem.

O xarope de cloreto de potássio deve ser usado somente por adultos, sendo que a posologia recomendada é:

  • Tratamento da hipocalemia: 25 mL do xarope (20 mEq), de 2 a 5 vezes por dia. A dose máxima por dia não deve ultrapassar 250 mL do xarope (200 mEq), no período de 24 horas;
  • Prevenção da hipocalemia: 25 mL (do xarope 20 mEq), por dia.

As doses do cloreto de potássio xarope devem ser individualizadas, e indicadas pelo médico de acordo com os níveis de potássio no exame de sangue. 

2. Cloreto de potássio drágea

O cloreto de potássio drágea de 600 mg deve ser tomado por via oral, com um copo de água, durante ou após uma refeição, para evitar irritação no estômago, sendo encontrado com o nome “Slow K”.

As doses normalmente recomendadas do cloreto de potássio drágea para adultos são:

  • Tratamento da hipocalemia: 5 a 6, ou até 12 drágeas de cloreto de potássio 600 mg por dia, que correspondem a doses de 40, 50 e até 100 mmol K+;
  • Prevenção da hipocalemia: 2 a 3 drágeas de 600 mg de cloreto de potássio por dia (16 a 24 mmol K+), conforme orientação médica.

Para pessoas com problemas nos rins ou fígado, ou idosos, as doses devem ser monitoradas pelo médico, devido ao risco aumentando de hipercalcemia. Entenda o que é a hipercalemia.   

3. Cloreto de potássio injetável

O cloreto de potássio injetável é encontrado em diferentes concentrações, de 10%, 15% e 19,1%, usado somente em hospitais diluído em soro e aplicado diretamente na veia pelo enfermeiro, sob supervisão médica.

As doses de cloreto de potássio injetável devem ser individualizadas, de acordo com os níveis de potássio no exame de sangue, podendo ser essa solução injetável ser indicada para adultos ou crianças.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns do cloreto de potássio são náuseas, vômitos, diarreia, excesso de gases intestinais, dor ou desconforto no estômago, urticária, coceira na pele ou rash cutâneo.

Além disso, o uso do cloreto de potássio também pode causar obstrução, perfuração, hemorragia ou úlceras gastrointestinais, com sintomas como fezes com sangue ou escuras, tosse com sangue ou vômito com aspecto de borra de café.

O cloreto de potássio também pode aumentar muito os níveis de potássio no sangue, causando hipercalemia, com sintomas como fraqueza, formigamento, batimentos cardíacos irregulares ou dor no peito. Nesses casos, deve-se procurar o pronto-socorro imediatamente. Saiba identificar os sintomas de hipercalemia.  

Também deve-se procurar o pronto-socorro o mais rápido possível se surgirem sintomas como vômitos ou dor de estômago intensos, ou inchaço no estômago ou barriga.

Quem não deve usar

O cloreto de potássio não deve ser usado por pessoas que tenham hipercalemia, úlcera no estômago, insuficiência renal grave ou aguda, desidratação grave ou alergia aos componentes da fórmula.

Esse remédio também não deve ser usado por pessoas com bloqueio cardíaco grave ou completo em uso de remédios digitálicos, como a digoxina ou digitoxina.

O cloreto de potássio não deve ser usado por pessoas que utilizam diuréticos poupadores de potássio, como espironolactona, amilorida ou triantereno, por exemplo, ou remédios digitálicos.

Durante a gravidez ou amamentação, o cloreto de potássio só deve ser usado com indicação médica, após avaliação dos benefícios para a mulher e possíveis riscos para o bebê.

Além disso, o cloreto de potássio na forma de drágeas ou comprimidos não deve ser usado por crianças ou adolescentes com menos de 18 anos.