Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é câncer de peritônio, sintomas e tratamento

Janeiro 2020

O câncer de peritônio é um tipo raro de tumor que surge no tecido que reveste toda a parte interna do abdome e seus órgãos, provocando sintomas semelhantes aos do câncer nos ovários, como dor abdominal, náuseas, barriga inchada e perda de peso sem causa aparente, por exemplo.

O diagnóstico de câncer de peritônio pode ser feito por um clínico geral ou oncologista através de exames de imagem, como tomografia computadorizada e pet-scan, exames de sangue para verificar proteínas específicas, conhecidas como marcadores tumorais, e principalmente, por meio da realização de biópsia. O tratamento é baseado no estágio do tumor e nas condições de saúde da pessoa e consiste em cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Este tipo de câncer costuma ser agressivo e o tempo de vida de uma pessoa que tem o tumor no peritônio não é bem definido, no entanto, com a realização de cirurgia e quimioterapia pode chegar até 5 anos. E ainda, se o câncer de peritônio for descoberto numa fase inicial, a pessoa pode viver mais tempo, mas sempre será necessário realizar exames anualmente. 

O que é câncer de peritônio, sintomas e tratamento

Principais sinais e sintomas

O câncer de peritônio atinge a camada que reveste o abdome e pode levar ao surgimento de sinais e sintomas como:

  • Inchaço do abdome;
  • Dor abdominal;
  • Prisão de ventre ou diarreia;
  • Cansaço e mal-estar geral;
  • Falta de apetite;
  • Dificuldade na digestão dos alimentos;
  • Perda de peso sem causa aparente.

Além disso, se a doença for descoberta em fase mais avançada é possível identificar a ascite, que é quando ocorre o acúmulo de líquido dentro da cavidade abdominal, e isto pode comprimir os pulmões causando falta de ar e dificuldade para respirar. Confira como é feito o tratamento para ascite.

Possíveis causas

As causas do câncer de peritônio não estão bem definidas, porém sabe-se que, em alguns casos, este tipo de câncer se desenvolve porque células cancerosas de outros órgãos chegam à camada que reveste o abdome, através da corrente sanguínea, e se multiplicam dando origem ao tumor.

Alguns fatores de risco também podem estar relacionados com o surgimento de câncer no peritônio como mulheres que fazem uso de hormônios após a menopausa, que têm endometriose e com obesidade. Entretanto, mulheres que fazem uso de pílula anticoncepcional, já fizeram cirurgia de retirada de ovário e amamentaram têm menos chances de ter câncer de peritônio.

Quais são os tipos

O câncer de peritônio começa a se desenvolver, principalmente, a partir de células de órgãos do abdome ou da região ginecológica, no caso das mulheres, e se divide em dois tipos, que são:

  • Câncer de peritônio primário ou mesotelioma: ocorre quando as alterações celulares ocorrem primeiramente neste tecido que recobre o abdome;
  • Câncer de peritônio secundário ou carcinomatose: é identificado quando o câncer surge devido a metástases de câncer de outros órgãos, como estômago, intestino e ovários.

E ainda, mulheres diagnosticadas com câncer de ovário que tenham os genes BRCA 1 e BRCA 2 têm maior risco de desenvolver câncer de peritônio secundário, por isso essas mulheres devem fazer exames constantemente. Veja mais sobre os sintomas de câncer de ovário.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de câncer de peritônio pode ser feito pelo clínico geral através de exames de imagem como ultrassom, ressonância magnética, tomografia computadorizada e pet-scan, no entanto, para saber o estágio do tumor é necessário fazer uma biópsia, que pode ser realizada durante uma laparoscopia exploratória. Saiba como é feita a cirurgia por laparoscopia.

A biópsia é feita retirando um pequeno pedaço de tecido que é encaminhado para o laboratório e depois examinado por um médico patologista. O patologista verifica se o tecido têm células cancerosas e determina qual o tipo destas células, sendo que isto é determinante para o oncologista definir o tipo de tratamento. Além disso, também poderão ser feitos exames de sangue complementares, para identificar marcadores tumores, que são substâncias presentes em diferentes tipos de cânceres.

O que é câncer de peritônio, sintomas e tratamento

Opções de tratamento

O tratamento para o câncer de peritônio é definido pelo oncologista dependendo do estágio da doença e pode ser indicado as seguintes opções:

1. Quimioterapia intraperitoneal

A quimioterapia intraperitoneal consiste na aplicação de medicamentos dentro do peritônio e é o tipo de tratamento mais indicado para o câncer de peritônio, pois permite que os medicamentos sejam absorvidos rapidamente no tecido. Geralmente, esses medicamentos são aquecidos a uma temperatura entre 40°C a 42°C para evitar que o corpo se esfrie e para facilitar a entrada dos remédios dentro das células.

Este tratamento é indicado para os casos em que o câncer de peritônio não se espalhou para outros órgãos, como o cérebro e pulmão, sendo realizado junto com a cirurgia para retirada do tumor e tendo como vantagem a rápida recuperação da pessoa, não apresentando os efeitos colaterais como queda de cabelo e vômitos.

2. Quimioterapia na veia

A quimioterapia na veia é indicada para o câncer de peritônio antes da realização da cirurgia, para que o tumor reduza de tamanho e seja mais fácil de ser removido. Este tipo de quimioterapia não é usada como tratamento convencional deste tipo de câncer, pois as células doentes, presentes no tumor, apresentam resistência a vários medicamentos quimioterápicos utilizados frequentemente.

3. Cirurgia

A cirurgia é feita para retirar o tumor no peritônio quando o câncer não atingiu outros órgãos do corpo e é indicada em pessoas que têm condições de receberem anestesia. Este tipo de operação deve ser feita por cirurgiões oncológicos com experiência, pois é bastante complicada e envolve, muitas vezes, na remoção de partes de órgãos como o fígado, baço e intestino.

Antes da realização da cirurgia, o médico solicita a realização de vários exames de sangue como teste de coagulação e prova de tipagem sanguínea, no caso da pessoa precisar receber transfusão de sangue devido perdas sanguíneas durante a cirurgia. Saiba mais quais os tipos de sangue e a compatibilidade.

4. Radioterapia

A radioterapia é a terapia em que se usa a radiação para destruir células que causam o câncer de peritônio e é aplicada através de uma máquina que emite a radiação diretamente no local aonde está localizado o tumor.

Este método de tratamento é indicado pelo médico antes da realização da cirurgia, para reduzir o tamanho do tumor no peritônio, no entanto, também pode ser recomendada para eliminar células cancerosas após a operação.

O câncer de peritônio tem cura?

Este tipo de câncer é muito difícil de ser curado e o objetivo do tratamento é aumentar o tempo de vida da pessoa, proporcionando uma melhor qualidade de vida e o bem-estar físico, mental, social e espiritual.

Nos casos mais graves, em que o câncer de peritônio se encontra em fase avançada e se espalhou para outros órgãos é importante tomar medidas de cuidados paliativos, para que a pessoa não sinta dores. Veja mais o que são cuidados paliativos e quando é indicado.

O tratamento para o câncer de peritônio pode ter efeitos indesejáveis, veja no vídeo algumas dicas de como aliviar esses efeitos:

TRATAMENTO do CÂNCER: como aliviar os EFEITOS COLATERAIS

40 mil visualizações

Bibliografia >

  • MOSCA, Ana Margarida S.S.; BARBOSA, Laura E. Abordagem Terapêutica da Carcinomatose Peritoneal em doentes com Carcinoma Colorretal. Rev. Port. Cir. n.40. 35-50, 2017
  • UNIVERSITY HOSPITAL TÜBINGEN. Peritoneal cancer – long-term survival with good quality of life. Disponível em: <https://www.gesundheitsindustrie-bw.de/en/article/news/peritoneal-cancer-long-term-survival-with-good-quality-of-life>. Acesso em 16 Jan 2020
  • THE OHIO STATE UNIVERSITY COMPREHENSIVE CANCER CENTER. About Peritoneal Cancer. Disponível em: <https://cancer.osu.edu/cancer-specialties/cancer-care-and-treatment/peritoneal-cancer/treatment>. Acesso em 16 Jan 2020
  • RIBEIRO JR, Marcelo A.F. et al. Mesotelioma peritoneal: relato de caso e revisão da literatura de uma doença incomum. Einstein. Vol.7, n.1. 96-98, 2009
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem