Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Conheça os principais sintomas e tratamento do câncer de esôfago

O câncer no esôfago pode provocar dificuldade em engolir, fezes escuras ou presença de um nódulo na parte superior do estômago, porém na maioria dos casos quando os sintomas surgem o câncer já se encontra numa fase avançada e com metástases, tendo menos chances de cura.

Além disso, o tratamento deve ser indicado pelo oncologista, sendo a cirurgia para remoção de uma porção do esôfago o tratamento mais comum, além de quimioterapia e radioterapia para diminuir os sintomas e aumentar a esperança de vida.

Principais sintomas de câncer no esôfago

Alguns sinais e sintomas que podem indicar o desenvolvimento de câncer incluem:

  • Dificuldade e dor para engolir, inicialmente alimentos sólidos e depois líquidos;
  • Rouquidão e tosse constante;
  • Perda de apetite e de peso;
  • Cansaço a realizar exercícios simples, como arrumar a cama ou subir escadas;
  • Sensação de estômago cheio;
  • Vômitos com sangue e náuseas;
  • Fezes escuras, pastosas e com cheiro forte ou com sangue;
  • Desconforto abdominal que não passa;
  • Nódulo no estômago, que é possível palpar;
  • Ínguas inchadas no lado esquerda do pescoço;
  • Nódulos ao redor do umbigo.

Este tipo de câncer é mais comum em homens a partir dos 50 anos de idade, mas pode surgir em qualquer fase da vida.

Como fazer o diagnóstico de câncer no esôfago

Para fazer o diagnóstico de câncer no esôfago é necessário realizar uma endoscopia, que é um exame para ver o interior do esôfago e estômago, procurando alterações.

EndoscopiaEndoscopia
BiópsiaBiópsia

Quando se verifica a presença de algum nódulo ou o paciente tem dificuldade em engolir, conhecido por disfagia, é recomendado fazer uma raio x do esôfago e uma biópsia para confirmar a suspeita de câncer. Além disso, o médico poderá indicar exame de sangue onde inclui o hemograma para verificar se há anemia e um exame de fezes para verificar se há sangue nas fezes.

Tipos de câncer de esôfago

Os tipos de câncer de esôfago mais comuns são o carcinoma de células escamosas, também conhecido por carcinoma epidermóide e o adenocarcinoma.

O carcinoma epidermóide é o tipo mais comum de câncer no esôfago, afetando principalmente a parte superior do esôfago, sendo comum em fumadores e alcoólatras.

O adenocarcinoma surge na maioria dos casos na porção que junta o esôfago ao estômago e é frequente em pacientes com refluxo gástrico crônico, esôfago de Barret e em caso de obesidade, por exemplo, tendo um melhor prognóstico.

Estágios do câncer de esôfago

O câncer de esôfago pode ser classificado em:

  • Estágio I - Tumor na parede do esôfago com cerca de 3 a 5 mm e sem metástases, com maiores chances de cura;
  • Estágio II - Aumento da parede do esôfago com mais de 5 mm e sem metástases com algumas chances de cura;
  • Estágio III - Espessamento da parede esofágica que afeta o tecido em redor do esôfago com poucas chances de cura;
  • Estádio IV - Presença de metástases pelo organismo, com muito poucas chances de cura.

Porém, estes estádios podem ser descritos mais detalhadamente segundo o tipo de câncer de esôfago que foi diagnosticado pelo médico.

Tempo de vida do câncer no esôfago

O prognóstico de vida deste tipo de câncer varia com o tipo de câncer, estadiamento, tratamentos realizados e resposta do paciente ao tratamento, porém como esta doença é na maioria dos casos detectada numa fase avançada e, por isso, a esperança de vida do paciente é de cerca de 5 anos.

Além disso, o prognóstico de vida de um paciente com câncer no esôfago é maior quando o tumor apenas se encontra localizado no esôfago e não existem metástases.

Principais causas de câncer de esôfago

Geralmente, o câncer no esôfago é provocado por fatores como:

  • Consumo exagerado de bebidas alcoólicas e de ciagarro;
  • Ingestão de bebidas quentes acima de 65º C como café, chá ou chimarrão, por exemplo;
  • Ingestão de substâncias alcalinas, como cloro utilizado para limpeza que leva ao estreitamento do esôfago;
  • ​Antecedentes de câncer de cabeça ou pescoço.

Além disso, este tipo de câncer é mais comum em pacientes com doenças como tilose, refluxo gastroesofágico ou síndrome de Plummer-Vinson, acalásia ou esôfago de Barrett por exemplo, sendo que normalmente a irritação do esôfago ocorre devido ao refluxo do suco do estômago ou de bile.

Tratamento para câncer de esôfago

Para tratar o câncer de esôfago, normalmente é feita uma cirurgia para remover a porção do esôfago que contêm o tumor, além de quimioterapia e radioterapia.

Desta forma, o tratamento feito por oncologista inclui:

  • Cirurgia para remoção do esôfago: remove-se a porção que tem o tumor e o restante é unido ao estômago. No entanto, quando o esôfago tem de ser retirado totalmente é necessária a colocação de uma prótese artificial de esôfago ou remover uma porção do intestino para substituir o esôfago, por exemplo;
  • Radioterapia: é feito para impedir o crescimento das células tumorais no esôfago;
  • Quimioterapia: através de injeções na veia ou no músculo e em alguns casos através de comprimidos.

Na maioria dos casos estes tratamentos não curam totalmente o câncer, apenas ajudam a reduzir os sintomas de câncer e prolongar a vida do paciente.

Alimentação para câncer no esôfago

No caso de câncer de esôfago pode ser necessário fazer algumas alterações na alimentação, devido à dificuldade para engolir e aos efeitos colaterais dos tratamentos, principalmente da quimioterapia que causa náuseas e desconforto abdominal.

Desta forma, pode ser necessário preparar alimentos pastosos, como mingau e sopa batida no liquidificador ou adicionar espessante aos alimentos líquidos. Além disso, pode ser necessário receber nutrientes diretamente pela veia ou usar sonda nasogástrica, que é um tubinho que vai do nariz até ao estômago, para ajudar a receber os alimentos adequados. Para saber como preparar as refeições nestas situações leia: O que comer quando não posso mastigar.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...