Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sintomas e tratamento para Leishmaniose Visceral (calazar)

A leishmaniose visceral, também conhecida como calazar ou esplenomegalia tropical, é uma doença causada, no Brasil, pelo protozoário Leishmania chagasi, e ocorre quando o mosquito da espécie Lutzomyia longipalpis infectado pelo protozoário, popularmente conhecido como mosquito-palha ou birigui, pica a pessoa, transmitindo a doença.

Este tipo de leishmaniose afeta principalmente crianças maiores de 10 anos e adultos que possuem alguma carência nutricional, como falta de ferro, vitaminas e proteínas, e vivem em locais com condições de saneamento e higiene precários. A região brasileira mais afetada é o Nordeste e acredita-se que as crianças sejam as mais afetadas porque possuem mais carências nutricionais, o sistema imune ainda não é totalmente formado e estão mais tempo expostas aos animais.

Sintomas e tratamento para Leishmaniose Visceral (calazar)

Principais sintomas

Após a picada pelo mosquito que transmite a doença, os protozoários se espalham pela corrente sanguínea e por órgãos responsáveis pela formação das células do sangue e da imunidade do organismo, como baço, fígado, linfonodos e medula óssea, provocando os seguintes sintomas:

  • Calafrios e febre alta, que vai e volta, de longa duração;
  • Aumento do abdômen, devido ao aumento do baço e do fígado;
  • Fraqueza e cansaço excessivo;
  • Perda de peso;
  • Palidez, devido a anemia causada pela doença;
  • Sangramentos mais fáceis, pela gengiva, nariz ou fezes, por exemplo;
  • Infecções frequentes, por vírus e bactérias, devido à queda da imunidade;
  • Diarreia.

A leishmaniose visceral tem um período de incubação entre 10 dias até dois anos, e como esta não é uma doença comum e seus sintomas surgem aos poucos, eles podem ser confundidos com outras doenças como malária, febre tifoide, dengue ou Zika, por exemplo. Por isso, na presença destes sintomas, é importante procurar atendimento médico para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento adequado.

Deve-se lembrar que as lesões e úlceras na pele acontecem por outro tipo de leishmaniose, chamada de cutânea ou tegumentar. Saiba o que causa e como identificar a leishmaniose tegumentar.

Como acontece a transmissão

O principal reservatório do Leishmania chagasi são os cães, sendo, portanto, a principal fonte de infecção dos mosquitos. Ou seja, quando o mosquito pica o cachorro infectado, adquire o protozoário, que se desenvolve em seu organismo e pode ser transmitido para a pessoa através da picada do mosquito.

Sintomas e tratamento para Leishmaniose Visceral (calazar)

Como confirmar

O diagnóstico da leishmaniose visceral é feito por meio de exame parasitológico, em que é feita uma cultura de medula óssea com o objetivo de se observar uma das formas evolutivas do protozoário. Além disso, o diagnóstico pode ser feito por meio de exames imunológicos, como o ELISA, ou imunocromatográficos, que são popularmente conhecidos como testes rápidos.

A desvantagem dos testes imunológicos é que mesmo após o tratamento, é possível que ainda exista quantidade suficientes de anticorpos, sendo indicativo de infecção. No entanto, nesses casos, é importante que o médico avalie a presença de sintomas, pois caso não existam sintomas, o tratamento não é indicado.

Como é feito o tratamento

O tratamento para leishmaniose visceral deve começar o quanto antes e pode ser feito com a toma de medicamentos específicos, como os Compostos Antimoniais Pentavalentes, Anfotericina B, Pentamidina, e Aminosidina, receitados pelo médico.

Ao iniciar o tratamento também é importante ter alguns cuidados, como a avaliação e estabilização das condições clínicas, como desnutrição e sangramentos, além do tratamento de outras infecções que acompanham. Pode ser necessário permanecer internado para uso de medicamentos na veia, mas, nos casos em que a infecção está estável e há acesso fácil ao hospital, o médico pode recomendar o tratamento em casa e ir ao hospital para acompanhamento.

Esta doença deve ser tratada rapidamente, pois se agrava em poucos dias e por isso a pessoa afetada pode sofrer risco de vida devido a complicações como infecção pulmonar, insuficiência respiratória, hemorragia digestiva, insuficiência circulatória ou por infecções oportunistas, por vírus e bactérias.

Saiba mais detalhes de como é feito o tratamento para leishmaniose visceral.


Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Leishmaniose Visceral: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Link: <portalms.saude.gov.br>. Acesso em 29 Mai 2019
  • NEVES, David P. Parasitologia Humana. 12 ed. Atheneu, 69-88.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem