Câncer de esôfago: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
abril 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tipos de câncer de esôfago
  4. Diagnóstico
  5. Tratamento

O câncer de esôfago é um tipo grave de câncer, mais comum de acontecer em pessoas acima dos 50 anos, que acontece devido a alterações das células do esôfago, que passam a se tornar malignas, resultando no aparecimento de alguns sinais e sintomas como dificuldade para engolir, aparecimento de um nódulo na parte superior do estômago e fezes escuras, sendo mais comuns de surgirem na fase mais avançada da doença.

Por isso, no caso da pessoa apresentar qualquer sinal ou sintoma relacionado ao câncer no esôfago e possuir algum dos fatores de risco associados à doença, é recomendado que consulte o gastroenterologista para que seja feito o diagnóstico e o tratamento possa ser estabelecido, sendo na maioria das vezes recomendada a realização de cirurgia para remover uma porção do esôfago, além de quimio e radioterapia para eliminar as células cancerosas que podem não ter sido eliminadas durante a cirurgia.

Principais sintomas

Normalmente, o câncer de esôfago não causa qualquer sinal ou sintoma, no entanto à medida que a doença evolui, podem começar a ser notados os sintomas característicos, sendo os principais.

  • Dificuldade e dor para engolir, inicialmente alimentos sólidos e depois líquidos;
  • Rouquidão e tosse constante;
  • Perda de apetite e de peso;
  • Cansaço ao realizar exercícios simples, como arrumar a cama ou subir escadas;
  • Sensação de estômago cheio;
  • Vômitos com sangue e náuseas;
  • Fezes escuras, pastosas e com cheiro forte ou com sangue;
  • Desconforto abdominal que não passa;
  • Nódulo no estômago, que é possível palpar;
  • Ínguas inchadas no lado esquerda do pescoço;
  • Nódulos ao redor do umbigo.

Assim, na presença de sinais e sintomas possivelmente indicativos de câncer de esôfago, é importante que o gastroenterologista ou clínico geral seja consultado para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento mais adequado.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico do câncer de esôfago é feito através da endoscopia, que é um exame de imagem que tem como objetivo visualizar o interior do esôfago e do estômago e, assim, verificar se há qualquer sinal de alteração.

Caso seja verificado durante o exame a presença de algum nódulo ou qualquer outra alteração, é recomendada a realização de biópsia de uma amostra do tecido do esôfago para verificar as características das células, além de também ser indicada a realização de raio-X do esôfago, principalmente se a pessoa apresentar dificuldade para engolir.

Durante o exame endoscópico, é possível também que o médico verifique qual o estágio da doença de acordo com as características observadas:

  • Estágio I - Tumor na parede do esôfago com cerca de 3 a 5 mm e sem metástases, com maiores chances de cura;
  • Estágio II - Aumento da parede do esôfago com mais de 5 mm e sem metástases com algumas chances de cura;
  • Estágio III - Espessamento da parede esofágica que afeta o tecido em redor do esôfago com poucas chances de cura;
  • Estádio IV - Presença de metástases pelo organismo, com muito poucas chances de cura.

Além disso, o médico poderá indicar a realização de exames complementares, como hemograma e exame de fezes, que também ajudam a avaliar a gravidade do câncer.

Causas do câncer de esôfago

O desenvolvimento do câncer de esôfago pode ser favorecido por alguns fatores, como por exemplo:

  • Consumo exagerado de bebidas alcoólicas e de cigarro;
  • Ingestão de bebidas quentes acima de 65º C como café, chá ou chimarrão, por exemplo;
  • Ingestão de substâncias alcalinas, como cloro utilizado para limpeza que leva ao estreitamento do esôfago;
  • ​Antecedentes de câncer de cabeça ou pescoço.

Além disso, este tipo de câncer é mais comum em pacientes com doenças como gastrite, refluxo gastroesofágico ou síndrome de Plummer-Vinson, acalásia ou esôfago de Barrett por exemplo, sendo que normalmente a irritação do esôfago ocorre devido ao refluxo do suco do estômago ou de bile.

Tipos de câncer de esôfago

De acordo com a localização das células atingidas, o câncer de esôfago pode ser classificado em dois tipos principais:

  • Carcinoma epidermoide, que é o tipo mais frequente de câncer no esôfago e que acomete a parte superior do esôfago e, por isso, é mais comum de acontecer em fumantes e/ou alcoólatras;
  • Adenocarcinoma, que na maioria das vezes surge na porção que junta o esôfago ao estômago e é mais frequente em pessoas com refluxo gástrico crônico, esôfago de Barrett e quando a pessoa encontra-se acima do peso.

De acordo com o tipo de câncer de esôfago, o médico pode indicar o tratamento mais adequado para aliviar os sintomas e prevenir a progressão da doença.

Como é feito o tratamento

O tratamento para câncer de esôfago leva em consideração a localização do tumor e estágio da doença, além da história clínica da pessoa, idade e sintomas apresentados. Dessa forma, o tratamento para esse tipo de câncer indicado pelo oncologista e gastroenterologista pode incluir:

  • Cirurgia para remoção do esôfago: remove-se a porção que tem o tumor e o restante é unido ao estômago. No entanto, quando o esôfago tem de ser retirado totalmente é necessária a colocação de uma prótese artificial de esôfago ou remover uma porção do intestino para substituir o esôfago, por exemplo;
  • Radioterapia: é feito para impedir o crescimento das células tumorais no esôfago;
  • Quimioterapia: através de injeções na veia ou no músculo e em alguns casos através de comprimidos para também promover a eliminação de células cancerígenas que podem estar ainda presentes..

Na maioria dos casos estes tratamentos não curam totalmente o câncer, apenas ajudam a reduzir os sintomas de câncer e prolongar a vida do paciente.

Alimentação para câncer no esôfago

No caso de câncer de esôfago pode ser necessário fazer algumas alterações na alimentação, devido à dificuldade para engolir e aos efeitos colaterais dos tratamentos, principalmente da quimioterapia que causa náuseas e desconforto abdominal.

Desta forma, pode ser necessário preparar alimentos pastosos, como mingau e sopa batida no liquidificador ou adicionar espessante aos alimentos líquidos. Além disso, pode ser necessário receber nutrientes diretamente pela veia ou usar sonda nasogástrica, que é um tubinho que vai do nariz até ao estômago, para ajudar a receber os alimentos adequados. Confira algumas opções alimentares para quando não se pode mastigar.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em abril de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • BOLLSCHWELLER, Elfriede et al. Current and future treatment options for esophageal cancer in the elderly. Expert Opinion on Pharmacotherapy. Vol 18. 10 ed; 2017
  • ESOPHAGEAL CANCER—PATIENT VERSION. National Cancer Institute. Disponível em: <https://www.cancer.gov/types/esophageal>. Acesso em 06 dez 2019
Mostrar bibliografia completa
  • HUANG, Fang-Liang; YU, Sheng-Jie. Esophageal cancer: Risk factors, geneticassociation, and treatment. Asian Journal of Surgery. Vol 41. 210-215, 2018
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878

Tuasaude no Youtube

  • Pare de sofrer com esofagite AGORA!

    07:47 | 340188 visualizações