Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Câncer de Peritônio: Sintomas, Tratamento e Tempo de vida

O câncer de peritônio é um tipo raro de tumor que surge no tecido que reveste toda a parte interna do abdômen e seus órgãos, provocando sintomas semelhantes aos do câncer nos ovários, como dor abdominal, náuseas e barriga inchada, por exemplo.

O tempo de vida, em caso de câncer de peritônio é 5 à 10 anos, no entanto, quando o tumor maligno é descoberto numa fase inicial e não afetou outras áreas do corpo, a pessoa pode viver mais tempo, mas sempre será necessário realizar exames anualmente para sempre. 

Geralmente, o câncer de peritônio é mais frequente nas mulheres ou em pacientes que possuem câncer em outros órgãos abdominais e, por isso, pode pode ser dividido em 2 tipos:

  • Câncer de peritônio primário ou mesotelioma: quando as alterações celulares ocorrem nele primeiramente;
  • Câncer de peritônio secundário ou carcinomatose: quando o câncer surgiu devido a metástases de câncer noutros órgãos.

O câncer de peritônio tem cura através de quimioterapia e cirurgia, especialmente quando o câncer ainda não se espalhou para outros órgãos, como pulmões ou fígado.

Câncer de Peritônio: Sintomas, Tratamento e Tempo de vida

Sintomas de câncer de Peritônio

Os sintomas do câncer de peritônio incluem:

  • Inchaço do abdômen, também conhecido como ascite;
  • Dor abdominal;
  • Prisão de ventre ou diarreia;
  • Cansaço e mal-estar geral;
  • Falta de apetite;
  • Dificuldade na digestão dos alimentos;
  • Perda de peso sem causa aparente.

O diagnóstico do câncer de peritônio pode ser feito pelo clínico geral através de exames de sangue, ultrassom, tomografia computadorizada, ressonância magnética ou laparoscopia abdominal.

Tratamento para câncer do Peritônio

O tratamento para câncer do peritônio deve ser orientado por um oncologista e, normalmente, é iniciado com a cirurgia para retirada do tumor. No entanto, na maioria dos casos, não é possível retirar todo o tecido afetado e, por isso, pode ser necessário utilizar quimioterapia ou radioterapia para eliminar as restantes células cancerígenas do abdômen.

Nos casos mais graves, em que o câncer de peritônio se encontra em fase terminal, outros órgãos, como rins, bexiga e intestinos também são afetados, e nesse caso o tempo de vida do paciente fica bastante reduzido.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar