Cintilografia do miocárdio: para que serve e como é feita

A cintilografia do miocárdio é um exame de imagem que serve para avaliar o fluxo de sangue nas artérias do coração, sendo utilizado para avaliar a presença de infarto em pacientes com dor no peito e/ou com risco elevado de ter problemas cardíacos, ou em casos de insuficiência cardíaca, transplante cardíaco e doenças das válvulas do coração, não sendo recomendado para mulheres grávidas ou em fase de amamentação, já que é utilizada uma substância radioativa.

Para se preparar para a cintilografia do miocárdio, também chamada de cintilografia de perfusão do miocárdio ou com cintilografia do miocárdio com mibi, é aconselhado evitar alguns alimentos e suspender, conforme orientação do médico, medicamentos betabloqueadores (atenolol, propranolol, metoprolol, bisoprolol), 1 ou 2 dias antes do procedimento. 

Confira os 12 sintomas que podem indicar problemas no coração.

Cintilografia do miocárdio: para que serve e como é feita

Para que serve

O exame de cintilografia do miocárdio serve para avaliar a distribuição do sangue no miocárdio, ou seja no músculo cardíaco, durante o repouso e o esforço físico, sendo um exame útil para diagnosticar algumas doenças ou alterações cardíacas. Assim, através desse exame é possível verificar se existem áreas de isquemia, que é uma situação em que há passagem inadequada do sangue pela artéria, sendo útil para prevenir o desenvolvimento de insuficiência cardíaca, infarto ou acidente vascular cerebral, por exemplo.

A realização desse exame pode ser indicada pelo cardiologista nas seguintes situações:

  • Quando o eletrocardiograma está alterado;
  • Quando os níveis de cálcio no sangue está entre 100 e 400 ou maior que 400;
  • Antes de cirurgia não cardíaca de risco moderado;
  • Antes de cirurgia vascular em pessoas que possuem diabetes, insuficiência renal, história de doença cardíaca ou de doença cerebrovascular;
  • Antes de cirurgia cardíaca em pessoas que possuem doença cardíaca confirmada;
  • Após revascularização do miocárdio.

Além disso, esse exame pode ser solicitado pelo médico para avaliar a viabilidade do miocárdio em pessoas que possuem disfunção ventricular.

Como é feito o exame

Para realizar o exame de cintilografia do miocárdio, é feita a administração de uma substância radioativa na corrente sanguínea para que seja possível avaliar o fluxo de sangue no miocárdio. Em seguida, deve-se beber cerca de 3 copos de água, se alimentar e fazer uma caminhada leve, para ajudar a substância a se acumular na região do coração, melhorando as imagens obtidas no exame.

O exame consiste em duas etapas:

  1. Fase de repouso: a pessoa realiza as imagens numa máquina, sentada ou deitada;
  2. Fase de estresse: as imagens são realizadas após o estresse do coração que pode ser realizado com a pessoa durante o exercício, na maioria das vezes, na esteira, ou com o uso de uma medicação que simula que o coração está fazendo exercício.

Nesta última fase, também existe a modalidade combinada, onde há uma combinação de medicação e esforço físico. A decisão de como será realizada essa fase estresse deverá ser do médico que realiza o exame, após uma avaliação prévia do paciente.

O início da avaliação do coração é feito 30 a 90 minutos após a injeção com o a substância radioativa, sendo feitas imagens através de um aparelho que gira ao redor do abdômen do paciente por cerca de 5 minutos.

Muitas vezes, o exame é feito tanto em repouso como em estresse e, por isso, podem ser necessários dois dias para fazer o exame. Mas caso sejam feitos no mesmo dia, normalmente, inicia-se o exame pela fase do repouso.

Como se preparar

O preparo para o exame envolve cuidados com a medicação e a alimentação:

1. Que medicamentos evitar

Deve-se conversar com o médico para receber orientação, pois deve-se evitar o uso, durante 48h, de medicamentos para pressão alta, como Verapamil e Diltiazem e os betabloqueadores que acabam diminuindo a frequência cardíaca, e para asma e bronquite, como Aminofilina.

Além disso, medicamentos para melhorar a circulação à base de nitratos, como Isossorbida e Monocordil, devem ser suspensos nas 12h anteriores ao exame, se o médico considerar que haverá mais benefício do que risco na suspensão.

2. Como deve ser a alimentação

Nas 24h anteriores ao exame, deve-se evitar a ingestão de café e alimentos e bebidas ricas em cafeína, chás, banana, bebidas alcoólicas e bebidas gaseificadas. Embora alguns médicos possam indicar jejum antes do exame, a maioria aconselha uma refeição leve 2 horas antes da cintilografia.

Possíveis riscos e contraindicações

Os riscos da cintilografia do miocárdio são mais esperados na cintilografia do miocárdio com estresse farmacológico por causa dos efeitos colaterais do medicamento, que podem ser:

  • Sensação de calor na cabeça;
  • Dor no peito;
  • Enxaqueca;
  • Tonturas;
  • Diminuição da pressão arterial;
  • Falta de ar;
  • Enjôos.

No entanto, normalmente a cintilografia do miocárdio não provoca sequelas na saúde e não é necessário ficar internado no hospital.

Além disso, é importante lembrar que a cintilografia do miocárdio é contraindicada em mulheres grávidas ou que estejam amamentando.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • AMORIM, Bárbara J.; MESQUITA, Cláudio T.; ARAUJO, Elaine B. et al. International Journal of Cardiovascular Sciences. Diretriz para Cintilografia de Perfusão Miocárdica de Repouso e Estresse. Vol 29. 3 ed; 243-247, 2016
Mais sobre este assunto: